América do SulArgentinaLibertadores

O épico também vivido pelos 2 mil fanáticos do Atlético Tucumán que invadiram o Atahualpa

A história ensandecida vivida pelo Atlético Tucumán nesta terça possui vários pontos de vista. Do elenco argentino, que encarou tamanho descaso para arrancar a classificação heroica. Também do El Nacional, pressionado pela Conmebol para permanecer em campo, quando o regulamento lhe daria direito ao WO. E dos torcedores fanáticos pelo clube argentino, que merecem aplausos. Em seu primeiro jogo como visitante na história da Libertadores, os albicelestes promoveram uma verdadeira invasão no Estádio Atahualpa. Epopeia que possui os seus contornos próprios – incluindo aqueles que não puderam ter a mesma “sorte” de seu time na viagem.

VEJA TAMBÉM: Em noite totalmente insana, Tucumán completa sua epopeia com uma classificação para a história

A paixão pelo Atlético Tucumán já havia sido escancarada na partida de ida, em noite febril nas arquibancadas do Estádio José Fierro. Mas fanático que é fanático abraça o time até as últimas consequências. Por isso mesmo, a multidão rumou a Quito para apoiar seus jogadores. Mais de dois mil argentinos compraram ingressos para assistir ao jogo decisivo no Equador. Não à toa, em meio aos apelos para que o duelo não fosse cancelado, o embaixador argentino na capital destacou justamente o esforço dos albicelestes: “Teve gente que veio de carro de longe para ver o jogo. Em nome do povo argentino, peço que nos esperem. Em nome dos 2,3 mil torcedores argentinos que estão no estádio”.

Durante os últimos dias, os tucumanos fizeram sua presença ser sentida em Quito. Realizaram até mesmo um “banderazo” na Praça Forch, um dos principais pontos turísticos da cidade equatoriana, na véspera da partida. Já no Atahualpa, os albicelestes encheram o setor visitante. Fizeram muita festa quando os seus jogadores chegaram ao estádio, enquanto também promoveram um recebimento digno para motivar o time que já havia enfrentado tantos problemas. Ao final, o apoio incondicional foi reconhecido pelos atletas, que comemoraram a façanha juntamente com sua hinchada.

Infelizmente, nem todos os torcedores do Atlético Tucumán que viajaram ao Equador conseguiram compartilhar o épico nas arquibancadas. Cerca de 100 albicelestes também estavam no avião fretado que levaria o elenco a Quito, mas acabou barrado. Enquanto o clube encontrou uma solução urgente aos seus jogadores, os fanáticos tiveram que acompanhar pela televisão, de Guayaquil. Além disso, um grupo de 58 argentinos foi parar (segundo eles, por erro da companhia) no aeroporto de Santa Rosa, a mais de 600 quilômetros do Estádio Atahualpa. Também precisaram ver a noite histórica de sua equipe à distância.

Já em San Miguel de Tucumán, a euforia tomou as ruas depois da classificação. Dezenas de torcedores se dirigiram ao Estádio Monumental, antes de rumarem em caravana até a Praça Independência, a principal da cidade. Festa que varou a madrugada e gerou confusão até mesmo com a polícia. Agora, é ver como será a recepção aos jogadores quando desembarcarem na cidade. Momento histórico que deverá contar com uma convulsão coletiva em azul e branco.

 

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo