América do Sul

Seleção chilena dispensa Vargas e Medel após saída noturna

Os problemas extracampo seguem marcando a passagem de Claudio Borghi no comando da seleção do Chile. O técnico anunciou os cortes de Gary Medel e Eduardo Vargas por conta de uma saída noturna, às vésperas da partida contra a Venezuela, pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2014.

Segundo o treinador, ambos os jogadores deixaram a concentração para ir a uma discoteca em um dia livre dado para o elenco. No entanto, a história não foi bem aceita pela opinião pública do país, especialmente porque Medel se recupera de lesão. Bryan Rabello, do Colo Colo, e Nicolás Castillo, da Universidade Católica, foram chamados para substituir a dupla.

O treinador justificou sua decisão em coletiva: “A Gary, nos íamos fazer um teste para saber como está sua lesão. Creio que ele se submeteu a um risco desnecessário e preferi lhe dar descanso, já que não há nenhum tipo de sanção. Já Vargas foi à despedida de um jogador de um jogador da Universidad de Chile e, ao contrário de outros cinco jogadores, não cumpriu sua palavra comigo. Também não é uma sanção, mas está afastado desta partida”.

Este é o segundo problema disciplinar enfrentado por Borghi ao longo destas eliminatórias. O primeiro deles foi o episódio conhecido como “bautizazo”, ocorrido no final de 2011, quando cinco jogadores teriam retornado à concentração embriagados, após o batismo do filho de Jorge Valdívia. Destes, apenas Arturo Vidal foi reintegrado à seleção.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo