América do SulBrasilLibertadores

O resultado não satisfez, mas Calleri já deu um ótimo cartão de visitas ao São Paulo

Em um início de temporada no qual as perdas foram muito maiores do que os ganhos no futebol brasileiro, Jonathan Calleri surgiu como uma das contratações mais interessantes. O atacante de 22 anos está apenas de passagem pelo São Paulo. Mas, por aquilo que já demonstrou com a camisa do Boca Juniors, se indicava como um ótimo acréscimo. E precisou de poucos minutos para justificar as expectativas. O Tricolor não conquistou o resultado sonhado na visita à Universidad César Vallejo, no Peru. Ainda assim, o argentino garantiu o empate por 1 a 1 para os paulistas, evitando um cenário mais ameaçador para o jogo de volta da primeira fase da Copa Libertadores.

O São Paulo jogou pela vitória em sua estreia na competição continental. Mesmo sendo os visitantes, os tricolores tiveram boa iniciativa. Pararam na trave, por duas vezes – e, no caso de Alan Kardec, também no erro da arbitragem, que não viu a bola ultrapassar a linha no gol legítimo do atacante. Contudo, a resposta dos peruanos foi a mais dura possível. Alejandro Hohberg acertou um chute espetacular de fora da área, no ângulo de Denis, para anotar um golaço. Esfriou os são-paulinos e escancarou o nervosismo da equipe, que dava algumas brechas na defesa. Enquanto isso, o César Vallejo se empenhava na marcação, conseguindo neutralizar as investidas tricolores pelo lado esquerdo, com Michel Bastos e Mena.

O panorama do jogo só mudou para o São Paulo no segundo tempo. E a entrada de Calleri serviu bastante nesse sentido. O argentino exagerou na força logo de cara, recebendo um cartão amarelo. Mas não era afobação, e sim vontade. A partir do lançamento de Ganso, bem no jogo, o atacante demonstrou grande frieza para encobrir o goleiro Libman e buscar o empate aos 21 minutos do segundo tempo. Pode não ter sido tão efetivo no restante do tempo, mas contribuiu para a intensidade ofensiva do Tricolor. Em meio ao bombardeio na reta final do jogo, o César Vallejo deu sorte em não sair derrotado.

Se o empate não dá maiores garantias ao São Paulo, ao menos não traz uma pressão exagerada para o reencontro no Pacaembu. O time de Edgardo Bauza pode até empatar sem gols que avança à fase de grupos. Porém, sem o susto do tropeço que se desenhou no primeiro tempo em Trujillo, os são-paulinos já demonstraram a sua superioridade diante do adversário. Em teoria, vencer em casa não deve ser tanto problema assim – ainda que a equipe não deva perder a concentração, diante dos erros de finalização e de cobertura que poderiam ter custado mais caro nesta quarta.

Calleri, por sua vez, ainda tem um longo caminho pela frente. Mas o primeiro passo não poderia ser melhor. O atacante começou contribuindo com sua qualidade técnica e a sua mobilidade, e também demonstrando que gana não será problema, apesar do curto contrato com os tricolores. Versátil, tende a ser uma peça bastante útil na montagem do ataque. E com a estrela de quem já estreou fazendo gol em plena Libertadores.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo