Libertadores

O Flamengo relembrou sua melhor sintonia e convenceu com uma boa vitória sobre o Talleres no Maracanã

O quarteto ofensivo do Flamengo funcionou como não acontecia há tempos e, mesmo sem ser uma atuação impecável, já foi uma versão aprimorada do time de Paulo Sousa

O Maracanã teve motivos para se empolgar novamente com o Flamengo, de uma forma como ainda não havia acontecido desde a chegada de Paulo Sousa. Não foi uma atuação impecável e o goleiro Santos faria defesas importantes, mas os rubro-negros apresentaram um jogo de qualidade como não se viu na estreia da Copa Libertadores. Com um primeiro tempo em ótimo nível e um funcionamento ofensivo que lembrou os melhores tempos recentes, o Fla ganhou por 3 a 1 do Talleres. Arrascaeta, Gabigol, Bruno Henrique e (especialmente) Everton Ribeiro protagonizaram o resultado com tramas envolventes. Valeu para dar leveza ao clima, depois que vaias ecoaram a alguns nomes durante a escalação.

O Talleres até iniciou a partida desafiando um Flamengo ainda desencontrado em campo. Santos seria exigido duas vezes e fez defesas seguras. A partir dos cinco minutos, os rubro-negros encaixaram seu jogo e começaram a fluir bem mais. Arrascaeta chutou com desvio ao lado do gol e as tabelas funcionavam com o quarteto de frente. Logo aos nove minutos, uma boa combinação do Fla rendeu um pênalti claríssimo sobre Arrascaeta. A cobrança foi de Gabigol, que converteu com enorme categoria.

O Flamengo ganhou confiança e cresceu no jogo. A liberdade na movimentação rendia as tramas ofensivas e gerava oportunidades. Aos 17, Matheuzinho cruzou e Bruno Henrique cabeceou muito perto do travessão. Logo depois, seria a vez do goleiro Guido Herrera se antecipar num passe de Gabigol para Bruno Henrique. Tão importante quanto, a marcação do Fla fechava os espaços e não deixava o Talleres jogar. O segundo gol seria merecido, aos 26. O contragolpe surge graças a um passe sensacional de Arrascaeta, dando um tapa de costas, por cima da marcação, para acionar Bruno Henrique na velocidade. Na entrada da área, Everton Ribeiro pegou a sequência e mandou no canto inferior de Herrera. Parecia o melhor dos rubro-negros.

O Flamengo mantinha a consistência e seguia melhor na partida. João Gomes auxiliava bastante nessa estabilidade, em noite inspirada. Um problema viria aos 32, quando Matheuzinho saiu lesionado e deu lugar a Rodinei. Arrascaeta era outro muito bem e teria um cruzamento perigoso que ninguém completou. No entanto, o Talleres começava a despertar na partida e conseguiu descontar aos 45. Federico Girotti deu um lindo passe de calcanhar e, com muito espaço na área, Héctor Fértoli bateu no alto da meta de Santos para um bonito gol. Nos acréscimos, ainda haveria tempo para uma defesa de Herrera, salvando a cabeçada de Bruno Henrique.

O segundo tempo começou mais equilibrado. O Talleres teria a primeira chance e Girotti seria frustrado por uma ótima intervenção de Santos. O Flamengo logo se reencontrou e tinha suas melhores jogadas puxadas por Arrascaeta. Em uma delas, o uruguaio faria fila e tocaria para Gabigol, travado. Mas os rubro-negros permaneciam com mais recursos e ampliaram aos 15 minutos. Numa troca de passes pela esquerda, Bruno Henrique deu um tapa na medida e Everton Ribeiro invadiu a área, com um chute entre o goleiro e a trave para marcar. O Maracanã voltava a cantar mais forte.

Com a vantagem restabelecida, a partida voltou a ficar lá e cá. Santos trabalharia de novo, em outra defesa, agora para pegar uma cabeçada de Girotti. Do outro lado, Andreas Pereira saiu do banco e já mandou uma sapatada de longe, com Herrera salvando com plasticidade. As duas equipes seguiram criando, sem tanta qualidade. Aos 32, Pedro e Marinho entraram em campo no Flamengo, saindo Gabigol e Bruno Henrique. O sistema defensivo do Fla não transmitia a segurança do primeiro tempo, mas o ataque rubro-negro seguia mais perigoso, com Pedro insistindo com duas batidas perigosas em sequência. De qualquer maneira, o duelo parecia decidido. La T insistia um pouco mais, sem representar temores. Ficou nisso.

O Flamengo lidera o Grupo H da Libertadores com seis pontos. Talleres e Universidad Católica somam três, enquanto o Sporting Cristal permanece zerado. O Fla terá uma sequência importante no Brasileirão contra Palmeiras, São Paulo e Athletico Paranaense. A equipe retorna a campo pela Libertadores apenas em 28 de abril, quando visita a Universidad Católica no Chile.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo