Libertadores

No ritmo de Valencia, Internacional é o primeiro semifinalista da Libertadores

O Internacional é o primeiro semifinalista da Libertadores 2023. Depois da vitória por 1 a 0 na altitude de La Paz, o Colorado voltou a vencer o Bolívar, por 2 a 0, na noite desta terça-feira (29), no Beira-Rio. Assim como na Bolívia, Enner Valencia decidiu. O centroavante equatoriano foi autor dos dois gols do jogo. Rochet abrilhantou a festa ao pegar pênalti na reta final da partida.

Surpresa na escalação

A escalação inicial do técnico Eduardo Coudet trouxe uma surpresa. Com a lesão muscular de Vitão, o lateral-direito Hugo Mallo foi o escolhido para ser o parceiro de zaga de Gabriel Mercado.

Homem de confiança do treinador, com quem trabalhou no Celta de Vigo, o espanhol deu conta do recado. Mesmo improvisado, e com baixa estatura para um zagueiro (1,73m), o espanhol teve atuação segura.

Domínio colorado desde o início

Em sua primeira participação no jogo, Enner Valencia já mostrou que daria trabalho para a defesa do Bolívar, assim como aconteceu em La Paz. Aos 7 minutos, o centroavante arrancou pelo lado direito e foi parado com carrinho de Ferreyra, que recebeu o primeiro cartão amarelo do jogo.

Aos 10 minutos, Bentaberry deu passe errado nos pés de Wanderson. O atacante colorado avançou com liberdade pela esquerda e cruzou rasteiro para Enner Valencia, que próximo à marca do pênalti chegou batendo de primeira, com a canhota, para abrir o placar.

O Inter quase ampliou aos 18. Novamente no lado esquerdo da grande área, Alan Patrick cruzou rasteiro para Maurício, que girou e chutou de direita. Parte da torcida colorada chegou a comemorar, porque a bola balançou a rede, mas pelo lado de fora.

Enner Valencia anotou seu segundo aos 25 minutos, mas o gol foi anulado por impedimento. Após passe em profundidade de Johnny, o equatoriano estava alguns centímetros à frente do último defensor, o que foi confirmado com as linhas ajustadas do VAR.

O Inter teve nova oportunidade aos 35. Aránguiz deu belo lançamento para Maurício no lado direito da grande área. O jovem meia colorado deu um leve toque na bola na saída do goleiro Lampe, mas não conseguiu concluir em definitivo para o gol, e a defesa do Bolívar afastou.

As poucas finalizações dos visitantes ao longo do primeiro tempo foram de fora da área, e não levaram grande perigo ao gol de Rochet.

Gás de pimenta paralisa partida

Aos 40 minutos, uma confusão fora do estádio motivou a paralisação da partida. Jogadores das duas equipes sentiram efeitos de gás de pimenta utilizado pela polícia militar em conflito nos arredores do Beira-rio.

Os atletas do Bolívar chegaram a ir para o vestiário, mas retornaram pouco depois. O jogo foi retomado após oito minutos de paralisação.

Inter amplia no segundo tempo

Mesmo com a vantagem, o Inter seguiu atacando no início do segundo tempo. Aos nove minutos, após Alan Patrick finalizou travado. Na sobra, Bustos rolou para Maurício, que bateu cruzado do lado direito da grande área. A bola rasteira passou muito perto da trave de Lampe.

Aos 15 minutos, o Colorado ampliou. Alan Patrick lançou Enner Valencia na ponta esquerda. O equatoriano encarou a marcação de Ferreyra, trouxe para dentro e chutou forte para marcar o segundo gol seu e do Inter no jogo.

Com a classificação encaminhada, Coudet se deu ao luxo de poupar os pendurados já aos 20 minutos da segunda etapa. Gabriel Mercado e Aránguiz saíram para as entradas de Nico Hernández e Bruno Henrique.

Rochet pega pênalti

Em uma de suas raras chegadas, o Bolívar conseguiu um pênalti aos 35 minutos. Após chute cruzado de Algarañaz, a bola desviou em Bustos e acertou o braço de Nico Hernández. Chamado pelo VAR, o árbitro Esteban Ostojich assinalou a penalidade após consulta ao vídeo.

Foi aí que brilhou a estrela de Rochet, até então bem menos exigido do que nas partidas anteriores na Libertadores. O uruguaio acertou o canto esquerdo, escolhido por Ronnie Fernández, e sequer deu rebote.

Festa colorada no Beira-Rio

A comemoração da defesa de Rochet foi o estopim para a festa da classificação colorada. Após os gritos de ‘Rochet, Rochet', os cerca de 49 mil colorados no Beira-Rio cantaram alto, acenderam as luzes dos celulares e vibraram com o time após o apito final.

Depois de oito anos, o Inter está de volta a uma semifinal de Libertadores. Agora, o Colorado aguarda o confronto entre Olimpia e Fluminense, na próxima quinta-feira (31), no Paraguai, para conhecer seu adversário. O Tricolor Carioca defende a vantagem de 2 a 0 construída no Maracanã.

Estatísticas Internacional 2 x 0 Bolívar – Copa Libertadores 2023

  • Posse de bola: 64% x 38%
  • Finalizações: 16 x 10
  • Finalizações no gol: 5 x 4
  • Gols: Enner Valencia (10′) e (60′)
Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho. Formado em Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Antes de escrever pela Trivela, esteve na Rádio Grenal e na RDC TV. Também é coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo