América do Sul

Professores uruguaios

Marcelo Bielsa no Athletic Bilbao. Diego Simeone no Atlético de Madrid. Jorge Sampaoli na Universidad de Chile. Marcelo Gallardo, Julio César Falcioni, Jorge Burruchaga, Ricardo Gareca… A lista de treinadores argentinos de sucesso no mundo é extensa e não para de crescer. Seja pelo conhecimento obtido dentro dos gramados, seja pelo estudo detalhado das diversas facetas que envolvem o futebol, ou ainda pela habilidade de motivar os atletas, o fato é que os profissionais da Argentina estão em alta e cada vez mais cobiçados pelas grandes equipes do planeta. Na América do Sul um outro grupo de técnicos vem se destacando: o dos uruguaios.

O prestígio dos profissionais charruás começou a aumentar mais após a Copa do Mundo de 2010, quando Óscar Tabárez levou um limitado escrete da Celeste à semifinal do torneio. No ano seguinte, Tabárez ganhou a Copa América e foi eleito pelo IFFHS – que não é de muita credibilidade, mas que serve como exemplo – como o melhor treinador do mundo. Em 2012 uma série de acontecimentos trouxe ainda mais destaque para a “categoria”, sobretudo nas últimas semanas.

A começar pelo futebol paraguaio. No domingo Cerro Porteño e Olimpia decidiram o título do Apertura. No banco do Olimpia estava o uruguaio Gerardo Pelusso, bicampeão pelo Nacional de Montevidéu, campeão com o Alianza Lima e responsável por dar o título do Clausura 2011 ao próprio Olimpia, conquista que encerrou um jejum de 11 anos sem a taça paraguaia. No banco do Cerro Porteño estava o também uruguaio Jorge Fossati, campeão em seu país de origem com o Peñarol, campeão equatoriano, da Recopa e da Copa Sul-Americana com a LDU, campeão asiático com o Al-Sadd do Qatar e responsável por, digamos, 50% do título do Internacional na Libertadores de 2010.

No confronto, Pelusso estava em vantagem: o Olimpia precisava de apenas um empate para faturar o título. Fossati vinha com um time mais empolgado e em melhor fase, fruto do trabalho empregado por ele em meros 50 dias de trabalho. Dentro de campo, em meio a expulsões e tensões que só o maior clássico paraguaio é capaz de proporcionar, deu Cerro Porteño: 2 a 1. Festa da hinchada cerrista que pôde comemorar uma conquista após três anos de “seca”. Do outro lado, Pelusso ficou decepcionado com a derrota, mas também tinha motivos para celebrar. Na segunda-feira ele foi anunciado oficialmente como novo técnico da seleção do Paraguai. Caberá a ele a árdua tarefa de levar a equipe vice-lanterna das eliminatórias para a briga por uma das vagas no Mundial.

O Olimpia não ficou muitos dias sem técnico. Nesta quarta-feira o clube apresentou oficialmente Gregorio Pérez… Outro uruguaio. Pérez vem de um trabalho ruim no Peñarol, no qual teve muitos problemas para lidar com a falta de qualidade do elenco manya, mas ainda goza de prestígio em terras paraguaias. Afinal de contas, foi ele um dos principais responsáveis pelo título do Libertad no Clausura 2010, ano em que foi eleito o melhor técnico da temporada. Falando em Libertad… O Gumarelo não conta mais com os serviços do ótimo Jorge Burruchaga, mas já tem um substituto. Trata-se de Rubén Israel, mais um treinador nascido no Uruguai. O professor de 56 anos estava trabalhando com a seleção de El Salvador, mas deve sua fama ao próprio Libertad. Israel levou o clube às conquistas do Clausura 2007, da temporada do mesmo ano, além do Apertura e do Clausura de 2008.

E a fama dos treinadores nascidos no Uruguai não está restrita ao solo paraguaio. No Chile a Universidad Católica escolheu Martín Lasarte para guiar uma esperada retomada do bom futebol. Em seu currículo Lasarte tem um título da segunda divisão uruguaia com o Rampla Juniors, um bicampeonato da elite com o Nacional e a taça de campeão da segundona espanhola com a Real Sociedad. E como não poderia deixar de ser, no próprio Uruguai são eles que mandam. Se nada mudar nas próximas semanas, teremos 16 técnicos uruguaios no comando das 16 equipes da primeira divisão.

Com os argentinos em alta e os uruguaios em ascensão, resta saber quanto tempo levará para os clubes brasileiros, melhor estruturados e com mais recursos, darem de fato uma chance aos técnicos de fora. Fossati sofreu demais com o preconceito contra os “hispano-americanos” e não conseguiu terminar o trabalho. Juan Carrasco, por sua vez, teve um bom início no Atlético Paranaense, mas depois perdeu a mão e traiu suas próprias convicções de jogo. Mesmo assim, os melhores momentos do Furacão no ano foram sob sua tutela. Será que estes dois exemplos são o máximo que o futebol brasileiro se permite? E aproveitando… Argentinos, uruguaios… Quando teremos técnicos brasileiros fazendo trabalhos similares?

Mais uruguaias

– A seleção olímpica uruguaia fez nesta quarta-feira seu último amistoso antes dos Jogos de Londres. Os comandados de Óscar Tabárez venceram o time B do Chile por incríveis 6 a 4. Suárez (3x), Cavani (2x) e Abel Hernández fizeram os gols da Celeste

Mais paraguaias

Como já foi mencionado, o Cerro Porteño venceu o Olimpia e faturou seu 29º título nacional. A conquista marca o centenário do clube, que será comemorado no dia 1º de outubro.

Colombianas

Momentos de decisão no futebol cafetero. Nesta quinta-feira Santa Fe e Deportivo Pasto fizeram o primeiro jogo da final. Em partida disputada em Pasto, o 1 a 1 ficou de bom tamanho para as duas equipes. O jogo decisivo será disputado neste domingo.

Equatorianas

– O Barcelona terminou o Primera Etapa na liderança e assegurou uma vaga na decisão do título da temporada. A equipe de Guaiaquil vai enfrentar o vencedor do Segunda Etapa e procura encerrar um jejum de 15 anos sem títulos.

– A vitória, no entanto, já garantiu o Barcelona na Libertadores 2013.

Chilenas

O Apertura nem bem terminou e as equipes chilenas já estão jogando o Clausura. Nesta primeira rodada somente dois times venceram: Colo Colo e Palestino. Ambos lideram o campeonato com três pontos. A Universidad Católica foi derrotada pelo próprio Palestino, enquanto Universidad de Chile e O'Higgins, campeão e vice do Apertura, só estreiam no domingo e segunda-feira.

Peruanas

O Descentralizado peruano tem novo líder. Trata-se do Real Garcilaso, que venceu o Juan Aurich por 1 a 0 e que chegou a 42 pontos em 22 jogos. O Sporting Cristal é o segundo, após a vitória por 3 a 2 contra a Universidad César Vallejo, que caiu para a terceira posição.

Mais deste colunista no www.dynamodudziak.blogspot.com e no @gabrieldudziak 

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo