Libertadores

Independiente del Valle ganha outra vez, agora na Arena, e relega o Grêmio à Copa Sul-Americana

Depois de um bom primeiro tempo, o Grêmio desabou com a expulsão de Maicon e lamentou as chances perdidas

O Independiente del Valle se reafirmou como um dos times mais competitivos do continente e estará na fase de grupos da Copa Libertadores. Os equatorianos se tornaram algozes do Grêmio, com os gaúchos se juntando a Corinthians, Chapecoense e São Paulo como brasileiros eliminados nas preliminares. Depois da derrota por 2 a 1 na ida em Assunção, o Tricolor parecia ter forças para virar a situação. Fez um bom primeiro tempo na Arena e saiu em vantagem, mesmo cedendo o empate antes do intervalo. Porém, as muitas chances perdidas cobraram seu preço e a expulsão de Maicon no início do segundo tempo desabou os gremistas. O Del Valle ganhou de novo por 2 a 1 e estará no Grupo A, no caminho do Palmeiras.

O Grêmio contava com novidades em relação à ida, especialmente ao colocar jogadores voltando de lesão. Kannemann, Maicon e Jean Pyerre davam outro peso ao time titular. Diogo Barbosa testou positivo para COVID-19 e Cortez entrou na lateral. Já na frente, vinha o trio formado por Ferreirinha, Diego Souza e Alisson. O Independiente del Valle repetia sua formação, com destaque a Lorenzo Faravelli, Pedro Vite e Cristian Ortíz, nomes importantes na vitória em Assunção. E mesmo sem aproveitar seu mando de campo no confronto, o time equatoriano provou sua superioridade, desta vez com erros mais expressos dos adversários.

O Independiente del Valle até ameaçou sair em vantagem na Arena, com Brian Montenegro perdendo grande chance a partir de uma bola alçada. Porém, o Grêmio tomou o controle do jogo na sequência do primeiro tempo e fazia uma apresentação suficientemente boa para acreditar numa reviravolta. Os tricolores tinham atitude, marcando forte, além de contarem com um meio-campo técnico que fez falta na ida. Ferreira começaria a aparecer, com uma cabeçada para fora e um gol anulado por impedimento antes dos 15 – numa decisão acertada desta vez.

O mais importante é que o primeiro gol do Grêmio não demorou, saindo aos 21. Na sobra de uma bola na entrada da área, Jean Pyerre dominou e mandou a sapatada. Golaço. Bela maneira para o meia reforçar seu valor, depois de tantas discussões sobre sua continuidade no clube. Tinha uma atuação essencial, coordenando a equipe. Mesmo com a vantagem e a classificação na mão, o Tricolor indicava mais força. O Independiente del Valle tentava sair, mas não era tão dominante quanto na ida, enquanto os gremistas respondiam com velocidade e levavam mais perigo. Aos 35, Maicon entrou livre na área, mas carimbou o rosto do goleiro Wellington Ramírez. As chances perdidas custavam caro, com Ferreirinha pouco depois também parando em Ramírez, sem finalizar com tanta qualidade. Alisson ainda teve sua oportunidade e bateu para fora.

Pela superioridade do Grêmio, o saldo do primeiro tempo acabava sendo pequeno. O Independiente del Valle até finalizou mais e cresceu depois dos sustos consecutivos, mas sem pontaria nos arremates. Quando os equatorianos acertaram a meta de Brenno, porém, anotaram um golaço para salvar o empate nos acréscimos. Ortíz teve uma falta frontal, após infração cometida por Cortez, e mandou um chute primoroso, acertando o ângulo de Brenno. O gol reavivou o Del Valle e botou pressão no Grêmio, mesmo que a missão não fosse tão complicada, com o time precisando de um gol.

O segundo tempo voltou aberto. O Independiente del Valle já imprimia um ritmo maior desde os primeiros minutos, mas o Grêmio conseguia responder. Pepê reapareceu no time, no lugar de Alisson. Pouco depois, Diego Souza perdeu o gol que seria mais custoso aos tricolores, aos 11. O atacante também ficou de frente com Ramírez, após grande passe de Jean Pyerre, mas, na tentativa de encobrir o goleiro, exagerou na cavadinha e mandou a bola para fora. O erro seria ainda mais duro pelos rumos que o jogo tomou pouco depois. Aos 18, Maicon cometeu falta em Faravelli e recebeu o segundo amarelo, indo direto ao chuveiro.

Com um a menos, o Grêmio desabou. Não apenas perdia um dos pilares em seu meio-campo, como também sentia o desgaste de muitos jogadores sem ritmo. E a virada do Independiente del Valle não demorou, aos 21, quando Ortíz escapou da marcação e, sozinho na área, aproveitou o ótimo passe de Faravelli para mandar às redes. Neste momento, os tricolores precisavam de três gols, mas se deram por satisfeitos por não tomarem mais. Extenuado, Jean Pyerre deu lugar a Darlan, enquanto os cartões se acumulavam. A partida ficou mais controlada pelo Del Valle, gastando o tempo, sem tantas ameaças gremistas. Brenno acabou se sobressaindo, com boas defesas para evitar um saldo pior.

A eliminação do Grêmio tem seus atenuantes, como o gol anulado na ida e os muitos desfalques, além das duas expulsões que atrapalharam muito. Apesar disso, a inferioridade diante do Independiente del Valle também não se nega, considerando o bom futebol dos equatorianos, especialmente no primeiro jogo. Mesmo sem a altitude a seu favor, o time assumido pelo português Renato Paiva reiterou sua capacidade. Avança ao Grupo A da Libertadores, contra Palmeiras, Universitario e Defensa y Justicia. Já o Tricolor precisará se contentar com a Copa Sul-Americana. Fica abaixo de sua tradição e também perde um dinheiro que seria importante para reforçar o elenco. Renato Portaluppi não recebe as críticas diretas, ausente por COVID-19, mas a eliminação gera mais pressão sobre um trabalho questionado na temporada 2020.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo