Libertadores

Corinthians conta com gol contra bizarro para vencer a primeira na Libertadores

O clube paulista teve uma boa atuação e se recuperou da derrota para o Always Ready na primeira rodada

O Corinthians conseguiu sua primeira vitória na fase de grupos da Libertadores na noite desta quarta-feira com a ajuda de um gol contra bizarro de José Caldera, defensor do Deportivo Cali que parece ter confundido os lados porque nada mais explica a cabeçada contra o próprio patrimônio que garantiu o 1 a 0 a favor dos donos da casa na Neo Química Arena.

O gol, independente de como tenha saído, era merecido ao Corinthians, que não brilhou como no primeiro tempo contra o Botafogo pela rodada inicial do Campeonato Brasileiro, mas teve uma atuação sólida, criou algumas chances e foi bem seguro na defesa. Bem melhor, pelo menos, do que na derrota para o Always Ready na estreia pela competição sul-americana e evita que o clube paulista chegue à terceira partida com apenas um ou até nenhum ponto.

Standings provided by SofaScore LiveScore

Vítor Pereira manteve seis titulares que venceram o Botafogo no fim de semana, e o Corinthians dominou o primeiro tempo. Mesmo no início, quando teve presença no campo de ataque, conseguiu escanteios e rodou a área do Deportivo Cali, mas não criou chances muito claras. A primeira acabou sendo dos visitantes: uma cabeçada de Guillermo Burdisso que exigiu grande defesa de Cássio.

Começou a pegar mais ritmo aos 30 minutos, especialmente pelo lado direito. Fágner conseguiu bom cruzamento para Gustavo Mantuan chegar batendo de carrinho, na região da marca do pênalti. Guillermo De Amores fez boa defesa. Foi uma jogada bem construída antes do último passe, como no gol anulado de Jô, que novamente teve a participação de Fágner e Mantuan.

A decisão da arbitragem foi acertada. No começo do segundo tempo, Mantuan mais uma vez apareceu bem pelo lado direito, batendo colocado com a canhota. De Amores conseguiu o desvio em direção à trave para evitar o primeiro gol do Corinthians. Mas faltou combinar com Caldera, que havia entrado alguns minutos antes no lugar de Burdisso.

Fágner arriscou forte de fora da área, De Amores não brilhou na jogada também, espalmando para a frente, e Caldera simplesmente cabeceou em linha reta, quase no ângulo do seu próprio goleiro, bem longe da linha de fundo que, suponho, era seu objetivo.

O resto do jogo foi bastante controlado, mais morno, com poucas oportunidades. O Deportivo Cali deu apenas um par de sustos. Aos 30 minutos, Carlos Robles acertou o travessão, na pequena área, completando o desvio de cabeça de Jorge Marsiglia. Estava, porém, impedido. O lance de perigo de verdade foi quase a redenção de Caldera, que pegou a sobra, completamente livre pela esquerda, e bateu de primeira por cima do travessão.

Estava mais do que bem estabelecido durante o jogo que ele não tem ótima pontaria.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo