Libertadores

Dominante no Colombiano, Atlético Nacional enfim volta a jogar bem na Libertadores

O Atlético Nacional não vinha passando nem perto da hegemonia continental que desenhou na temporada passada. Depois de conquistar a Copa Libertadores e chegar à final da Copa Sul-Americana, o time de Reinaldo Rueda perdeu os seus quatro primeiros compromissos pelos torneios sul-americanos neste início de ano – incluindo aí o jogo de ida da Recopa. Quando foi para quebrar a seca, os verdolagas o fizeram de maneira irrefutável. Golearam o Estudiantes por 4 a 1 no Estádio Atanásio Girardot, somando os primeiros pontos na Libertadores 2017. A classificação ainda é dificílima, mas os atuais campeões resistem.

Não dá para ignorar o desmanche sofrido pelo Atlético Nacional durante os últimos meses. Mesmo antes da fase final da Libertadores 2016, os paisas perderam jogadores importantes. Um processo que se intensificou neste início do ano. A diretoria trouxe bons reforços, mas a queda de nível era esperada – ainda que não de maneira tão acentuada. Afinal, ao menos no Campeonato Colombiano, os verdolagas continuam soberanos. O desempenho no Apertura, até o momento, é irretocável: são 13 vitórias e dois empates em 15 rodadas, já com dez pontos de vantagem sobre o segundo colocado. Tudo bem que a equipe precisará encarar os mata-matas, mas o favoritismo é inegável. Só não conseguiram manter o ritmo além das fronteiras.

Nos três primeiros jogos da Libertadores, o Atlético Nacional sofreu o mesmo número de gols que nas 15 primeiras rodadas do Apertura: cinco. Mas pior que o desempenho da defesa vinha sendo a falta de efetividade do ataque. Por isso mesmo, a goleada sobre o Estudiantes foi tão importante. A linha de frente, enfim, demonstrou a sua voracidade – com certa colaboração do veterano Mariano Andújar. Mateus Uribe e Dayro Moreno anotaram os gols durante o primeiro tempo, enquanto Andrés Ibargüen e Macnelly Torres aumentaram a vantagem na segunda etapa. Faryd Díaz, contra, descontou para os pincharratas.

De qualquer maneira, o Atlético Nacional precisa de uma combinação de resultados para sobreviver na Libertadores. Tem que ganhar os seus dois últimos jogos, incluindo a visita ao Botafogo no Rio de Janeiro. Enquanto isso, seca Barcelona e Botafogo, para que no máximo um passe dos nove pontos, sobrando assim a segunda vaga aos mata-matas. Do contrário, os verdolagas provavelmente terão que se contentar com a terceira colocação e a repescagem à Copa Sul-Americana.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo