Libertadores

Mais contundente, o River Plate se impôs no Monumental e deixou a situação do Fortaleza já preocupante

O Fortaleza até criou certo incômodo, mas o River Plate aproveitou suas chances no primeiro tempo e controlou o segundo

Apesar da estreia ruim na Libertadores, contra o Colo-Colo, o Fortaleza mantinha a esperança para a segunda rodada. Uma multidão viajou a Buenos Aires e aguardava uma noite digna no Monumental de Núñez contra o River Plate. Os tricolores tiveram alguns bons momentos e criaram suas chances, mas não apresentaram o poder de decisão dos millonarios. O time de Marcelo Gallardo impôs sua hierarquia no torneio continental, e com dois gols no primeiro tempo, garantiu a vitória por 2 a 0 em Buenos Aires. Já na segunda etapa, a superioridade do River foi clara e o placar poderia ter sido maior. A nova derrota mantém o Leão do Pici zerado na competição e liga um sinal de alerta na sequência do grupo.

O Fortaleza começou com tudo no Monumental e deu a impressão de que poderia aprontar. Renato Kayzer parou em Milton Casco, salvando quase em cima da linha aos dois minutos, e Moisés teria outra grande chance na sequência. O Leão do Pici estava ligado e explorava bem o lado esquerdo do ataque. Porém, logo o River Plate responderia e marcaria o gol aos dez minutos. Numa bola roubada no campo de ataque, Nicolás de la Cruz recuperou para cima de Yago Pikachu e cruzou. O corte foi parcial e, na entrada da área, Enzo Fernández mandou uma pancada no alto da meta de Max Walef. Banho de água fria para os tricolores.

O River Plate permanecia mais seguro dentro de campo e teria um gol anulado com Matías Suárez. O Fortaleza apostava em bolas mais longas e conseguia igualar o duelo em certos momentos, com direito a uma pancada de Pikachu desviada por Franco Armani com a ponta dos dedos aos 25. Entretanto, os millonarios puniriam mais um erro dos tricolores aos 33. Numa cobrança de escanteio, a sobra voltou na entrada da área e a marcação não bloqueou. De la Cruz chutou no cantinho, sem chances de defesa. O Leão do Pici teria um bom lance com Moisés, no qual Armani saiu mal da área, mas a zaga neutralizou. Apesar disso, o River era mais direto e Max Walef salvaria o terceiro em tiro de Matías Suárez.

Os acertos do Fortaleza no primeiro tempo desapareceram no segundo. O River Plate exerceria uma imposição mais clara, e desde cedo. Julián Álvarez desperdiçou boa oportunidade, antes de Max Walef crescer de novo diante de De la Cruz. O Leão do Pici não encaixava mais seus contragolpes e ainda perderia Renato Kayzer lesionado. O atacante saiu de maca, chorando, para a entrada de Sílvio Romero. Mas nada que representasse uma melhora significativa dos tricolores. Os millonarios tinham o duelo sob controle e determinavam o ritmo dentro de campo.

O River Plate teve sua melhor chance do terceiro aos 22. Casco recebeu a bola do ótimo Enzo Fernández e disparou um míssil que estalou no travessão. Fernández, aliás, era observado por um olheiro do Manchester United e deu motivos para convencê-lo, muito ativo no meio e eleito o melhor em campo. Os millonarios permaneciam em cima e Julián Álvarez tentava deixar sua marca, sem sucesso, com Max Walef evitando o pior. Do outro lado, Sílvio Romero era quem mais aparecia, mas andava difícil para o Leão do Pici anotar o gol de honra. A principal tentativa viria nos acréscimos, em bola salva em cima da linha pela marcação. Já era tarde demais para imaginar uma reação.

A cena deplorável fica para a manifestação racista de um imbecil nas arquibancadas do Monumental. O indivíduo começou a jogar pedaços de banana ao setor visitante, com outros babacas ao redor também rindo. As imagens são claríssimas e a identificação pelas autoridades não deveria ser difícil. Resta saber se haverá alguma ação contundente, em mais um caso de injúria durante a visita de torcidas brasileiras à Argentina. É urgente uma ação criminal. Em nota oficial, o River já informou que vai identificar o racista e aplicar sanções, além de repudiar os gestos classificados como racistas e xenófobos. Irônico ainda que um negro, De la Cruz, tenha sido decisivo em ambos os gols para os anfitriões. E a agressão, no fim, não apaga a beleza da epopeia dos três mil torcedores tricolores que viajaram a Buenos Aires para a noite marcante ao clube – mesmo sem final feliz.

A situação do Fortaleza na Libertadores é delicada. O Leão do Pici segue zerado, num grupo que tem River Plate e Colo-Colo com seis pontos. Os chilenos ganharam a outra partida da rodada, com os 2 a 1 sobre o Alianza Lima em Santiago. O próximo compromisso dos tricolores será no Castelão, onde receberão o Alianza no próximo dia 27 de abril.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo