Libertadores

Retorno de Bruno Henrique impulsionou o Flamengo a sair em vantagem na semifinal da Libertadores

O atacante retomou o entrosamento com Gabigol imediatamente e marcou os dois da vitória por 2 a 0 no Maracanã

Não é que o Flamengo teve dificuldade para fazer gol enquanto Bruno Henrique esteve machucado. Fez quatro no Santos, três no Palmeiras, mais dois no Grêmio. Michael e Vitinho corresponderam. Mas claro que ele fez falta. E seu retorno como titular, nesta quarta-feira, impulsionou o Flamengo à vitória por 2 a 0 sobre o Barcelona de Guayaquil, nesta quarta-feira, no Maracanã.

Bruno Henrique teve outros problemas físicos nesta temporada. Perdeu duas semanas em julho por desconforto na coxa esquerda. Na goleada contra o Grêmio, pela Copa do Brasil, sofreu uma lesão na mesma região da outra perna. Mas de qualquer maneira é o vice-artilheiro do Flamengo na temporada, agora com 15 gols, e é também o segundo na tabela de goleadores do Campeonato Brasileiro, um tento atrás de Edenílson – que marcou nove.

Foi esse poder de finalização que o Flamengo teve de volta após um mês de tratamento. Começou no banco de reservas no fim de semana e entrou no lugar de Éverton Ribeiro, na metade do segundo tempo, mas não mudou o panorama da derrota por 1 a 0 para o Grêmio. Após recuperar um pouco de ritmo, foi imediatamente escalado como titular nesta quarta-feira no Maracanã, pelo lado esquerdo do ataque rubro-negro.

Um começo perigoso do Barcelona exigiu defesas importantes de Diego Alves, mas o entrosamento fantástico entre Gabigol e Bruno Henrique não demorou muito tempo para ser reatado. Aos 20 minutos, Gabigol cruzou pela direita, e Henrique apareceu na segunda trave para cabecear cruzado e abrir o placar para o Flamengo. Pouco depois, quase outro gol entre a dupla. O centro de Gabigol saiu da esquerda, e a cabeçada de Henrique carimbou o travessão.

Após Andreas Pereira também acertar a trave de cima, Bruno Henrique marcou o segundo. Gabigol esteve novamente envolvido na jogada, mas a assistência foi de Vitinho, que recebeu pela direita, dentro da área, e cruzou para Henrique apenas empurrar às redes. Construiu uma vantagem importante para o Flamengo em um primeiro tempo em que correu riscos. A expulsão de Molina, pouco antes do intervalo, indicou mais facilidade para o segundo tempo.

Não foi bem assim, na prática. Mesmo com um a mais, o Flamengo não conseguiu controlar a etapa, e Bruno Henrique pareceu sentir o tempo afastado. Estava com menos gás, mas ainda quase completou a sua tripleta, aos 16 minutos. Byron Castillo conseguiu bloquear. Aos 35 minutos, foi substituído por Michael e assistiu do banco de reservas aos companheiros lidando com a tentativa de reação do Barcelona, alimentada pela expulsão de Léo Pereira, a dois minutos do fim.

A vitória foi assegurada. E daqui para a frente, a menos que haja novos problemas físicos, a tendência é que Bruno Henrique apenas melhore, recuperando ritmo de jogo e se encaixando ainda mais no time de Renato Gaúcho. Ainda na briga pelos principais títulos da temporada, o flamenguista sabe muito bem que precisará dele para ter o máximo de sucesso possível.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo