América do Sul

Pela Chapecoense, o Colo-Colo soltou centenas de balões verdes aos céus de Santiago

A corrente de solidariedade que se fortalece em torno da Chapecoense ganhou o apoio do Colo-Colo nesta quarta. O Cacique, aliás, ressalta a sua própria identidade e reencontra a sua história. Em 1987, 43 pessoas faleceram em um acidente aéreo no Peru, com o avião que transportava o time do Alianza Lima. Para auxiliar os vizinhos, os chilenos emprestaram quatro jogadores de seu elenco profissional. Desde então, os dois clubes passaram a sustentar uma relação de irmandade. E a boa vontade dos colo-colinos se manifestou outra vez no Estádio Monumental.

O Colo-Colo recebe a Universidad Católica, em partida válida pela Copa do Chile. Antes do início do jogo, centenas de balões verdes se espalharam nas arquibancadas, em referência à Chape. Uma homenagem aconteceu no centro do gramado, com apresentação de um cantor de ópera entoando uma versão de ‘Ave Maria’, que emocionou bastante os presentes. Logo depois, os balões ganharam os céus de Santiago. De arrepiar.

Os jogadores das duas equipes ainda usam faixas pretas nos braços, enquanto a braçadeira da Católica é verde. O confronto segue em andamento.

colo

uni

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo