Libertadores

O Grêmio reafirmou sua superioridade ao bater de novo o Guaraní e avançar na Libertadores

Depois de ter encaminhado a classificação logo na partida de ida, o Grêmio ratificou sua passagem às quartas de final da Copa Libertadores. A vitória por 2 a 0 em Assunção deixava a situação mais que tranquila para o reencontro com o Guaraní, dentro da Arena. E os tricolores venceram mais uma, de novo por 2 a 0. A equipe de Renato Portaluppi abriu o resultado nos primeiros minutos, em grande jogada que culminou no gol de Ferreirinha. Os gremistas seguiram melhores durante a maior parte do jogo, podendo construir uma vantagem mais ampla. Os paraguaios, que acordaram basicamente só no início do segundo tempo, não passariam por Vanderlei. Já nos minutos finais, Rodrigues apareceu para fechar a contagem e confirmar os gaúchos no caminho do Santos.

O Grêmio realizou diversas mudanças em relação à vitória em Assunção, poupando jogadores. Orejuela, Cortez, Lucas Silva e Churín ganharam uma chance entre os titulares. Além disso, Luiz Fernando sentiria um desconforto durante o aquecimento e seria suplantado por Ferreirinha. O momento mais surreal antes do pontapé inicial, de qualquer forma, ocorreu com os dois times já em campo. O Guaraní vestia uma camisa azul e branca, com cores parecidas às do Grêmio. Os paraguaios precisaram voltar aos vestiários para pegar suas camisas amarelas com detalhes pretos. Com isso, a equipe de arbitragem também trocou suas camisas amarelas. Uma confusão desnecessária.

Quando a partida finalmente começou, com minutos de atraso, o Grêmio não esperou para ratificar sua classificação. Logo aos três minutos, os tricolores construíram uma ótima trama. Depois de um toque de calcanhar dado por Pepê, Jean Pyerre girou com calma e conectou com Cortez pela esquerda. O lateral tinha bastante espaço e passou a Ferreirinha. O ponta se infiltrou e, na linha da pequena área, mandou para as redes. O lance ainda precisou ser checado sobre um possível impedimento, mas nada seria marcado.

O Grêmio seguiu mandando na partida durante os primeiros minutos. Movimentava-se bem para construir o jogo e marcava em cima quando perdia a bola. Churín levou perigo aos 13, em batida para fora. Apesar da superioridade, os tricolores não arriscavam tanto para ampliar a margem, cadenciando a bola e administrando a situação. O Guaraní se limitava a espasmos, sobretudo em bolas alçadas. Foi desta forma que Cristian Báez assustou, em cabeçada por cima do travessão. Mesmo assim, o pior aos gremistas seria a lesão de Jean Pyerre. O meia era um dos melhores em campo, mas precisou ser substituído antes do intervalo. Já nos acréscimos, quando necessário, Vanderlei realizou uma defesaça em cabeçada de Cecílio Domínguez.

O segundo tempo começou com o Guaraní realizando duas mudanças. A partida ficou mais aberta, com os paraguaios finalmente saindo ao campo ofensivo. Lucas Silva testaria o goleiro Gaspar Servio num chute à queima-roupa, mas Vanderlei também precisou trabalhar novamente em pancada de Rodrigo Fernández do meio da rua. Os aurinegros necessitavam de três gols, e pareciam dispostos a incomodar, com uma postura mais agressiva. Pararam na compactação dos gremistas. Mesmo assim, quase o Tricolor anotou o segundo aos 18. Isaque pegou uma bola que rebateu em Darlan e tirou do goleiro para balançar as redes. Porém, o lance seria anulado por impedimento.

O Grêmio se defendia sem se expor e ganhava campo aos ataques em velocidade. A equipe se sentia à vontade na reta final do segundo tempo, em transições rápidas que permitiam acreditar em mais um tento. Servio voltaria a trabalhar num cruzamento de Pepê, mas Churín não aproveitou o rebote. Pinares também contribuiria à criação, ao sair do banco. Diego Souza e Gui Azevedo seriam outros dois que renovaram as forças da linha ofensiva durante os últimos minutos do duelo.

O final da partida descambou à violência. Miguel Benítez recebeu o vermelho direto por deixar o braço em Diego Souza. Já Rodrigo Fernández também foi expulso ao furar a bola e quase pegar Orejuela, mas o vermelho seria trocado pelo amarelo após análise do árbitro no monitor. Por conta disso, os acréscimos seriam dilatados. Dariam o tempo necessário para o Grêmio anotar o segundo, fazendo jus à sua superioridade. Num contragolpe bem encaixado pela enfiada de Maicon, Diego Souza puxou pelo meio e rolou para Rodrigues bater à meta aberta.

A vitória desta quinta-feira acaba sendo protocolar, considerando a situação resolvida logo na primeira partida. O Grêmio tem exibido futebol para ambicionar o tetracampeonato continental, enquanto o momento também favorece. E para aumentar a confiança, depois do jogo veio a notícia de que o problema de Jean Pyerre não passou de um susto. Na próxima etapa, os gremistas se cruzam com o Santos e vêm num momento melhor. Todavia, o Peixe terá a vantagem de decidir em casa por ter a melhor campanha.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo