América do Sul

O Peñarol completa o serviço após levar o Clausura e se sagra campeão uruguaio de 2021

O Peñarol precisava vencer o Plaza Colonia, ganhador do Apertura, para garantir o título antecipado e fez isso nos pênaltis

O Peñarol soltou o grito de campeão pela segunda vez num intervalo de quatro dias, e agora para se proclamar em definitivo como novo vencedor do Campeonato Uruguaio. No sábado, os aurinegros comemoraram o título do Clausura, uma conquista simbólica que vale apenas vaga na semifinal anual da liga local, com seu intrincado regulamento. Nesta terça, os carboneros enfrentaram o Plaza Colonia, ganhador do Apertura, em jogo único para decidir quem passaria à decisão da competição. Porém, como o Peñarol teve a melhor pontuação na tabela geral, seria automaticamente campeão com um triunfo no Estádio Centenário, enquanto o Plaza forçaria mais dois jogos finais contra os gigantes se vencesse dessa vez. O time de Mauricio Larriera acabou por antecipar o serviço e assegurou o troféu sem a necessidade dos novos embates. Depois do empate por 1 a 1 nos 120 minutos, a vitória veio nos pênaltis, com a virada por 8 a 7. Os manyas não levavam a taça desde 2018.

A temporada do Peñarol não começou tão empolgante assim, com uma campanha razoável no Torneio Apertura. Os aurinegros sofreram apenas uma derrota, mas empataram em demasia e acabaram na terceira posição, oito pontos atrás do campeão Plaza Colonia. Em compensação, a equipe desempenhava uma ótima caminhada na Copa Sul-Americana, ao disparar na fase de grupos e chegar até as semifinais. Esse momento de alta se refletiu no Clausura, com o título assegurado em disputa apertada contra o rival Nacional. De novo, os carboneros só perderam um jogo, mas foram mais contundentes com nove vitórias.

O ápice da campanha aconteceu no sábado, durante a rodada final do Clausura. Diante de 40 mil torcedores no Estádio Campeón del Siglo, o Peñarol precisava de uma vitória simples contra o vice-lanterna Sud América. Todavia, mesmo com um jogador a mais desde o primeiro tempo, os aurinegros cederam o empate a 20 minutos do fim. Neste momento, com a vitória parcial do Nacional no jogo paralelo, os tricolores iam forçando um jogo-desempate para definir o campeão do Clausura e ainda se garantiam na final anual, com a liderança da tabela geral. O desafogo do Peñarol aconteceu somente depois dos 49 do segundo tempo, quando o volante Jesús Trindade marcou dois gols (um deles do meio do campo) e decretou a vitória por 3 a 1. Com isso, os carboneros levavam a taça do Clausura e ainda tomavam a liderança da tabela geral, encerrando as chances de um tricampeonato para o Nacional.

Com a confiança lá no alto, o Peñarol encarou o Plaza Colonia nesta terça-feira, dentro do Centenário. Os Patas Blancas ficaram apenas na nona colocação do Clausura e, para se classificarem à decisão do Campeonato Uruguaio contra os próprios aurinegros, dependiam do triunfo na semifinal desta noite. O primeiro tempo seria dominado pelo Peñarol, que parou no goleiro Santiago Mele. Assim, aos 35 minutos, o Plaza abriu o placar num pênalti convertido por Renzo López. O empate manya ao menos demorou apenas quatro minutos. Após um lançamento primoroso de Walter Gargano, Agustín Álvarez Martínez ajeitou com qualidade e Facundo Torres bateu no canto.

O segundo tempo continuou controlado pelo Peñarol, enquanto o Plaza Colonia confiava nos contra-ataques e nas bolas paradas. As melhores oportunidades seguiam com os aurinegros, sem sucesso para vazar Mele outra vez. O placar seguiu inalterado ao final dos 90 minutos, com a necessidade da prorrogação. E os carboneros continuaram incapazes de converter seu domínio em gols, com outras defesas salvadoras de Mele. Só no fim é que o Plaza poderia cometer o crime com Juan Cruz Mascia, mas Gary Kagelmacher travou. Desta maneira, a definição iria para a marca da cal.

A disputa por pênaltis começou com os dois times convertendo suas cobranças. Na segunda série, porém, a catimba do goleiro Mele deu certo e ele defendeu o tiro do aurinegro Damián Musto. Kevin Dawson não ia bem na meta do Peñarol, mas contou com a sorte quando Yvo Calleros isolou o quarto chute do Plaza. O empate se manteria ao final da série normal e persistiria nas alternadas. A conclusão aconteceu apenas na nona cobrança de cada time. Emilio Zeballos mandou por cima do travessão de Dawson e Nicolás Gaitán bateu com categoria para selar a festa do Peñarol.

Um dos personagens principais na conquista do Peñarol é o técnico Mauricio Larriera. Com uma carreira modesta como jogador, iniciou seus trabalhos na casamata como assistente de Gerardo Pelusso. A partir de 2013 ele começou seu voo solo, mas dirigiu apenas equipes médias do Uruguai e de outros países sul-americanos. A credencial para assumir o Peñarol veio após um bom trabalho à frente do Montevideo Wanderers. Ainda assim, alguns acusavam que o comandante de 51 anos não tinha lastro suficiente para dirigir um gigante como o aurinegro. Foi bancado pelo lendário Pablo Bengoechea, campeão como jogador e técnico, que agora ocupa o posto de diretor. Larriera acabou colocando ordem na casa depois de períodos instáveis nos últimos anos e levou a taça, com méritos especialmente pela maneira como aproveitou jovens atletas.

A marca deste Peñarol está exatamente nos seus novos talentos. O centroavante Agustín Álvarez Martínez empilhou gols pelo clube, muito bem apoiado pelo ponta Facundo Torres. O momento era tão positivo que os dois passaram a frequentar as convocações mais recentes da seleção uruguaia. Outro que rendeu em alto nível foi o ponta Agustín Canobbio, de 23 anos, criado pelo Fénix e levado pelos carboneros em 2018. Chegou a enfrentar um caso de doping, mas terminou absolvido e foi instrumental principalmente nesta reta decisiva.

Entre os veteranos, o capitão Walter Gargano foi imprescindível ao sucesso e adicionou mais um troféu à sua lista, depois de ter sido destaque em 2018. Gary Kagelmacher liderou a defesa e Pablo Ceppelini ofereceu qualidade na ligação, enquanto Nico Gaitán, mesmo esquentando o banco durante grande parte do Clausura, virou herói do título. Vale mencionar ainda o goleiro Kevin Dawson e o lateral Giovanni González, outros dois reconhecidos recentemente com convocações à seleção uruguaia.

O Peñarol pode estar distante de seus melhores tempos, mas se garantiu na fase de grupos da Libertadores mais uma vez e tentará reproduzir o sucesso da Copa Sul-Americana de 2021. A conquista do título ainda ajudou o Nacional, que também vai para a fase de grupos, como dono da segunda melhor pontuação geral do Campeonato Uruguaio. Como vencedor do Apertura, o Plaza Colonia precisará disputar as fases preliminares, em sua primeira aparição no torneio continental. Outro estreante será o Montevideo City Torque, dono da quarta pontuação geral e igualmente nas preliminares.

Já na tabela histórica, segundo suas contas, o Peñarol alcança os 51 títulos nacionais. O número é contestado pelo rival Nacional e por alguns historiadores, que excluem os cinco troféus levados pelo CURCC, agremiação que deu origem aos aurinegros e que se dissolveu em 1913. Fato é que, se a conta dos tricolores for levada em consideração, o Nacional segue à frente do Peñarol, com 48 taças a 46. O que não apaga em nada o orgulho dos manyas por sua grandeza histórica e também por seu feito mais recente, sobretudo por impor a frustração aos maiores rivais no desfecho emocionante do Clausura.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo