Libertadores

O Fluminense ainda empatou no fim, mas sai insatisfeito com a oportunidade desperdiçada contra o Barcelona no Maracanã

Fluminense não fez uma boa partida no Maracanã e tomou a virada quando tinha um jogador a mais, antes de buscar o prejuízo

O Fluminense não sai satisfeito do primeiro encontro com Barcelona de Guayaquil, pelas quartas de final da Libertadores. O Tricolor começou em vantagem e teve seus momentos de domínio. No entanto, sentiu o empate dentro do Maracanã e permitiu a virada mesmo quando tinha um jogador a mais. O empate por 2 a 2, arrancado nos acréscimos, evitou um cenário pior aos cariocas. Ainda assim, o resultado não agrada, até pela maneira como os equatorianos apresentaram certas virtudes. A equipe de Roger Machado precisará decidir sua vida em Guayaquil, com os empates por 0 a 0 e 1 a 1 favorecendo os adversários.

O começo do jogo era equilibrado, mas o Fluminense se postava um pouco mais no ataque. Ainda levou um tempo para que as chances surgissem, com a defesa do Barcelona rechaçando as bolas levantadas pelo Flu. Foi necessária certa paciência para os tricolores, que tinham suas principais chegadas nas bolas paradas. A partir dos 20 minutos, os ataques começaram a fluir um pouco mais para os cariocas. As trocas de passes saíam com mais velocidade e Yago Felipe tentaria um chute para fora. Até que o gol saísse, aos 26, a partir de uma cobrança de falta. Cazares cruzou e, depois da saída ruim do goleiro Javier Burrai, Gabriel Teixeira aproveitou a meta aberta para marcar.

Depois do gol, o Barcelona tentou sair mais ao ataque e também adiantou a marcação. Não tinha muito sucesso contra a defesa do Fluminense, que conseguia travar. O maior susto ficou reservado para os 34 minutos. Numa falta cobrada por Damián Díaz, Bruno Piñatares tocou para Gonzalo Mastriani balançar as redes. Para alívio dos tricolores, a arbitragem assinalou o impedimento. Depois de um tempo sem conseguir sair para o jogo, o Flu só teria seu desafogo na reta final do duelo. Ainda assim, sem criar chances concretas para ampliar o marcador até o intervalo no Maracanã.

O segundo tempo, em compensação, parecia se abrir ao Fluminense. O time da casa voltou muito mais ligado para o jogo e enclausurava o Barcelona ao redor da área equatoriana. Em meio à pressão, Egídio teve um chute para fora e Fred perdeu grande chance, furando a cabeçada após ser acionado por Gabriel Teixeira. Os tricolores tinham dificuldades para tornar o placar mais confortável, enquanto o Barcelona acionou o banco de reservas para tentar evitar o sufoco. Já aos 15, Gabriel Teixeira sentiu lesão e precisou dar lugar a Kayky.

O Barcelona melhorou com as mudanças e sairia mais ao ataque. O gol de empate saiu aos 24, logo depois das entradas de Nenê e Lucca pelo Flu. Numa bola alçada por Emmanuel Martínez pelo lado esquerdo, Adonis Preciado subiu bastante no meio da área e desferiu a cabeçada. Marcos Felipe vacilou, sem conseguir espalmar a bola. De um jogo que parecia controlado pelos tricolores no início do segundo tempo, a pressa se tornaria bem maior. E os equatorianos até indicavam forças para uma virada.

As pretensões do Barcelona só foram quebradas aos 32 minutos, Após uma falta sobre Samuel Xavier, Emmanuel Martínez recebeu o segundo amarelo e acabou expulso. O Fluminense retomou as rédeas do jogo e ia para o abafa, com as entradas de Abel Hernández e André. Porém, os tricolores não aproveitavam a vantagem numérica. E a situação se tornaria pior aos 40, quando Nino derrubou Carlos Garcés dentro da área e a arbitragem anotou o pênalti. Gabriel Cortez cobrou e, mesmo acertando o canto, Marcos Felipe não evitou o gol. Com dez homens, os equatorianos conseguiam uma inimaginável virada àquela altura.

A sorte do Fluminense é que o prejuízo não se manteria até o final. Em meio ao desespero, Castillo chutaria o pé de Abel Hernández na hora de afastar uma bola dentro da área e também cometeu pênalti. Fred ganhou a chance na marca da cal já nos acréscimos e permitiu o empate. O drama evitou um resultado ainda pior ao Flu, mas o 2 a 2 não era aquilo que os cariocas imaginavam, até pela vantagem numérica durante a reta final do duelo. O resultado sai amargo.

O reencontro fica marcado para a próxima quinta-feira, em Guayaquil. O Barcelona jogará pelos empates por 0 a 0 e 1 a 1, ou por qualquer vitória simples. Pela maneira como colocaram água no chope dentro do Maracanã, os Canários indicam capacidade para frustrar as expectativas sobre um Fla-Flu na semifinal.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo