Libertadores

Como ficariam os mata-matas da Libertadores se ainda fossem determinados pelas campanhas

A mudança no formato da Copa Libertadores nesta temporada também trouxe uma novidade para os mata-matas: o chaveamento determinado pela campanha na fase de grupos foi abolido. Obviamente, os primeiros colocados continuam com o “privilégio” de pegar os segundos. Mas o seu adversário será conhecido através de um sorteio, a ser realizado em 14 de junho, na sede da Conmebol.

E se o modelo antigo dos duelos fossem mantidos? Abaixo, fizemos uma breve simulação do que poderia acontecer. Vale ressaltar o equilíbrio da atual edição. Nenhum líder de grupo passou dos 13 pontos, enquanto alguns segundos colocados tiveram campanhas melhores que alguns primeiros, sobretudo pelo equilíbrio da chave encabeçada por Botafogo e San Lorenzo. Confira como ficaria:

Oitavas de final

Jogo 1: Atlético Mineiro x Nacional-URU
Jogo 2: Lanús x Jorge Wilstermann
Jogo 3: Grêmio x Strongest
Jogo 4: River Plate x Atlético Paranaense
Jogo 5: Palmeiras x Barcelona-EQU
Jogo 6: Santos x Emelec
Jogo 7: Botafogo x Guaraní-PAR
Jogo 8: San Lorenzo x Godoy Cruz

Quartas de final

Jogo A: Vencedor 1 x Vencedor 8
Jogo B: Vencedor 4 x Vencedor 5
Jogo C: Vencedor 7 x Vencedor 2
Jogo D: Vencedor 3 x Vencedor 6

Semifinais

Vencedor A x Vencedor B
Vencedor C x Vencedor D

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo