América do Sul

Os atacantes não perdoaram e o Uruguai atropelou a Colômbia com uma ótima vitória em Barranquilla

Muito do sucesso do Uruguai nos últimos anos foi pautado em seu ataque. Afinal, contar com uma dupla formada por Luis Suárez e Edinson Cavani é um luxo à Celeste. Os dois matadores engatam o final de suas carreiras, mas continuam efetivos e fizeram a diferença nesta sexta-feira de Eliminatórias, acompanhados por um dos prováveis herdeiros. Com um gol de Cavani, outro de Suárez e o último anotado pelo promissor Darwin Núñez, os uruguaios conquistaram um excelente resultado ao baterem a Colômbia por 3 a 0, dentro do Estádio Metropolitano Roberto Meléndez. É a recuperação dos charruas nas Eliminatórias.

O Uruguai contou com a volta da dupla formada por Luis Suárez e Edinson Cavani em seu ataque, após a ausência do novo centroavante do Manchester United na última convocação. Destaque também ao jovem quarteto de meio-campistas, composto por Nahitan Nández, Lucas Torreira, Rodrigo Bentancur e Nicolás de la Cruz. Já a Colômbia apostava no trio de ataque alinhado com James Rodríguez, Duván Zapata e Luis Muriel. Prometia-se um jogo de artilharias pesadas em Barranquilla.

Com apenas cinco minutos, a Colômbia presenteou o Uruguai com o primeiro gol. Yerry Mina saiu jogando errado e Nández roubou a bola de Jefferson Lerma. O meio-campista acionou Cavani e o centroavante bateu no canto, tirando de David Ospina. Era a tranquilidade necessária para a Celeste. Os Cafeteros tinham a iniciativa, mas com dificuldades para criar. James até assustou num chute para fora, aos 11. Aos 25, Ospina evitaria o segundo, ao espalmar o chute de Bentancur e ainda tirar o rebote dos pés de Cavani. Mas a posse de bola era dos colombianos, que buscavam Zapata, sem encontrar espaços para finalizar. Carlos Queiroz chegou a trocar Wilmar Barrios por Luis Díaz, dando mais ofensividade ao time, sem grandes efeitos.

O Uruguai voltou ao segundo tempo também com mudança, apostando na entrada de Darwin Núñez no lugar de De La Cruz. A Colômbia começou melhor, levando mais perigo. Martin Campaña precisou trabalhar num passe perigoso de Juan Guillermo Cuadrado e salvou logo depois uma cabeçada de Zapata. Todavia, a reação dos Cafeteros esfriou quando um pênalti foi marcado a favor da Celeste. A partir de um contra-ataque, Bentancur foi derrubado na área por Jeison Murillo e, na cobrança, Luis Suárez balançou o barbante.

O segundo gol esfriou a Colômbia, que mantinha o controle da bola, mas não do jogo. Queiroz tentou mais uma vez dar gás ao seu ataque com as substituições, mas os anfitriões pouco criavam. E o Uruguai arrematou a vitória aos 28, num lindo lance de Darwin Núñez. O atacante arriscou o chute de longe e mandou a bola no canto, sem qualquer chance a Ospina. A partir de então, o jogo ficaria arrastado, sem que o Uruguai precisasse forçar e com a Colômbia já batida. Ainda assim, deu tempo para Mina ser expulso, ao subir com o braço levantado em disputa pelo alto com Darwin Núñez.

O Uruguai se recupera da derrota para o Equador na rodada anterior e chega aos seis pontos nas Eliminatórias. Já a Colômbia fica pelo caminho, com quatro pontos, perdendo embalo desde a boa estreia contra a Venezuela. Na próxima terça, a Celeste recebe o Brasil no Centenário. Missão difícil tal qual a dos Cafeteros, que viajam a Quito para encarar o Equador.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo