Libertadores

Matheuzinho foi a faísca do Flamengo para vencer o Sporting Cristal numa morna atuação

Depois dos tumultos que quase adiaram o jogo, o Flamengo pouco empolgou em campo, mas teve os dois gols providenciados pelo jovem

Durante cerca de uma hora, o Sporting Cristal x Flamengo pela Libertadores não aconteceria. Os órgãos governamentais do Peru confirmaram que, por conta do toque de recolher determinado pelo presidente, diante dos massivos protestos contra os aumentos de combustíveis no país, não seria permitida a realização do jogo. Porém, numa reviravolta inacreditável, pouco depois o toque de recolher foi revogado e os times poderiam entrar em campo no Estádio Nacional. Trinta minutos depois do horário estipulado inicialmente, a bola rolou em Lima. E o que se viu foi um duelo pouco movimentado – bem diferente do que acontecia nas ruas da cidade. A atuação sonolenta do Fla deu para o gasto, mesmo com o freio de mão puxado, contra um frágil Sporting Cristal que pouco fez frente aos rubro-negros. Quem garantiu uma história diferente foi Matheuzinho, com vital participação nos dois tentos da vitória por 2 a 0, que ao menos garante os três primeiros pontos aos cariocas no torneio continental.

O Flamengo teria a primeira finalização logo aos dois minutos, em batida cruzada de Andreas Pereira defendida sem dificuldades. A sequência da partida, contudo, seria lenta. Nenhuma das equipes conseguia construir e os rubro-negros eram vagarosos nas transições. Com isso, o duelo era praticamente travado na faixa central. O Fla tinha mais posse de bola, sem aproveitar isso a seu favor, contra um adversário fechado. O gol saiu apenas quando o time conseguiu acelerar, a partir de uma recuperação no meio, aos 22. Matheuzinho escapou pela direita e deu um cruzamento teleguiado para o segundo pau, rasteiro. Bruno Henrique recebeu livre e chutou com precisão, em tiro cruzado que beijou a trave.

O gol poderia abrir um pouco mais o jogo para o Flamengo, mas não foi isso que aconteceu. A equipe permanecia com dificuldades para trabalhar as jogadas e acertar o passe final. Assim, o placar magro era mais condizente às dificuldades do time. O Sporting Cristal também não conseguia responder, mas teve uma boa jogada depois dos 40 minutos. Írven Ávila passou por Matheuzinho e chutou rente à trave, mas Hugo Neneca defendeu com o pé. No geral, foi um primeiro tempo bem abaixo do Fla, mas a fragilidade dos adversários também auxiliava a equipe.

O segundo tempo recomeçou com futebol pouco inspirado. O Flamengo errava mais e parecia deixar o Sporting Cristal mais à vontade. Os Cerveceros passaram a sair para o ataque. Logo viriam as primeiras alterações. Filipe Luís, lesionado, deu lugar a Léo Pereira. No meio, João Gomes entrou no lugar do apagado Thiago Maia. Os rubro-negros subiram um pouco mais na sequência, mas eram afobados demais na construção dos lances e erravam muitos passes. A tomada de decisões era péssima, como num contra-ataque no qual Gabigol tentou chutar de longe e foi bloqueado.

O jogo esquentou a partir dos 20 minutos. O goleiro Alejandro Duarte foi bem ao se antecipar a Matheuzinho na área. Mais decisiva seria a defesa de Hugo Souza, numa pancada de Ávila em sobra dentro da área. Logo Andreas também arriscaria do outro lado e Duarte nem soltou. Lázaro seria uma aposta aos 27, na vaga de Everton Ribeiro. O jogo, todavia, voltaria a baixar seu ritmo e as ações se concentravam na intermediária. Pedro e Matheus França foram novidades aos 35. A noite, ainda assim, era um grande marasmo.

O toque de qualidade seria mesmo Matheuzinho. Depois do passe sensacional no primeiro tento, ele também marcou o segundo aos 42. Num contra-ataque, Lázaro fez ótima abertura na direita e o lateral entrou com tudo, para mandar a bola no cantinho. Os garotos eram raras notas positivas num jogo de poucos elogios aos rubro-negros. Depois disso, Hugo Neneca ainda evitou o gol de honra do Sporting Cristal, ao sair na entrada da área e travar os adversários. O placar de 2 a 0 era melhor que a encomenda, diante das deficiências do Fla.

O outro jogo do Grupo H acontece nesta quarta, quando o Talleres recebe a Universidad Católica. O Flamengo estreará no Brasileirão durante o sábado, quando visita o Atlético Goianiense. Já na terça que vem, a estreia pela Libertadores no Maracanã ocorre diante do Talleres. A torcida certamente esperará mais bola do que o visto em Lima.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo