Libertadores

O Flu reverteu seu sofrimento para buscar uma saborosa e importante virada sobre o Santa Fe no Maracanã

Santa Fe era claramente melhor e abriu o placar, mas o Flu respondeu rápido com Fred e passou a dominar até a virada

O Fluminense conquistou uma das vitórias mais valiosas desta fase de grupos da Libertadores. O Tricolor não apenas saltou à liderança isolada de seu grupo, abrindo dois pontos em relação ao River Plate, como também desarmou uma bomba dentro do Maracanã. Mesmo sendo visitante, o Independiente Santa Fe botou pressão sobre os tricolores e saiu em vantagem no Rio de Janeiro. Desencontrado principalmente no primeiro tempo, o Flu precisou se reinventar no jogo. Conseguiu, graças ao empate imediato e à ajuda fundamental dos jogadores que saíram do banco. Kayky, Fred, Cazares e Caio Paulista participaram da construção dos gols, enquanto Marcos Felipe também realizou defesas importantes. No fim, o triunfo por 2 a 1 é mais saboroso pela própria dificuldade em consegui-lo, e tem muito peso por aproximar os cariocas da classificação às oitavas.

O primeiro tempo viu um Santa Fe querendo jogo. O Fluminense até conseguiu algumas chegadas durante os primeiros minutos, mas os Cardenales eram bem mais contundentes. Jersson González mandou o primeiro chute, para fora, e logo o goleiro Marcos Felipe começou a trabalhar. Aos 13, o arqueiro precisou sair do gol para evitar o chute de Kelvin Osorio, enquanto Jhon Arias mandou para fora logo depois. Já aos 15, Daniel Giraldo recebeu com espaço na segunda trave e acabou atrapalhado pelo próprio companheiro na hora de arrematar. Os colombianos imprimiam uma intensidade bem maior, enquanto os tricolores se desencontravam na defesa, com momentos de desatenção. A confiança era maior entre os visitantes, que jogavam pela sobrevivência.

Outro susto tremendo ao Fluminense veio aos 21. Num contra-ataque dos alvirrubros, Calegari acabou travando a batida de Osorio. Os riscos eram claros aos tricolores, que erravam muito com a bola, sem acionar o ataque, e não conseguiam se proteger na defesa. Diante do ritmo imposto pelo Santa Fe, a equipe da casa não tinha tempo para respirar e a bagunça imperava, sobretudo no meio-campo. A superioridade dos colombianos se seguiu até o fim da etapa inicial, mas sem reverter no placar. González mandou uma cabeçada para fora, antes de Marcos Felipe realizar outra defesa, espalmando uma pancada de Alexander Porras. O empate era até lucro para o Flu, diante da superioridade dos Cardenales.

O segundo tempo não começou fácil. Logo no primeiro minuto, Marcos Felipe salvou milagrosamente um chute de Jorge Ramos que ia em direção ao ângulo. Todavia, o Fluminense também conseguiu sair mais ao jogo e se beneficiou com a entrada de Gabriel Teixeira. Na primeira chance do substituto, o goleiro Leandro Castellanos teria trabalho para defender. Mas, sem perder a fome, o Santa Fe abriu o placar aos 13. Num contra-ataque, Porras acertou um ótimo passe por elevação para Jersson González. O meia se infiltrou e chutou bonito para vencer Marcos Felipe, numa pintura que sublinhava os méritos dos colombianos.

O Fluminense, entretanto, não sentiu o gol. E foi importantíssima a resposta da equipe de imediato. O empate tricolor saiu logo aos 15. Num contra-ataque, Kayky rabiscou pela direita e passou para Fred. Dentro da área, o centroavante mostrou uma frieza imensa, ao dominar e bater no cantinho. Neste momento, o equilíbrio da partida se transformou. O Santa Fe pareceu sentir o desgaste, enquanto o Flu tomou o controle da noite. Estava muito mais seguro e as mudanças ajudaram, mesmo que a saída de Kayky fosse incompreensível. Cazares e Caio Paulista, em compensação, causaram seu impacto na sequência.

Gabriel Teixeira seguiu aparecendo bastante, com boas jogadas. O empate, de qualquer forma, saiu dos outros dois substitutos. Aos 32, Cazares descolou um lançamento perfeito nas costas da defesa. Caio Paulista partiu em velocidade e ficou de frente para o goleiro Castellanos, antes de fuzilar. Outra bela construção que dava uma virada impensável, por aquilo que se viu durante os 60 minutos iniciais do jogo. A defesa do Flu precisou seguir atenta. De qualquer maneira, na reta final do jogo, o terceiro era mais provável. Castellanos parou Yago Felipe, enquanto Jorge Ramos tirou na pequena área uma cabeçada de Bobadilla. Nos acréscimos, ainda quase deu para Caio Paulista fazer mais um, mas seu arremate saiu por pouco.

O Fluminense lidera o Grupo D, com oito pontos. Aproveita o empate do River Plate, que precisou buscar o 1 a 1 contra o Junior em Barranquilla. Os millonarios somam seis pontos, enquanto o Junior tem três e o Santa Fe vem com dois. Se uma derrota do Flu embolaria o grupo, o triunfo dá mais confiança para que o time antecipe a classificação diante do Junior na próxima terça, no Maracanã. Talvez o jogo com o River na Argentina vire uma mera disputa pela liderança.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador de anúncios? Aí é falta desleal =/

A Trivela é um site independente, que precisa das receitas dos anúncios. Desligue o seu bloqueador para podermos continuar oferecendo conteúdo de qualidade de graça e mantendo nossas receitas. Considere também nos apoiar pelo link "Apoie" no menu superior. Muito obrigado!