Libertadores

O Flamengo dominou boa parte do jogo e goleou o Unión La Calera – incluindo uma verdadeira pintura de Pedro

O Flamengo começa a fase de grupos da Libertadores se impondo numa chave que parecia difícil. Os rubro-negros arrancaram uma virada emocionante contra o Vélez na estreia, enquanto nesta terça-feira aplicaram uma goleada no Maracanã. A partida contra o Unión La Calera não foi tão simples quanto os 4 a 1 no placar sugerem. O Fla fez um primeiro tempo dominante, mas levou bons minutos para marcar seus dois primeiros gols, com o brilho de Arrascaeta. Já na segunda etapa, os chilenos melhoraram e descontaram, deixando no ar certa ameaça ao triunfo dos cariocas. Na reta final, porém, a linha de ataque explorou os espaços. Gabigol anotou seu segundo tento e Pedro assinou um golaço, para sacramentar a vitória e confirmar o Flamengo na liderança.

O Flamengo vinha com uma mudança em relação à vitória sobre o Vélez Sarsfield. Desta vez, o recém-contratado Bruno Viana compunha a dupla de zaga com Willian Arão. De resto, a equipe se repetia, incluindo a dupla formada por Gérson e Diego na cabeça de área. A formação ajudou na fluidez dos rubro-negros durante os primeiros minutos, com uma marcação forte no campo de ataque e ocupação de espaços. O próprio Gerson ganhava mais liberdade para avançar, o que ajudava no controle do Fla. Não era uma pressão sufocante, com os cariocas girando a bola, à espreita dos espaços contra um adversário que se continha na proteção.

Diferentemente do que se viu na estreia contra a LDU, o Unión La Calera tentava jogar nos erros do Flamengo. Entretanto, o time da casa não cometia deslizes e, com o tempo, o jogo se abriu. A partir dos 25 minutos, as chances rubro-negras se tornaram mais frequentes. Gerson quase marcou uma pintura, ao chapelar a marcação, mas bateu prensado. Pouco depois, Gabigol começou a aparecer mais e a criar boas jogadas. O próprio artilheiro acabaria abrindo o placar aos 31. Gerson acionou na esquerda Arrascaeta, que conectou de primeira ao meio da área. Gabigol estava sozinho e arrematou com tranquilidade. Foi um gol muito bem construído.

O Flamengo aproveitou o momento e, cinco minutos depois, a vantagem era ainda maior. Arrascaeta mais uma vez apareceu, agora para definir e deixar seu gol. Num contragolpe aberto, Bruno Henrique serviu e o uruguaio finalizou no canto do goleiro. O Fla ainda veria um terceiro gol acabar anulado, por uma solada de Gerson na disputa dentro da área. O jogo ficava mais tranquilo aos rubro-negros, o que até permitiu ao Unión La Calera sair mais nos minutos anteriores ao intervalo, sem conseguir nada.

Para o segundo tempo, o Unión La Calera mudou seu ataque, com as entradas de Sebastián Sáez e do veterano Jorge Valdívia. A equipe chilena melhorou, adotando uma postura mais propositiva, de ter a bola e incomodar o controle do Flamengo. A intensidade maior dos visitantes resultou no gol aos 12. Simon Ramírez descolou um lançamento nas costas da zaga do Fla, um problema conhecido, e Sáez arrematou com a parte de fora do pé para vencer Diego Alves. Arrascaeta tentou responder numa cobrança de falta, que o goleiro Alexis Arias espalmou, mas os rubro-negros oscilavam demais. A partida teria mais alternâncias e Sáez assustaria de novo numa cabeçada.

Estava claro como o Flamengo precisava de mais um gol para evitar problemas. O time não imprimia um ritmo tão forte e errava demais na conclusão das jogadas. Gabigol era quem mais tentava. O atacante ainda reclamaria de um pênalti que a arbitragem ignorou. Por mais que o Unión La Calera crescesse, o Fla ainda podia contra-atacar e conseguia criar oportunidades melhores com mais espaços. Faltava apenas acertar o pé, o que logo aconteceria. Diego mandou com veneno para fora e Gabigol furou numa saída errada. Já aos 34, veio o terceiro. Em mais uma reposição ruim dos chilenos, Bruno Henrique abriu com Gabigol e o artilheiro não perdoou.

Com a vitória desenhada, Rogério Ceni finalmente mexeu no time, com as entradas de Vitinho e Pedro. O centroavante precisou de dois minutos em campo para anotar um gol exuberante. Vitinho puxou o ataque e encontrou Pedro no meio. O atacante driblou dois marcadores e, diante do goleiro, humilhou ainda mais com um toque por cavadinha. Era a certeza de uma vitória importante ao Fla na Libertadores. No fim ainda houve uma alteração tripla, para as entradas de Léo Pereira, Gomes e Michael. O Flamengo pararia em Arias, mas ainda assim parecia propenso ao quinto até o apito final.

O Flamengo chega aos seis pontos no Grupo G. O resultado é importante por garantir o triunfo em casa e também fazer dois concorrentes ficarem mais para trás. Neste momento, a principal perseguidora dos rubro-negros é a LDU Quito. Os equatorianos venceram o Vélez por 3 a 1 no Estádio Casa Blanca e chegaram aos quatro pontos. Na próxima rodada, acontece o confronto direto, com a viagem dos flamenguistas a Quito.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo