Libertadores

Palmeiras dá preferência a conselheiros, e ingressos da semi contra Boca Juniors acabam em minutos

Torcedores do Palmeiras relatam dificuldades para aquisição e posições ruins na fila virtual, mesmo entrando cedo para garantir lugar

Não durou nem 20 minutos, o processo de venda de ingressos destinados ao Palmeiras para a ida da semifinal da Copa Libertadores, contra o Boca Juniors, no próximo dia 28, em Buenos Aires. 

Enquanto torcedores relatam dificuldade e frustração na fila virtual, conselheiros do clube foram convidados à sede social para terem preferência na aquisição de um bilhete cada. O convite aos conselheiros foi feito por meio de uma mensagem de Whatsapp disparada na noite de terça-feira (19), à qual a Trivela teve acesso. 

As vendas preferenciais para os membros do conselho começaram às 11h desta quarta-feira (20), no primeiro andar do prédio multiuso da sede social, e vão até as 20h, reabrindo nas mesmas condições amanhã (21). 

Os conselheiros de oposição “suspensos” do benefício de compra assegurada para o jogo contra o Goiás, na última sexta (15), também receberam o convite para compra preferencial física. 

Somente no caso de desistência

No horário marcado para início das vendas aos conselheiros, a esmagadora maior parte dos torcedores comuns, sem ingresso, já havia se deparado, em suas telas, com a mensagem dando conta do encerramento do processo:

“No momento, não há mais ingressos disponíveis. Somente no caso de torcedores deixarem suas compras ou cancelarem os ingressos, os ingressos estarão disponíveis posteriormente.” 

Ou seja: é possível que novos bilhetes sejam colocados à venda depois da contabilidade de ingressos vendidos aos conselheiros.  

A venda preferencial aos conselheiros não é uma prática nova, mas tem um tom diferente no momento em que as uniformizadas não tiveram uma cota de compra exclusiva e muitos bilhetes foram vendidos nos pacotes comercializados pela Palmeiras Viagens.

O Palmeiras não divulgou o número de ingressos colocados à venda, tampouco o número de pacotes vendidos pela agência parceira.  

Frustração dupla para organizadas 

O convite para os conselheiros comprarem ingressos no clube traz uma mensagem frustrante para a Mancha Verde, que se ofereceu para comprar os ingressos, além de dar um boné como brinde, dos torcedores que conseguissem efetuar a compra mas que não fossem ao jogo. 

De acordo com a mensagem enviada pelo Palmeiras aos conselheiros, os ingressos são pessoais e intransferíveis. E, a pedido do Boca Juniors, somente poderão adentrar La Bombonera aqueles que apresentarem documentos compatíveis com os apresentados no momento da compra.

Os repasses de ingressos para vendas a membros das torcidas, brecados por Leila, segundo o clube, desde o início da sua gestão, eram praxe desde os tempos em que o presidente do Palmeiras era Mustafá Contursi (1992 a 2007), afirma a Mancha Verde.

A prática só foi suspensa durante a gestão Paulo Nobre (2013 a 2016). Na ocasião, Nobre rompeu relações com a Mancha depois de membros da torcida acertarem uma xícara no goleiro Fernando Prass durante discussão no Aeroparque Jorge Newbery, em Buenos Aires, em 2013. O destinatário original da xícara era Valdivia.

A decisão de Leila vai gerar transtornos para as organizadas. A Mancha Verde, por exemplo, já havia fechado oito ônibus que seguiram em caravana até Buenos Aires com ingresso garantido. Diante da possibilidade de que tais torcedores não consigam ingresso, a torcida ainda estuda como vai proceder.

Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata Lima

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, Diego cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo