Libertadores

A sorte sorriu contra o Millonarios, mas o Flamengo não soube aproveitar

O Flamengo saiu na frente e teve um jogador a mais em meados do segundo tempo, mas sofreu gol no fim e empatou com o Millonarios

Flamengo e Millonarios empataram em 1 a 1 na noite desta terça-feira (02), em jogo válido pela primeira rodada do Grupo E da Copa Libertadores. O Rubro-Negro até saiu na frente com Pedro e ficou com um jogador a mais, porém não soube aproveitar as oportunidades e foi castigado pelo gol de Daniel Ruíz, já na reta final. Ainda que não seja ruim, a igualdade deixou o gosto amargo na boca do torcedor.

O que de melhor aconteceu no jogo?

  • Matias Viña e Bruno Henrique desperdiçaram grandes chances no primeiro tempo
  • O Millonarios teve o controle do jogo e também acertou a trave na etapa inicial
  • Pedro balançou as redes, em pênalti sofrido por Arrascaeta que ocasionou a expulsão de Larry Vázquez
  • Com um a mais, o Flamengo relaxou e foi castigado no fim, pelo gol de Daniel Ruíz
Pedro comemora seu gol contra o Millonarios (Foto: Marcelo Cortes/Flamengo)

Flamengo começa bem, mas perde intensidade

Os 45 minutos iniciais do Flamengo foram de duas faces totalmente diferentes. A equipe de Tite começou em cima do Millonarios, sentindo pouco os efeitos da altitude. Foram duas grandes chances claras, com Viña e Bruno Henrique, mas o uruguaio isolou sozinho na pequena área, enquanto o camisa 27 parou no goleiro Montero. Depois disso, o Rubro-Negro perdeu muito.

Conforme o tempo passava, o Flamengo perdia fôlego e começava a ver o Millonarios crescer na partida. O lado esquerdo de defesa, capitaneado por Viña, que claramente sentiu os efeitos da altitude, esteve exposto em boa parte da primeira etapa. Foi por lá que Cataño e Giordana criaram as melhores oportunidades para a equipe colombiana, finalizadas pelo artilheiro Leonardo Castro. Uma delas passou por Rossi, mas parou na trave.

A sorte ajuda, mas a competência falha no Flamengo

Veio o segundo tempo, e a pressão do Millonarios começou a diminuir. Tite teve boa parcela de mérito nisso, trocando o jovem Igor Jesus, muito inseguro na primeira etapa, por Allan. O ex-Atlético Mineiro deu a cadência e a experiência que o Flamengo precisava para impôr o seu estilo. Apesar disso, o jogo não fluía e, de certa forma, era morno.

Foi aí que a sorte sorriu para o Flamengo. Em bate rebate na entrada da área, Arrascaeta recebeu linda assistência de Pulgar e sofreu pênalti, que ainda ocasionou a expulsão de Larry Vázquez. Como a competência precisa acompanhar esse golpe do destino, Pedro bateu muito bem, no alto, seguro, e abriu o placar para o Rubro-Negro.

Depois do gol, e da expulsão, o Flamengo relaxou no jogo. Tudo parecia controlado e, apesar de algumas chegadas, o Millonarios não incomodava a meta defendida por Rossi, pelo contrário, era o Rubro-Negro que tinha chances de marcar o segundo. Numa bobeira geral da defesa, no entanto, a equipe colombiana chegou ao empate com Ruíz.

Foi o primeiro gol sofrido pelo Flamengo nos últimos 11 jogos. A verdade é que, pelo que foi o jogo, o resultado se mostrou justo. Tite e companhia simplesmente não souberam aproveitar o golpe de sorte de um pênalti e um jogador a mais em meados do segundo tempo. O Millonarios foi mais valente, e os deuses do futebol costumam premiar a atitude.

O nome do jogo: Pedro

Alguns atletas do Flamengo realmente sentiram os efeitos da altitude, mas outros não. O destaque foi muito mais coletivo do que individual, com a dupla de zaga segura, e Varela e Pulgar em noite interessante, porém Pedro realmente foi o melhor. O camisa 9 participou muito do jogo, incorporando cada vez mais o pivô novamente ao seu estilo, e oportunismo para converter o primeiro gol do Rubro-Negro na Libertadores.

Como ficou o Grupo E depois da primeira rodada?

O empate deixa o Rubro-Negro em situação confortável no Grupo E, chegando no primeiro jogo em casa, que será diante do Palestino. Agora, o Flamengo vira a chave e foca todas as atenções segundo e decisivo confronto da final do Campeonato Carioca, diante do Nova Iguaçu. O jogo será disputado no próximo domingo (07), às 17h (de Brasília), no Maracanã.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance! e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo