Libertadores

Por que diretor da AFA causou revolta em clubes e torcedores na final da Libertadores

Federico Beligoy assistiu a final entre Boca Juniors x Fluminense nas arquibancadas do Maracanã, em meio à torcedores do clube argentino

Boca Juniors e Fluminense protagonizaram uma final de tirar o fôlego no último sábado (4), no Maracanã. As duas equipes decidiram a Copa Libertadores, e o Tricolor acabou levando a melhor, no detalhe. Após empate em 1 a 1 no tempo normal, a estrela de John Kennedy brilhou no primeiro tempo da prorrogação e o clube das Laranjeiras faturou o título continental, até então inédito em sua história. Além da frustração com o vice-campeonato, o time xeneize teve de encarar uma polêmica que deu o que falar após o jogo.

Federico Beligoy, diretor nacional de arbitragem do futebol argentino, esteve no Maracanã e acompanhou a final da Libertadores. Imagens divulgadas nas redes sociais mostram o ex-árbitro Fifa ao lado de torcedores do Boca Juniors nas arquibancadas do estádio carioca. A situação gerou muita revolta por parte de outras equipes argentinas, que não ‘engoliram’ a presença de Federico na decisão.

De acordo com Germán García Grova, jornalista do canal argentino “TyC Sports”, vários dirigentes de clubes da primeira divisão argentina questionaram a atitude de Federico Beligoy, acusando o ex-árbitro de suposto favorecimento ao Boca Juniors. Para os cartolas, a função do diretor de arbitragem não é compatível com sua postura no Maracanã, de assistir ao jogo ao lado de torcedores xeneizes.

Vale destacar que a arbitragem no Campeonato Argentino não vive bom momento. A grande quantidade de erros, por vezes básicos, tem irritado torcedores de diversos times da competição. Pelo fato de ser o homem à frente da direção de arbitragem, Federico Beligoy é o alvo preferido dos adeptos durante e após as partidas.

Presidente da AFA é pressionado

O presidente da Associação do Futebol Argentino (AFA), Claudio Fabián Tapia, popularmente conhecido como Chiqui Tapia, recebeu inúmeros questionamentos e xingamentos de torcedores nas redes sociais. Como citado, a presença de Federico Beligoy, subordinado de Chiqui na AFA, no Maracanã, não foi aceita por clubes da elite do futebol argentino.

Chiqui Tapia também marcou presença no Maracanã. Antes da bola rolar, o presidente da AFA posou para fotos ao lado de Gianni Infantino, presidente da Fifa.

Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Jornalista pela UNESA, nascido e criado no Rio de Janeiro. Cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na Trivela, é redator e escreve sobre futebol brasileiro e internacional.
Botão Voltar ao topo