Antes da partida contra o , Fábio Carille disse que o empate seria um bom resultado para o , mas que buscaria a vitória. Discurso padrão de comandantes brasileiros na projeção de viagens difíceis na fase de grupos da Libertadores. Até porque carrega uma boa dose de verdade. Dentro dessa lógica, o pouco que aconteceu na Colômbia foi bom para os brasileiros, que retornaram com o 0 a 0 e o pontinho que Carille esperava. E se houvesse uma equipe vencedora, provavelmente seria o Timão.

LEIA MAIS: Cinco times além de Brasil e Argentina que podem incomodar nesta Libertadores

O Corinthians até começou a partida com mais posse de bola do que o Millonarios. Mas a tocava muito atrás, sem conseguir levá-la ao campo do adversário, muito menos produzir perigo ao gol defendido por Fariñez. Quase nada aconteceu na primeira metade da etapa inicial. Foram duas finalizações, ambas dos colombianos, nenhuma com perigo. Aos 30, o Corinthians conseguiu criar sua primeira situação. Renê Júnior fez jogada pela esquerda, tocou para Jadson, que achou Romero. Fariñes defendeu o arremate rasteiro.

O Millonarios conseguiu assumir o controle da partida e terminou a etapa com mais posse de bola. E abafando o Corinthians. Teve três oportunidades interessantes. Del Valle recebeu pela direita, matou no peito e bateu cruzado, para fora. Silva cobrou falta e De Los Santos desviou na primeira trave. Cássio precisou sair do gol para socar. A melhor chance foi pouco antes do intervalo. Um cruzamento de Silva pela esquerda achou Del Valle, atrás da zaga, sem marcação. A cabeçada, porém, foi para fora.

Foi apenas um susto. O Corinthians voltou melhor e esteve mais próximo de abrir o do que o Millonarios. Teve uma boa chance interceptada pelo goleiro e um chute perigoso de Mateus Vital. O Millonarios teve apenas uma grande oportunidade, graças à inteligência do bom David Silva. Recebeu o cruzamento de e tocou de calcanhar para trás. Huérfano recebeu, puxou para a perna esquerda, mas arrematou mal demais.

O gol do Corinthians deveria ter saído em uma cobrança de escanteio. Jadson cobrou e Henrique ficou com o rebote. Girou, bateu forte e carimbou o travessão. O próprio Jadson teve outra boa jogada ao arrancar pela intermediária, puxar para o meio e bater com perigo. A bola desviou para escanteio, mas o anotou apenas tiro de meta.

Com um desempenho razoável, o empate ficou de bom tamanho para o Corinthians. O grupo desenha-se como uma briga cabeça a cabeça com o Independiente pela liderança, e o Millonarios era justamente a equipe que poderia se intrometer entre eles. Com o empate fora de casa, o Timão sai na frente.

MAIS LIBERTADORES

Os 60 anos de Hugo de León, o zagueiro lendário que virou emblema da Libertadores

Os cinco desafios: Argentinos entram com força e serão barreiras ao Brasil na Libertadores 2018

Que viva la amistad! As alianças fraternais entre clubes da América do Sul

Como chegam os sete clubes brasileiros à fase de grupos da Libertadores 2018

De estudantes a operários, a história de fundação dos 32 clubes da Libertadores 2018