América do SulBrasilLibertadores

São Paulo cai para o Arsenal e se complica na Libertadores

O Arsenal já tinha deixado o São Paulo em uma situação desconfortável no Pacaembu. E complicou ainda mais a vida do Tricolor na Copa Libertadores em sua visita a Sarandí. Partida fraca tecnicamente dos brasileiros, que desperdiçaram algumas chances vitais. Os argentinos também perderam seus gols, mas conseguiram balançar as redes duas vezes e saíram com o valioso triunfo por 2 a 1.

O resultado deixa o Grupo 3 da Libertadores bastante embolado. São Paulo e Arsenal aparecem empatados com três pontos, mas a vantagem no saldo é dos paulistas. Um ponto atrás vem o Strongest, que recebe os são-paulinos na próxima rodada, em La Paz. A liderança isolada é do Atlético Mineiro, garantido nas oitavas de final.

Ney Franco surpreendeu já na escalação do São Paulo, ao apostar em uma formação 3-5-2, com Lúcio, Rafael Tolói e Edson Silva compondo trio de zaga. Nem isso garantiu a segurança defensiva dos brasileiros, que davam brechas demais aos argentinos. Logo aos seis minutos, Julio Furch ficou com o caminho escancarado e desperdiçou a chance ao errar o alvo. Pouco depois, seria a vez de Rogério Ceni fazer boa defesa em tentativa de Carlos Carbonero.

Do outro lado, o Tricolor respondeu também perdendo um gol feito, com Aloísio sendo parado por Cristian Campestrini já caído. A superioridade na etapa inicial, contudo, foi dos argentinos. Embora não tenham criado outras grandes chances, a equipe de Sarandí permaneceu dominando a posse de bola e rondando a área adversária. Já os são-paulinos apressavam demais as saídas para o ataque e acabavam errando a construção das jogadas.

O São Paulo voltou com outra postura para o segundo tempo. Pressionando a saída de bola, a equipe começou a finalizar mais. No entanto, encontrou uma barreira em Campestrini, que realizou três grandes intervenções em poucos minutos. Aos 11 minutos, Ney Franco tentou reforçar o ataque ao colocar Ganso e Maicon nos lugares de Lúcio e Douglas. Mas as mudanças desestruturaram o time, que perdeu ritmo e pagou caro.

Aos 20, Rogério Ceni até tentou salvar, mas o bombardeio do Arsenal acabou com o gol de Ortiz. O meio-campista apareceu livre na entrada da área para chutar forte e estufar as redes. Pelo menos a reação dos brasileiros não tardou, com o empate saindo seis minutos depois. Em contra-ataque, Aloísio precisou tentar duas vezes para vencer Campestrini e correr para o abraço.

Com as duas equipes buscando a vitória, o jogo permaneceu bastante aberto nos minutos finais. Rogério Ceni realizou milagre em batida de Furch, enquanto Carbonero errou o alvo por pouco. Aos 37, Aloísio perdeu chance incrível dentro da área, ao chutar fraco e ver Damián Pérez salvar em cima da linha. A punição viria segundos depois. Diego Braghieri pegou na veia da entrada da área e a bola ainda tocou na trave antes de entrar. Um golaço, o segundo do Arsenal. No fim, o desespero impediu o São Paulo de qualquer resposta.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo