América do SulLibertadores

Oásis no deserto da omissão

Quando o boliviano Kevin Beltrán veio ao mundo, em 1999, o paraguaio Nicolás Leoz Almirón já era presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol há 13 anos. Beltrán viveu pouco mais do que este tempo. No dia 20 de fevereiro de 2013 o morador de Cochabamba, que viajou mais de 230 quilômetros e subiu a montanha para acompanhar o time do coração, morreu atingido por um artefato atirado pela torcida do Corinthians. O projétil se chocou contra o olho direito do menino de 14 anos e provocou uma hemorragia incontrolável e um fim abrupto de uma vida que mal pôde ser desfrutada. Em 2013 Leóz fará 85 anos, sendo 27 deles como presidente da Conmebol. A morte deste jovem torcedor, no entanto, talvez tenha mexido com algo há muito tempo inerte no dirigente e em seus asseclas que decidiram, enfim, agir. Na noite desta quinta-feira a Confederação puniu o clube brasileiro.

De acordo com parecer divulgado no site oficial da entidade, o Corinthians terá que jogar todas as suas partidas sem torcida, dentro e fora de casa, até que haja uma decisão a respeito do tema. A medida, porém, é cautelar e tem prazo de 60 dias. Ou seja, pode ser modificada a qualquer momento e revertida – ou agravada – após a conclusão das investigações. Independentemente do que vá ocorrer depois, o movimento da entidade é um oásis em meio às sucessivas omissões em casos de violência no futebol do continente.

Há exemplos e mais exemplos de incidentes com potencial de tragédia que passaram completamente impunes nos últimos anos. Eles vão desde o surrealismo do destacamento de policiais com escudos para garantir a segurança dos cobradores de escanteio até o absurdo de uma equipe abandonar uma final de campeonato alegando ter sido ameaçada por arma de fogo, passando, é claro, pelas recorrentes pancadarias entre jogadores. Em todos estes incidentes a Confederação adotou o mesmo procedimento: penas brandas ou total ausência de punição. O caso envolvendo Tigre e São Paulo, por exemplo, não foi julgado e nenhum dos dois clubes sofreu qualquer sanção até hoje, nem mesmo de forma preventiva.

A importância de tais apurações e atitudes é essencialmente uma: a tentativa de que atos de violência envolvendo o futebol nunca mais aconteçam. No entanto, este não é apenas um debate sobre culpados, justiça e precedentes. Quando os jogos do mais importante campeonato da América do Sul ganham o mundo pela morte de um torcedor e pela troca de agressões entre jogadores, quando uma final de torneio não termina por suposta falta de segurança e quando há a certeza de que nada será feito, todos os clubes do continente perdem. Afinal de contas, essa imagem de bagunça, de descontrole e de impunidade impacta diretamente na qualidade do “produto”, que no caso é o futebol sul-americano.

Um patrocinador master de competição não vai querer se arriscar tanto para estampar a marca em algo sem garantias de organização mínima. Uma televisão estrangeira que tenha interesse em transmitir os jogos daqui não vai se comprometer com um jogo de apenas 45 minutos. Um investidor estrangeiro interessado em aportar capital em um clube do continente não vai fazê-lo em meio à insegurança jurídica de uma competição. Ou seja, a partir do momento em que a Confederação pune e fiscaliza as ilegalidades ela está não somente zelando pela segurança, mas também melhorando a própria qualidade do futebol daqui.

Por tudo isso a Conmebol tomou a decisão certa, embora ainda falte ser definida a responsabilidade do San Jose no caso. Porém, o mais importante é que tomou uma decisão. Ao que tudo indica Kevin Beltrán não morreu à toa… Que o dia 20 de fevereiro de 2013 fique marcado na memória de todos.

Copa Libertadores 2013

Grupo 1: A remontada do Nacional frente ao Toluca foi digna de nota. Já são duas viradas no grupo 1 e quatro pontos em dois jogos. O grupo segue bastante disputado.

Grupo 2: O Libertad mostrou muita autoridade na vitória contra o Tigre. Os argentinos pouco ameaçaram e os paraguaios mostraram intensidade e inteligência no confronto.

Grupo 3: O The Strongest cumpriu a lição de casa e pode complicar a chave. A derrota do São Paulo para o Galo foi normal.

Grupo 4: O Emelec jogou bem em Montevidéu, mas o Peñarol foi mais copero e venceu sua segunda partida no torneio. O Vélez recuperou a autoridade após o 3 a 0 no Iquique e a chave segue muito parelha.

Grupo 5: O Millonarios tentou a muito custo quebrar a defesa montada pelo Tijuana, mas os mexicanos souberam se posicionar e contra-atacar, vencendo a partida. O San José fez um bom segundo tempo e mereceu o empate contra o Corinthians.

Grupo 6: O Cerro Porteño é até aqui a grande decepção da Copa Libertadores. São dois jogos, duas derrotas e um péssimo futebol. O Garcilaso já se coloca em condições de brigar pela vaga, enquanto o Tolima está bem na fita com seus quatro pontos.

Grupo 7: A Universidad de Chile provou do próprio veneno, sofreu com a marcação sob pressão do Olimpia e nada fez em terras paraguaias. A derrota por 3 a 0 foi justa e acende o alerta. Alerta também pro Newell’s que foi superado pelo Deportivo Lara.

Grupo 8: O Grêmio mostrou autoridade para vencer o Fluminense no Rio de Janeiro e ajudou a embolar toda a chave com a vitória do Caracas por 3 a 1 sobre o Huachipato.

Equatorianas

No Equador o domínio do Primera Etapa é todo do Emelec, que após a vitória por 2 a 1 contra a LDU chegou a 12 pontos em quatro jogos, com 12 gols marcados e dois sofridos. Os Eléctricos são seguidos pelo Deportivo Quito, que fez 3 a 1 no Nacional e que soma agora oito pontos. O atual campeão Barcelona tomou uma sapecada de 5 a 2 do Independiente José Terán e é o 10º.

Colombianas

Cinco times dividem a liderança do Apertura com sete pontos em três jogos. O Atletico Nacional está na frente pelo saldo de gols após triunfo por 4 a 0 contra o Alianza Petrolera. Cúcuta, Millonarios, Deportivo Pasto e Deportivo Cali aparecem na sequência.

Chilenas

– No Torneo Transición a Universidad Católica tem dado as cartas. Depois de vencerem o Antofagasta por 4 a 2, os Cruzados chegaram a dez pontos em quatro jogos. A Unión Española aparece na segunda posição com nove pontos, seguida pelo O’Higgins e pela Unión La Calera, que têm a mesma pontuação.

– O Colo-Colo venceu o Santiago Wanderers por 1 a 0 e agora é o oitavo com seis pontos em quatro jogos. Já a Universidad de Chile empatou por 1 a 1 com o Everton e é apenas a 14ª com quatro pontos em três jogos.

– Lembrando que o Transición não terá mata-mata e que o melhor do turno será coroado campeão.

Venezuelanas

Na Venezuela a quantidade de jogos de cada equipe criou distorções na tabela. O Trujillanos lidera o Clausura 2013 com 14 pontos em sete jogos após vitória contra o Monagas. O Deportivo Anzoátegui é o segundo, com 13 pontos, mas em cinco jogos, depois de triunfar contra o Atlético Venezuela. O Táchira é o terceiro, com dez pontos, seguido pelo Deportivo Lara e pelo Real Esppor, que também têm 10 pontos ganhos.

Paraguaias

– No Apertura do Paraguai o Guaraní venceu o Deportivo Capiatá por 5 a 0 e lidera o torneio, com quatro pontos em dois jogos. Sol de América, que ficou no 0 a 0 com o Sportivo Luqueño, e Libertad, que ganhou do Rubio Ñu por 2 a 1, aparecem na sequência com a mesma pontuação.

– O Cerro Porteño empatou por 1 a 1 com o Sportivo Carapeguá e tem agora um ponto em dois jogos. O Olimpia não jogou e segue também com um ponto em um jogo.

Bolivianas

– Na Bolívia o Oriente Petrolero lidera após a vitória por 3 a 0 sobre o Universitario. O time de Santa Cruz de la Sierra tem 18 pontos em oito jogos contra 17 do próprio Universitario. O Jorge Wilstermann aparece na terceira posição com 15 pontos após empate por 1 a 1 com o Real Potosí. Já o Bolívar também tem 15 pontos, mas em apenas seis jogos.

– O The Strongest venceu o Petrolero por 4 a 1 e ocupa agora a 10ª posição, com cinco pontos em seis jogos.

Peruanas

No Descentralizado o Real Garcilaso é o único time com 100% de aproveitamento. Após a vitória por 1 a 0 contra o Cienciano, a equipe de Cuzco chegou a seis pontos em dois jogos. Na segunda posição aparecem Inti Gas, Alianza Lima, Pacífico e Universitario, todos com quatro pontos.

Uruguaias

– Depois de um longo tempo sem atividade, o campeonato uruguaio será retomado neste fim de semana com o torneio Clausura. O Peñarol enfrenta o Fénix e o Nacional encara o Defensor Sporting.

– Após o anúncio de que não teria condições de disputar o campeonato por causa de questões financeiras, o Bella Vista pagou parte da dívida e a princípio entrará em campo.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo