América do Sul

Santa surpresa!

Dos 12 times que já fizeram dois jogos na Libertadores da América 2011, apenas três seguem com 100% de aproveitamento. O Cruzeiro, apontado como favorito ao título desde o início, o Junior de Barranquila, que surpreendeu o Grêmio, mas é cotado a pelo menos uma das duas vagas no grupo 2, e o Universidad San Martín, grande surpresa do torneio sul-americano até aqui.

Se há discussões sobre a qualidade dos times em outros grupos, competitivamente falando o grupo 1 é imbatível como “grupo da morte”. Afinal de contas, fazem parte da chave o Libertad, campeão do Clausura paraguaio, o Once Caldas, campeão do Finalizacion 2010, o próprio Universidad San Martín, campeão do Descentralizado peruano, e o San Luís, segundo colocado do Apertura mexicano.

Em um grupo com esse currículo e levando-se em conta o contexto das ligas locais, a equipe peruana seria considerada a mais fraca, mas vem fazendo ótimo papel. Em dois jogos tem seis pontos, cinco gols marcados e nenhum sofrido. A vitória por 2 a 0 conseguida sobre o San Luis em casa, na última terça-feira, mostrou a paciência e a força dos albos, que sofreram muito durante o primeiro tempo, mas voltaram na segunda etapa muito melhor, fazendo dois gols nos dez minutos finais. Méritos para a equipe e para o treinador Aníbal Maño Ruiz, que mexeu no meio do jogo, colocando o estreante Marinelli, autor de um gol e uma assistência.

Mais surpreendente ainda foi o resultado do San Martín na estreia da Libertadores. Um 3 a 0 inapelável contra o Once Caldas, em Manizalles. A equipe colombiana não perdia uma partida em casa pela Libertadores desde 1999, mas esse tabu não significou nada para os peruanos que, com ótima atuação do goleiro Favro e do volante Hinostroza, aguentaram a pressão do Once, e nos contragolpes chegaram à goleada. Alemanno e Herbert Arriola – duas vezes – marcaram os tentos.

Levando-se em conta a classificação do grupo depois das duas rodadas iniciais, a situação do San Martín é ainda mais positiva. Com o Libertad ocupando a segunda posição com quatro pontos, o Once Caldas em terceiro, com apenas um ponto, e o San Luis zerado, os Albos estão com a segunda posição da chave assegurada pelo menos até a quarta rodada da competição.

Assim, mesmo se perder do Libertad nos próximos dois jogos – resultados normais – o Universitario San Martin tem enormes chances de se classificar para as oitavas de final da Copa Libertadores com uma vitória diante do Once Caldas, desta vez em território peruano. A projeção se baseia no fato de que seria muito difícil os colombianos vencerem as três partidas que lhe restariam na competição, já que ainda terão que jogar – além do confronto ante o San Martín – com o San Luis, em casa e no México, e com o Libertad, no Paraguai.

Se tudo correr conforme o planejado, os Albos terão a chance de superar seu melhor desempenho na competição continental. Em 2009 a equipe peruana conseguiu uma histórica classificação para as oitavas de final, passando em segundo lugar em um grupo que tinha Nacional do Uruguai, River Plate, da Argentina, e Nacional do Paraguai. No mata-mata, contudo, o San Martin – pior segundo colocado, com oito pontos – enfrentou o Grêmio, dono da melhor campanha, e ficou pelo caminho. Ir além das oitavas, apesar dos prognósticos iniciais, é hoje um prognóstico possível e uma marca que seria histórica para um clube que completou recentemente sete anos de existência.

O substituto de Marcelo Bielsa

A Associación Nacional de Fútbol Profesional do Chile (ANFP) apresentou nesta semana o novo treinador da seleção chilena de futebol. Quem assume o cargo deixado por Marcelo Bielsa é Claudio Borghi, também argentino e campeão da Copa de 1986 como jogador. Apesar da curta carreira, sendo treinador desde 2003, Borghi já tem marcas importantes no curriculo. Em 2006, depois de boas campanhas com o Audax Italiano, assumiu o Colo Colo e faturou quatro títulos nacionais entre sua chegada e o final de 2007.

Depois de ficar um ano no Independiente, da Argentina, Claudio faturou o Clausura de 2010 com o Argentinos Juniors e na segunda metade do ano assumiu o Boca Juniors. No entanto, não teve uma passagem boa pelo lado xeneize; em 14 jogos foram sete derrotas, cinco vitórias e dois empates, desempenho que o levou a pedir demissão em novembro passado. Sem trabalhar desde então, Borghi assume agora La Roja com a responsabilidade de manter o nível futebolístico gerado durante a passagem de Marcelo Bielsa por lá. Em sua apresentação, o treinador não fez grandes promessas, limitando-se a dizer que “veremos se podemos aproveitar o bom momento chileno”.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo