Libertadores

Mais que a vitória, o Santos conquistou uma goleada acachapante para recobrar sua confiança

O Santos vinha em xeque na Libertadores. Perdeu os dois primeiros jogos e repercutia uma crise que não se restringe aos 180 minutos de futebol. Somando resultados ruins e sem treinador efetivo, o Peixe precisava de uma resposta na Vila Belmiro, ao receber o Strongest nesta terça. E que os bolivianos fossem um adversário fraco, os santistas aproveitaram a ocasião não apenas para vencer, como também para recuperar um pouco de seu brio. Foi um jogo tão fácil quanto fulminante dos alvinegros, que golearam por 5 a 0. Os Meninos da Vila de novo tiveram sua ponta de destaque – com gols de Gabriel Pirani, Vinícius Balieiro e Kevin Malthus. Também foi importante a grande atuação de Marinho, que andava devendo e saiu eleito como o melhor da noite.

O Santos entrou em campo sem grandes surpresas e, como acontece com Marcelo Fernandes, sem improvisações apesar dos desfalques. Desta vez, a ausência mais sentida era a do suspenso Alison, suplantado por Vinícius Balieiro. O time vinha pressionado pelos quatro jogos sem vencer, mas a situação claudicante do Peixe era compreensível por tantos entraves extracampo. Não que o Strongest inspirasse confiança, com treinador demitido e duas derrotas neste início de Libertadores. E não demorou para que os alvinegros aproveitassem a superioridade, construindo a vitória desde cedo.

Com segundos de jogo, o Santos tirou um peso de si e abriu o placar. Depois de uma boa troca de passes pela esquerda, Pirani recebeu e cruzou para Marinho completar no segundo pau, sem que ninguém cortasse. O gol no primeiro minuto condicionava o jogo e permitia que o Peixe tivesse controle da partida. O Strongest não seria tão passivo assim e tentaria buscar a iniciativa durante os primeiros minutos. Mas logo ficaria claro que os alvinegros não precisariam de muito esforço para construir o resultado. Tomando as rédeas, o time da casa contava com o bom apoio dos meio-campistas e conseguia ser mais efetivo que nas partidas anteriores. Aos 26, Gabriel Pirani ampliou. Depois que Jean Mota lançou, Felipe Jonatan ajeitou e o garoto emendou a bola de primeira para as redes.

Com a vantagem ampliada, o domínio do Santos se tornou ainda mais claro. Jean Mota e Pirani ajudavam bastante para ditar o ritmo da equipe. O Strongest não correspondia a tantos perigos do outro lado e o Peixe se soltava, sem medo de arriscar. O time ganhava confiança para garantir o resultado rápido. Foram algumas boas chegadas até que o terceiro gol viesse, aos 43. Vinícius Balieiro demonstrou muita categoria, ao pegar a bola e avançar até a entrada da área, batendo colocado para superar o goleiro Daniel Vaca. Era importante a maneira como os santistas aplicavam um jogo direto e criavam oportunidades, como não vinha acontecendo em outros compromissos da equipe.

O Strongest mal ameaçou a meta de João Paulo no primeiro tempo. Os aurinegros arriscariam mais na segunda etapa, mas nada que incomodasse verdadeiramente a vantagem do Santos. O time da casa voltou do intervalo com duas alterações, contando com as entradas de Madson e Kaio Jorge. Durante os primeiros minutos, o Peixe ainda imprimiu um ritmo mais forte até o quarto gol, aos 14. Marinho iniciou o lance de maneira fantástica, ao dar um giro à Zidane para superar a marcação, e abriu com Lucas Braga. O ponta fintou e mandou a bola no canto. Era um baile, que parecia sair naturalmente aos alvinegros.

O melhor momento do Strongest aconteceria na sequência, com João Paulo parando Jair Reinoso e Gonzalo Castillo carimbando a trave. Era mais o ensaio de um gol de honra do que de qualquer outra coisa. O Santos podia trabalhar a bola no campo de ataque e deixar o tempo passar. Aos 35, outro susto aconteceu quando Fran Pastor também acertou a trave. Mas a noite era mesmo do Peixe e caberia mais um, de Kevin Malthus, outro Menino da Vila que tinha saído do banco. O meio-campista aproveitou uma sobra de bola e mandou o canhão de fora, acertando o cantinho de Vaca aos 37. Festa completa e resposta contundente que os santistas tanto precisavam na Libertadores.

O Santos soma os primeiros três pontos nesta Copa Libertadores. Ocupa a terceira colocação no Grupo C, deixando o Strongest zerado. Fechando a noite na chave, o Barcelona assumiu a liderança isolada ao bater o Boca Juniors em Guayaquil, por 1 a 0, e sustentar os 100% de aproveitamento. Na próxima semana, os santistas voltam à Vila e recebem o Boca, em busca de outro triunfo necessário.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo