Libertadores

Hulk perde pênalti nos minutos finais, e Atlético Mineiro empata jogo que começou parecendo tranquilo

O Galo retorna do Equador com o empate por 1 a 1 com o Emelec e decidirá vaga nas quartas de final no Mineirão

Durante grande parte do primeiro tempo, o jogo de ida das oitavas de final estava absolutamente tranquilo para o Atlético Mineiro, que havia aberto o placar e controlava as ações. Um susto a minutos do intervalo se estendeu à etapa final, quando tudo se complicou de vez com um pênalti para o Emelec e a expulsão de Allan, mas ainda assim Hulk teve a oportunidade de arrancar a vitória, em uma segunda penalidade, mas parou nas mãos do goleiro Pedro Ortíz, que garantiu o empate por 1 a 1 em Guayaquil.

O empate fora de casa, especialmente com um a menos desde os 23 minutos do segundo tempo, é bom para o Atlético Mineiro e a partida mostrou também qual é o melhor time, com Ortíz fazendo pelo menos outras duas grandes defesas contra Ademir e Hulk. Mas também ficou a sensação de que o Galo poderia ter retornado com um resultado melhor que o deixaria em posição mais confortável para a volta, em (mais) uma temporada em que disputa todos os principais títulos.

O técnico Turco Mohammed repetiu cinco titulares – Éverson, Junior Alonso, Guga, Guilherme Arana e Allan – da vitória por 3 a 2 sobre o Fortaleza no fim de semana e teve uma ótimo começo no Equador. Rubens exigiu uma primeira defesa de Ortíz com uma batida cruzada pela esquerda, antes de Ademir abrir o placar. A jogada começou com um lançamento de Éverson para Hulk, que dominou de costas para a defesa e fez o pivô. Nacho Fernández recolheu e deu o passe na medida para Ademir marcar de canhota.

Rubens recebeu pela esquerda dentro da área, após uma saída de bola muito ruim do Emelec, e tirou tinta da trave. Havia acontecido pouca coisa no campo de ataque do Emelec quando Sebastián Rodríguez levou perigo com um chute colocado, aos 38 minutos. Logo em seguida, Jackson Rodríguez acertou o pé da trave de Éverson e realmente assustou. O Galo ainda teve uma chance de ouro de ampliar no começo da etapa final, em contra-ataque puxado por Hulk. Ele deixou de maneira perfeita para Ademir chegar batendo, de frente para o gol, mas o atacante carimbou o goleiro Ortíz.

No minuto seguinte, Nathan Silva subiu com o braço aberto para disputar uma bola aérea com o atacante Alejandro Cabeza, que o árbitro Fernando Rapallini considerou imprudente, ou agressivo, o bastante para caracterizar um pênalti, após checar o assistente de vídeo. Sebastián Rodríguez bateu alto e empatou. Hulk quase fez um golaço, buscando o ângulo direito de Ortíz, mas mandou para fora.

Rapallini e o VAR voltaram ao protagonismo quando Marlon Mejía deu uma entrada muito dura em Fernández, que poderia ter rendido mais do que apenas um cartão amarelo. Jackson Rodríguez e Allan se encararam, com as cabeças encostadas, até o meia brasileiro perder a paciência e soltar uma clara cotovelada. O apitador argentino deu amarelo a Rodríguez e vermelho para Allan.

Éverson fez uma defesa maravilhosa, em cima da linha, em uma cabeçada de Vera, aos 28 minutos, mas o árbitro havia marcado uma falta anterior à finalização em cima de Guga. Voando, Hulk fez linda jogada individual da esquerda para o meio, deixando marcadores no chão, antes de bater cruzado com a canhota. Ortíz saiu bem do gol para fazer a defesa.

A chance de ouro do Galo surgiu aos 41 minutos. Mejía puxou a camisa de Hulk, que invadia a área em busca de um cruzamento de Guilherme Arana, sem muita força, mas novamente com força o suficiente para Rapallini considerar pênalti. Hulk bateu cruzado de perna esquerda, mas parou nas mãos de Ortíz, um dos principais destaques da partida. Tudo igual para a volta no Mineirão na próxima semana.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo