América do Sul

Muita transpiração

São quase três anos sem título e pelo menos dois anos sem um futebol de boa qualidade e consistência. A realidade do Colo Colo já seria cruel o suficiente com estes predicados, mas como se não fosse o bastante, os Caciques ainda foram obrigados a assistir a maior rival Universidad de Chile ganhar quatro títulos nacionais, um internacional e se tornar a queridinha dos jornalistas e torcedores de todo o planeta. É por isso que a atual sequência de 12 jogos de invencibilidade, com direito a cinco vitórias seguidas pelo Clausura 2012, já é considerada um momento incrível pelos torcedores alvinegros. Os colocolinos estão na segunda posição do campeonato junto com outros três times e têm a expectativa de, nos playoffs, voltarem a ganhar um troféu.

Mais do que um grande momento do time chileno, a atual sequência representa uma tranquilidade que não rondava o clube desde o final de 2010, quando o Colo Colo, de Jorquera, Miralles e Paredes, ficou a três pontos do título, conquistado pela Católica. Dali pra frente o time que tinha o cerebral e tranquilo Diego Cagna como técnico contratou o enérgico Américo Gallego e o pouco experiente Ivo Basay para tentar dar jeito na equipe. Não deu certo. Após encerrar o primeiro semestre de 2012 com o interino Luis Pérez, a direção do Colo Colo decidiu apostar em um argentino com rodagem no campeonato nacional e que conseguiu bom desempenho no pequeno Audax Italiano: Omar Labruna.

Depois de um início titubeante, Labruna parece ter arrumado o time. Sem reforços, o argentino teve os méritos de fazer a mesma equipe do início do ano jogar e dar resultados. Armando o time em um 4-3-1-2 maleável para 5-3-2, dependendo do momento, o treinador conseguiu dar consistência defensiva e pujância no ataque; da sequência de cinco vitórias, três foram por 3 a 0, uma por 2 a 1 e uma por 2 a 0.

Além do bom encaixe tático, as figuras individuais também se destacam. Mathias Vidangossy e Gonzalo Fierro, que foram contratados no início do ano a um bom dinheiro, passaram a atuar bem. Fierro inclusive é um dos pilares deste bom momento do Colo Colo. Além de fazer bem sua função de volante, o ex-jogador do Flamengo também chega ao ataque, compõe a defesa e cobra os pênaltis do time alvinegro. O outro jogador chave é o atacante Carlos Muñoz, de 23 anos. Misturando oportunismo, velocidade e faro de gol, o homem de frente já marcou 8 tentos em 12 rodadas e é o artilheiro da competição chilena.

Com Basay e Pérez nada disso ocorria. Então, como explicar tamanha mudança? Genialidade de Labruna? Nem tanto. O mais preponderante nesta grande sequência colocolina é o preparo físico dos atletas, algo diagnosticado pelos próprios jogadores e pelo treinador. Labruna falou recentemente que encontrou um time em frangalhos do ponto de vista físico, algo que já havia sido dito pelo interino Luis Pérez e que inclusive causou uma saia justa com Basay.

Se com os ex-treinadores o Colo Colo pecava por não dar combate e “morria” no segundo tempo, após a preparação de Labruna e da nova comissão técnica todos os jogadores correm e se movimentam. Não é incomum ver o Cacique se defender com nove jogadores e colocar, no lance seguinte, seis homens na área adversária. Os colocolinos talvez se ofendam, mas é impossível não lembrar da Universidad de Chile ao ver esse comprometimento.

Se tal estilo se traduzir em pelo menos um quarto dos resultados dos rivais, o Colo Colo poderá encerrar 2012 feliz e com boas perspectivas para o futuro, inclusive com a volta à Taça Libertadores. Mesmo se não der certo, um atalho para as vitórias já está bastante claro. Não adianta investir por investir nem acreditar só no comportamento do técnico A ou técnico B. No futebol atual uma questão “simples” como preparo físico pode ser a diferença entre fracasso e sucesso. Resta então ir atrás dos profissionais, tanto jogadores, quanto comissão técnica, capazes do serviço mais completo possível. Ainda mais no limitado mundo do futebol da América do Sul…

Copa Sul-Americana 2012

Mais dois jogos válidos pelas oitavas de final foram realizados nesta semana:

Palmeiras 3×1 Millonarios
U. Católica 2×0 Atlético Goianiense

Mais chilenas

– Se o Colo Colo emendou uma sequência de cinco vitórias consecutivas no Clausura, a Universidad de Chile já acumula três empates seguidos. La U ficou no 0 a 0 com a Unión La Calera. O resultado permitiu que o Rangers se tornasse o líder isolado do campeonato após vitória por 1 a 0 contra a Unión Española.

– A tabela do Clausura tem agora o Rangers na liderança, com 25 pontos em 12 jogos. A equipe de Talca é seguida por Palestino, que venceu o Santiago Wanderers, Deportes Iquique, que empatou com o Cobreloa, Colo Colo, que fez 2 a 1 na Católica, e Universidad de Chile. Todos têm 23 pontos.

– Universidad Católica, Cobresal e Deportes Antofagasta completam os oito que hoje estariam classificados às quartas de final.

Colombianas

– O Millonarios venceu o Junior de Barranquilla por 2 a 0 e manteve a liderança do Finalización, agora com 23 pontos em 11 jogos. A equipe de Bogotá é seguida pelo próprio Junior e pelo Itagüí, que empatou com o Cúcuta. Ambos têm 23 pontos, mas em 12 jogos.

– Quem deu um importante salto na tabela foi o Atlético Nacional, que ganhou do Envigado por 1 a 0, chegou a 21 pontos e assumiu a quarta posição. Cúcuta, Quindio, Independiente Medellín e La Equidad completam o grupo dos que se classificam para os playoffs.

Paraguaias

– O Guaraní segue imbatível no Clausura paraguaio. A equipe fez 2 a 1 no Sportivo Carapeguá e abriu seis pontos de vantagem na liderança da competição: 25 contra 19 do Luqueño, que ganhou do Independiente por 1 a 0.

– O Libertad é o terceiro, com 17 pontos, após a vitória por 3 a 0 sobre o Cerro Presidente Franco. O Olimpia é o quinto, com 14 pontos depois do 1 a 1 com o Sol de América.

– O Olimpia está com novo treinador. Trata-se de José Cardozo, atacante que jogou as Copas de 98 e 2002 pela seleção paraguaia e que já teve duas passagens pelo Decano como técnico: em 2006 e no biênio 2009-10.

– O Cerro Porteño teve dois empates na semana: 1 a 1 com Nacional e 2 a 2 com o Cerro Presidente Franco. Com os resultados o Ciclón é o sexto, com 12 pontos em 10 jogos.

Uruguaias

– Após cinco rodadas disputadas no Apertura uruguaio, apenas duas equipes não perderam: justamente os líderes da competição; Defensor Sporting e El Tanque Sisley. O Defensor empatou por 1 a 1 com o Juventud, enquanto o Tanque ficou também no 1 a 1 com o Cerro Largo. As duas equipes têm 11 pontos.

– O Nacional aparece na terceira posição, com dez pontos, após perder por 1 a 0 para o Cerro. O Peñarol empatou por 0 a 0 com Danubio e ocupa a sexta posição, com oito pontos.

Equatorianas

– No Segunda Etapa a rodada dupla deixou a LDU na ponta da tabela. A equipe de Quito venceu o Emelec por 1 a 0 no fim de semana e empatou por 0 a 0 com o El Nacional nesta quarta-feira. A LDU tem agora 24 pontos em 14 jogos, mesma pontuação e jogos que o Macará, que perdeu do Manta por 1 a 0 e que venceu o Olmedo pelo mesmo placar.

– Na terceira posição aparece o Barcelona, com 22 pontos, mas em 12 jogos após empate por 2 a 2 com o Independiente e vitória por 1 a 0 contra a Liga de Loja.

Venezuelanas

– No Apertura da Venezuela o Deportivo Anzoátegui segue invicto e liderando o campeonato. A equipe fez 3 a 1 no Atlético El Vigia e chegou a 20 pontos em oito jogos. O Anzoátegui, no entanto, é seguido de perto pelo Caracas, que ganhou da Portuguesa por 1 a 0 e que tem 19 pontos.

– O atual campeão Deportivo Lara é o quarto, com 16 pontos após vitória por 1 a 0 contra o Real Esppor.

Bolivianas

– Na Bolívia o The Strongest empatou por 2 a 2 com o Nacional Potosí, mas manteve a liderança, agora com 20 pontos em 11 jogos. Em segundo lugar está o San José, com 19 pontos em dez jogos depois de vencer o Petrolero por 4 a 3. O Jorge Wilstermann perdeu para o Real Potosi por 3 a 2 e é o terceiro, com 18 pontos.

– O Bolívar ganhou do La Paz por 3 a 1 e é o quinto, com 16 pontos, mas em apenas nove jogos.

Peruanas

– No Descentralizado o Sporting Cristal empatou por 1 a 1 com o Universitario, mas ainda mantém uma larga vantagem na liderança da Liguilla A. A equipe tem 72 pontos ante 55 do José Gálvez, que perdeu do Cienciano por 3 a 0.

– Na Liguilla B o Real Garcilaso lidera com 66 pontos após vencer o Alianza Lima por 3 a 0. A Universidad César Vallejo parou nos 63 após perder para o Melgar por 4 a 0. Faltam oito rodadas para a definição dos dois finalistas.

Mais deste colunista no @gabrieldudziak e no blog http://www.dynamodudziak.blogspot.com

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo