Libertadores

O Atlético Nacional atropelou o Libertad e será mais um clube tradicional na fase de grupos da Libertadores

Apesar da derrota por 1 a 0 no Paraguai, o Nacional de Medellín goleou por 4 a 1 na Colômbia

Os dois finalistas da Libertadores de 2016 garantiram sua participação na fase de grupos desta edição. Depois da classificação do Independiente del Valle contra o Grêmio, o Atlético Nacional também assegurou presença na etapa principal do torneio continental. Os Verdolagas enfrentaram um adversário também tradicional, o Libertad, mas conseguiram uma vitória categórica. Apesar da derrota por 1 a 0 em Assunção, os colombianos deram a volta por cima no Estádio Atanásio Girardot e golearam por 4 a 1, de virada.

O Libertad começou o jogo em Medellín pressionando, para aumentar sua vantagem no placar agregado. Deu certo, com o gol de Julio Enciso logo aos dois minutos, num avanço rápido. O Atlético Nacional, ao menos, se refez do susto e não demorou a empatar, aos 16. Depois de uma jogadaça do camisa 10 Andrés Andrade, Jarlan Barrera recebeu na área e soltou uma sapatada, sem chances a Martín Silva. Os paraguaios poderiam ter feito o segundo, mas o domínio dos colombianos se tornava crescente.

A virada do Atlético Nacional foi construída no início do segundo tempo. Aos seis minutos, Yerson Candelo chegou à linha de fundo e Baldomero Perlaza completou de letra. Ainda assim, os Verdolagas precisavam de mais um gol, o que conseguiram aos 13, cortesia do rodado Jonathan Álvez. Andrade chutou da entrada da área, Martin Silva rebateu e o ex-colorado marcou no rebote. Já a classificação se encaminharia aos 29, num cruzamento de Andrade para Jefferson Duque marcar de peixinho. Precisando de dois gols, o Libertad pressionou e teve um tento anulado no fim, mas não conseguiu a reação necessária.

O Atlético Nacional integra o Grupo F da Libertadores, no qual enfrentará Nacional de Montevidéu, Universidad Católica e Argentinos Juniors. Já o Libertad acaba redirecionado à Copa Sul-Americana. Estará na mesma chave de Newell’s Old Boys, Palestino e Atlético Goianiense. Vale lembrar que apenas o líder avança aos mata-matas no novo formato da competição.

Apesar das dificuldades em uma chave equilibrada, o Atlético Nacional deve ser visto como potencial candidato às oitavas da Libertadores. O time é dirigido por Alexandre Guimarães, antigo comandante da seleção da Costa Rica, que em sua aventura pela Colômbia encerrou o jejum do América de Cali e começa bem seu trabalho em Medellín. Os Verdolagas lideram o Apertura Colombiano e, na fase anterior da Libertadores, ganharam os dois jogos contra o Guaraní do Paraguai.

Em campo, há valores que merecem sua dose de atenção. Trazido do futebol mexicano no último ano, Andrade tem sido uma das referências técnicas dos paisas. Barrera é outra boa peça na ligação, que despontou muito bem no Junior de Barranquilla, mesmo sem dar certo no Rosario Central depois. Já no ataque, além da adição de Alvez, tão conhecido na Libertadores, o capitão Duque voltou a Medellín após bons momentos por lá no início da década e sabe marcar seus gols. Não é o elenco mais badalado, mas pode fazer barulho.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo