Libertadores

Respirando futebol: dez passeios futebolísticos para se fazer em Montevidéu

Listamos uma série de atrações que podem ser interessantes aos torcedores brasileiros em Montevidéu

Impossível falar de futebol sul-americano sem associá-lo ao povo uruguaio e à garra celeste. Com aproximadamente 1,4 milhão de habitantes, a capital Montevidéu é o berço das Copas do Mundo e reúne uma porção de clubes tradicionais. Palco das três grandes finais continentais em 2021, a capital uruguaia recebe milhares de brasileiros nestes oito dias repletos de futebol. Preparamos uma lista com dez lugares indispensáveis para o roteiro dos amantes de futebol:

Centenário, o templo sagrado 

Se a FIFA o considera “Monumento Histórico do Futebol Mundial”, creio que isso já sirva de motivo para uma visita. Construído para a Copa de 1930, o Estádio Centenário é a primeira indicação de qualquer uruguaio quando o assunto é ponto turístico de futebol. E não à toa. Além de ser um lindíssimo estádio, é a casa da seleção uruguaia e abriga o Museu do Futebol, inaugurado em 1975. 

Localizado no coração de Montevidéu, próximo ao monumento “Obelisco aos Constituintes” e ao lado do Parque Batlle, o lendário estádio é parada obrigatória para os amantes do futebol. Além de toda a bagagem histórica, foi o principal estádio da Copa de 1930 e recebeu a grande decisão que deu o título ao Uruguai. Sua capacidade atual é de aproximadamente 60 mil pessoas e é o estádio que mais recebeu partidas de Libertadores na história, com 417 confrontos, sendo 20 finais. O maior artilheiro do Centenário em jogos de Libertadores é Alberto Spencer, atacante equatoriano, com 37 gols. 

A visão do campo (Foto: Giancarlo Santorum / Trivela)

Museu do Futebol

Grandes memórias da Copa de 1930 e 1950, e do início da história do futebol estão no ‘Museo del Fútbol’. Recheado de itens memoráveis do futebol, como bolas, camisas, chuteiras, bandeiras e troféus (incluindo as taças das Copas de 1930 e 1950), o Museu fica nas dependências do Estádio Centenário e funciona de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h. É possível agendar e realizar um tour guiado no Museu, mergulhar nas raízes do futebol uruguaio e conhecer as arquibancadas do Estádio Centenário. 

O espaço, que conta com mais de 3 mil metros quadrados, também possui sala de projeção, auditório e loja de lembrancinhas. Para os colecionadores de camisas de futebol, o acervo conta com mantos utilizados há 100 anos, totalmente conservados. O valor da entrada é de, aproximadamente, R$ 30 e pode variar conforme a data da visita e o câmbio vigente. 

Foto: Reprodução / AUF

Luis Franzini

Para quem gosta de história, política e futebol, o Estádio Luis Franzini é parada obrigatória em Montevidéu. A casa do Defensor Sporting Club foi inaugurada em 1963 e, mais de uma década depois, foi palco da luta contra o regime militar. Diferentemente de muitos clubes, que deixam a desejar quando o assunto é posicionamento político, em 1976 a equipe violeta comandada por José Ricardo de Léon se tornou uma referência de resistência e combate à repressão. Com vários membros que eram contrários à ditadura militar uruguaia da época, o Defensor ficou conhecido como a equipe que “mudou a história”, conquistando torcedores das outras equipes e fazendo com o que Estádio Luis Franzini gritasse contra o regime.

De León, indo além de seu engajamento político, montou uma equipe moderna para a época. Com a imposição de um jogo de pressão sem a bola e saídas em velocidade, o Defensor mudou a história do clube, cravando seu nome e suas cores, dentro e fora de campo. A garra violeta consagrou aquele time campeão uruguaio em 1976, quebrando a supremacia de quatro décadas de títulos de Nacional e Peñarol desde o início do profissionalismo. Após a vitória em casa contra o Rentistas pelo placar de 2 a 1, a equipe violeta deu a volta olímpica pelo sentido anti-horário. O ato de começar a comemoração do título pela esquerda foi gesto de resistência feito para abraçar aqueles que na época lutavam pela liberdade de expressão no país.

Além de sua história, o Estádio Luis Franzini se destaca pelas pouco comuns arquibancadas violetas. Além disso, a visita ao campo pode ser complementada também por um passeio pelo Parque Rodó, onde está localizado. O Museu Nacional de Artes Visuais e a sede do Mercosul ainda estão no mesmo bairro.

Luis Franzini (Wikimedia Commons)

Campeão do Século

Inaugurado em 2016, o Estádio Campeón Del Siglo é a nova casa do Club Atlético Peñarol. A equipe carbonera, que ostenta cinco títulos de Copa Libertadores, quase sempre dividiu o Estádio Centenário com a seleção uruguaia e o rival Nacional. Porém, na última década, ergueu sua própria casa, considerada o caldeirão carbonero. Localizado a dez minutos do aeroporto internacional, no bairro Bañados de Carrasco, o Estádio possui capacidade para 40 mil torcedores. Recentemente, o clube lançou o livro “Estádio Campeón del Siglo – un sueño concretado” para contar aos torcedores todos os processos que levaram à realização do sonho da casa própria carbonera. 

Foto: Reprodução / Club Atlético Peñarol

Gran Parque Central

Construído em 1900, é a casa do Club Nacional de Football. Se o estádio do Peñarol é recente, o do rival é o mais antigo da América do Sul e o 16° do mundo.  Dono de três taças da Copa Libertadores, o Nacional possui capacidade para 34 mil torcedores em seu estádio, que fica localizado no bairro La Blanqueada e passou por renovações recentes. Foi o palco da final da Libertadores Feminina 2021, onde o Corinthians se sagrou tricampeão ao derrotar o Independiente Santa Fe, da Colômbia, por 2 a 0.

Foto: Reprodução / Club Nacional Football

Círculo central e primeiro gol da história das Copas

A Copa do Mundo de 1930 teve duas partidas simultâneas em sua abertura. Se ainda é possível visitar o Gran Parque Central, palco do confronto entre Estados Unidos e Bélgica, o local do jogo em que saiu o primeiro gol da história das Copas do Mundo, entre França e México, não existe mais – ao menos, não completamente. Porém, um pedaço dessa história ainda vive na rua Coronel Alegre, no tranquilo bairro de Pocitos

De forma discreta, o monumento  “Cero a Cero y Pelota al Medio” pode ser encontrado entre as ruas Blanco e Charrúa. Qualquer pedestre que passar por ali pode pisar em um local histórico do futebol mundial sem ao menos ter conhecimento disso. A lembrança fincada no asfalto indica o círculo central do gramado do lendário Estádio de los Pocitos, antiga casa do Peñarol. O monumento apresenta uma linha de metal ligada a um círculo, sinalizando onde a bola rolou pela primeira vez em Copas do Mundo, no dia 13 de julho de 1930, às 15h. Na ocasião, a França bateu o México por 4×1.

Na mesma rua, no outro lado da calçada, se encontra o marco do primeiro gol da história das Copas do Mundo. Em frente a uma residência, está a obra “Donde duermen las aranãs”, que mostra o ponto onde o francês Lucien Laurent anotou de perna direita, o primeiro gol da competição, aos 19 minutos da primeira etapa. Para representar uma das traves do Field de Los Pocitos, foi implementada uma barra de ferro e, assim como na escultura “Cero a Cero y Pelota al Medio”, uma linha de metal delineia a localização da meta histórica.

As obras que marcam a rua Coronel Alegre foram criadas pelo arquiteto Eduardo Di Mauro, ganhador do concurso “Em Busca do Arco Perdido”, realizado pelo Museu do Futebol Uruguaio em parceria com a Prefeitura Municipal de Montevidéu. O concurso foi idealizado após a descoberta do local exato onde se encontrava o campo histórico. Entre os anos de 2002 e 2006, o arquiteto Héctor Enquique Benech analisou arquivos que identificassem o local do Estádio de los Pocitos. Quiseram os deuses do futebol que Hector encontrasse, em registros da Prefeitura de Montevidéu, uma foto aérea do antigo estádio e, assim, realizando uma comparação do achado com uma foto atual, o arquiteto ajudou a eternizar o início da maior competição de futebol do planeta.

Mesmo sendo monumentos discretos em meio a uma rua como qualquer outra, para quem é apaixonado pela história do futebol, visitar o local pode ser uma viagem no tempo – seja no tempo da Copa de 1930 ou no tempo da infância, onde jogar bola no meio da rua com os amigos era a hora mais aguardada do dia. Embora a área não tenha uma sinalização adequada, é possível achar o local com uma certa facilidade. Assim que as obras são identificadas pelos turistas, basta sentir e imaginar o que um dia foi o início de um marco na história do futebol mundial.

Literatura e Futebol, uma paixão além das páginas

Créditos: Talyssa Machado / Trivela

Ainda sem sair do bairro de Pocitos, é possível absorver ainda mais conhecimento sobre futebol – numa dica dos amigos do Futebol Café. Em um espaço acolhedor e que transmite todo o amor pela literatura, Mateo e Agostina reúnem grandes títulos da literatura, em especial do gênero esportivo.

A ‘Bonhomía Libros’ conta com mais de 3 mil exemplares em seu acervo, possuindo obras dos mais variados gêneros literários. Sobre esportes, a livraria dedicou um espaço às mais diversas modalidades, ainda que o foco seja o futebol. De contos a biografias, de Klopp e Guardiola a Bielsa e Johan Cruyff, a ‘Librería de Fútbol’ também comercializa livros voltados aos estudiosos de futebol. “Muitos jogadores, treinadores, auxiliares-técnicos e preparadores físicos vêm procurar livros para estudo.”, disse Agostina. 

Créditos: Giancarlo Santorum / Trivela

Mateo importa muitos livros e revistas esportivas da Espanha e, também, da Argentina, já que não há produção literária esportiva em grande escala no Uruguai. O livro “Pirâmide Invertida”, de Jonathan Wilson, é um exemplo disso. Mateo e Agostina tinham uma enorme lista de espera aguardando a chegada dos exemplares desse livro. Entretanto, não havia mais direitos comerciais para produzi-lo. Mateo, então, entrou em contato com o autor inglês e decidiu comprar os direitos para uma edição em língua espanhola. Assim, nasceu o selo da editora ‘Librería de Fútbol’. Até o presente momento, é filho único, mas não deve ser o último. 

Uma das obras mais procuradas também é uma das indicações de Mateo. O livro ‘Fiebre en las gradas’ (Febre de Bola, no Brasil), do autor inglês Nick Hornby, que trata do começo da paixão do autor pelo Arsenal, clube londrino. A livraria fica no endereço: Alejandro Chucarro 1112, bairro Pocitos.

Três estádios, um parque (parte 1)

Para quem quiser aproveitar o dia para conhecer o maior número de estádios possíveis, há um parque na região oeste de Montevidéu que engloba três estádios. Na imagem abaixo, à esquerda, aparece o Estádio José Nasazzi, casa do Bella Vista, com capacidade para 10 mil pessoas. O Club Atlético Bella Vista foi fundado em 1920 e atualmente joga a terceira divisão uruguaia.

Na parte superior da imagem, está localizado o Estádio Parque Alfredo Víctor Viera, lar do Montevideo Wanderers Fútbol Club, que pode receber 10 mil pessoas. Fundado em 1902, os Bohemios Vagabundos disputam a elite do futebol uruguaio.

No lado direito da foto, encontra-se a casa do River Plate, o Estádio Omar Saroldi, que também tem capacidade aproximada de 10 mil torcedores e foi fundado em 1926. Os darseneros também jogam a elite uruguaia.  Com uma curta caminhada de 20 minutos, é possível passar pelos três. 

Reprodução / Google Earth

Três estádios, um parque (Parte 2)

O místico e lendário Estádio Centenário possui dois vizinhos que podem agregar o roteiro de quem quer conhecer o maior número de estádios possíveis. O Estádio Parque Luis Méndez Piana é a casa do Club Sportivo Miramar Misiones, equipe da terceira divisão uruguaia. O modesto estádio tem capacidade para, aproximadamente, 5 mil pessoas. Praticamente “colado” ao Estádio do Miramar Misiones está o Estádio Parque Palermo, casa do Central Español, da segunda divisão. Inaugurado em 1937, tem capacidade semelhante ao seu vizinho.

Reprodução / Google Earth

Embaixada do Torcedor

No Farol do bairro Punta Carretas, a Conmebol montou a “Embajada del Hincha”, espaço destinado a torcedores que estão presentes em Montevidéu para as finais realizadas pela confederação. Nos dias 18 e 19 de novembro, dias que antecederam as finais da Copa Sul-Americana e Libertadores Feminina, a Embaixada do Torcedor disponibilizou ao público uma programação imersiva, com jogos interativos, shows e conversas com atletas nacionais e internacionais. 

Para receber os torcedores que se preparam para a final da Libertadores Masculina, entre Palmeiras e Flamengo no Estádio Centenário, a fan fest de Montevidéu funcionará nos dias 24 e 25 de novembro, das 12h às 22h. No 26, dia de encerramento do espaço aberto para o torcedor, o horário passa a ser das 10h às 22h.

A principal atração do evento é a Conmebol Talks, que reúne personagens do esporte mundial para conversar com a imprensa e com torcedores presentes. Na quarta-feira (24), o meia argentino D´Alessandro, atualmente no Nacional, foi a atração. Já no dia 25, o surfista Ítalo Ferreira, campeão olímpico em Tóquio 2020, é o convidado. Para finalizar a programação, o dia 26 traz Rebeca Andrade, primeira ginasta brasileira campeã olímpica em Tóquio 2020, e Cafu, capitão do pentacampeonato mundial da Seleção em 2002.

* Transporte público

Uma dica importante para os brasileiros se deslocarem pela capital uruguaia é o aplicativo ‘Como Ir’, disponível para Android e IOS. O app permite acompanhar o trajeto do ônibus em tempo real, bem como exibe quais linhas passam pelo destino final, o caminho a ser percorrido, a parada de ônibus mais próxima e o tempo de viagem. O preço da passagem comum é de 44 pesos uruguaios, em torno de 6 reais. 

Mostrar mais

Giancarlo Santorum

Giancarlo Santorum é jornalista e fotógrafo. Acostumado a cobrir jogos do futebol gaúcho, também escreve sobre o Borussia Dortmund no @loucospelobvboficial. Além disso, tem um carinho especial por sua coleção de camisas - algumas delas históricas. Acompanha in loco as finais continentais de 2021 em Montevidéu, através do apoio da KTO Brasil.

Talyssa Machado

Talyssa Machado é jornalista e também trabalha com edição de vídeo. Desde pequena, ama o futebol e tudo aquilo que proporciona ao povo. Coleciona camisas de equipes femininas e seleções africanas. Acompanha in loco as finais continentais de 2021 em Montevidéu, através do apoio da KTO Brasil.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo