Libertadores

O Grêmio foi prejudicado, mas também foi acuado pelo Del Valle e poderia voltar com uma derrota pior

O Tricolor teve um gol mal anulado, que poderia deixar o placar em 2 a 0, e acabou cedendo a virada diante da pressão

O Grêmio terá uma tarefa difícil para assegurar sua classificação à fase de grupos da Copa Libertadores. Na visita ao Defensores del Chaco, o Tricolor perdeu para o Independiente del Valle por 2 a 1. Os gremistas tiveram que enfrentar vários percalços, entre os empecilhos para treinar, a viagem extra e o surto de COVID-19 no elenco. Até abriram o placar no Paraguai, mas perderam a chance do segundo após um erro da arbitragem ao anular o segundo gol, sem o auxílio do VAR. Ainda assim, os visitantes foram amassados em boa parte do embate pelo Del Valle. Os equatorianos encurralaram os oponentes até arrancarem a virada. E, considerando o que foi a partida no segundo tempo, quando o Grêmio teve uma expulsão, a diferença no placar poderia ter sido pior.

O Independiente del Valle, cabe lembrar, não pôde exercer seu mando de campo e não pôde aproveitar sua vantagem na altitude. Por conta dos casos de COVID-19 no elenco do Grêmio, as autoridades equatorianas proibiram que o duelo acontecesse em Quito. Com isso, a Conmebol usou sua influência política e transferiu o embate para Assunção. Além do mais, a partida também acabou adiada de quarta-feira para esta sexta. Sem Renato no banco, se recuperando do coronavírus, o Tricolor tinha diversos desfalques – incluindo Geromel, Kannemann, Maicon, Pepê e Jean Pyerre. A defesa, sobretudo, precisaria se virar com vários reservas.

O Grêmio aproveitou o começo do jogo para abrir o placar e vislumbrar a vitória. O tento surgiu aos nove minutos, a partir de uma cobrança de falta. Alisson cruzou e Diego Souza subiu mais que a marcação para definir de cabeça. A partir de então, o Tricolor poderia especular com o resultado. Diante do estilo de jogo mais propositivo do Independiente del Valle, os gremistas recuaram e passaram a bloquear os espaços no campo defensivo, enquanto os equatorianos trocavam passes.

Levou um tempo até que o Independiente del Valle encontrasse brechas para finalizar. Os anfitriões passaram a arriscar chutes de longe. Assim, o goleiro Brenno seria decisivo, com uma defesaça aos 27, espalmando uma finalização de Christian Ortiz. O desvio não veio tão forte, mas era à queima-roupa. O empate parecia amadurecer e Pedro Vite carimbou o travessão aos 36, numa pancada que ainda contou com leve toque de Brenno na bola. O Grêmio parecia enclausurado e não conseguia acionar seu ataque, mesmo com as opções de Ferreira e Alisson nas pontas.

Somente na reta final do primeiro tempo é que o Grêmio voltou a aparecer com perigo no campo ofensivo. O goleiro Wellington Ramírez seria importante, ao travar Pinares na área. O lance capital, todavia, ocorreu aos 44. Numa trama coletiva, Alisson passou para Diego Souza e o veterano entregou de letra a Ferreirinha. De frente com o goleiro, o ponta deu um toque por cima, em bola que tocou o travessão e entrou. Contudo, o lance seria mal anulado por impedimento. Sem o VAR nesta fase da Libertadores, os gremistas foram prejudicados.

Que o Grêmio se sentisse roubado, também acabava exposto aos perigos, pela forma como o Independiente del Valle dominou o primeiro tempo. Até por isso, os tricolores tiraram Pinares e colocaram Darlan na volta do intervalo. Porém,  abafa dos equatorianos se tornou ainda maior. Logo de cara, Ortiz acertou a trave de Brenno numa cobrança de falta. E o empate não demorou, aos oito minutos. Numa bola troca de passes, Brian Montenegro fez o pivô e Lorenzo Faravelli se infiltrou pelo lado direito da área. O meio-campista ficou de frente com Brenno e chutou cruzado, acertando o canto da meta.

Os riscos ao Grêmio eram claros. Até por isso, a equipe lamentou uma chance perdida por Diego Souza na sequência. O veterano saiu de frente com Ramírez e tentou driblar o goleiro, mas ficou sem ângulo e acabou concluindo para fora. Nem demorou para a virada se desenhar. Ruan logo cometeu um pênalti em Montenegro. Para piorar, o zagueiro recebeu o segundo amarelo e foi expulso. Faravelli converteu a cobrança aos 16, carimbando a superioridade do Independiente del Valle. O Tricolor também tiraria Diego Souza para recompor a zaga com David Braz, enquanto Fernando Henrique veio na vaga de Lucas Silva.

A situação poderia ficar pior ao Grêmio, mas Brenno fez outra defesa em batida de Ortiz aos 22. O Independiente del Valle continuava jogando no campo de ataque e, além de se proteger, o que o Tricolor pôde fazer foi trocar Alisson por Léo Chú. O ponta até entrou dando um escape ao ataque, mas nada que fosse tão contundente. A esta altura, a meta dos gremistas era evitar o terceiro e levar um saldo menos negativo a Porto Alegre. Os equatorianos permaneceram no comando, mas sem forçar tanto, o que manteve o placar. No último minuto, os gremistas ainda chegaram e deram um chute perigoso com David Braz, mas Ramírez pegou e o lance também seria anulado por impedimento.

A missão do Grêmio é bastante difícil para o reencontro em Porto Alegre. O Independiente del Valle é um dos melhores times do continente há duas temporadas e o bom trabalho de Miguel Ángel Ramírez se mantém, mesmo com a saída do treinador. Ainda será um oponente incômodo, mesmo se tiver que jogar no contra-ataque na volta. Que reclame da arbitragem, o Tricolor sentiu os desfalques e também esteve aquém da ocasião, sobretudo por ficar acuado quando tinha 11. O placar é menos duro do que poderia.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo