Libertadores

A vitória do San Lorenzo sobre o Lanús foi uma ode a Mercier, um monstro da Libertadores

Quando você olha apenas o placar, Nicolás Blandi é o destaque óbvio da vitória do San Lorenzo, no primeiro jogo contra o Lanús pelas quartas de final da Copa Libertadores. O capitão resolveu a vida do Ciclón no Nuevo Gasómetro, anotando ambos os tentos na vitória por 2 a 0 sobre os grenás. No entanto, a partida desta quarta foi mais um exemplo da classe extraordinária de Juan Mercier. O volante não é daqueles craques que concentram holofotes. Ainda assim, joga o fino há anos com a camisa azulgrana. Fundamental na conquista continental de 2014, segue como um dos protagonistas. E destruiu os visitantes nesta noite, com uma atuação de manual.

O Nuevo Gasómetro pulsava forte, em meio à vibração da torcida dos cuervos. E o San Lorenzo dominava o primeiro tempo. Ia criando as melhores oportunidades, até abrir o marcador aos 33 minutos. Mercier apareceu decisivamente. O veterano deu uma enfiada de bola belíssima para Blandi, por entre a marcação do Lanús. O capitão dominou, deixou o marcador tonto e tocou com categoria na saída do goleiro Esteban Andrada, fazendo as arquibancadas explodirem. A vantagem era mais do que merecida, por mais que o Granate tivesse mais posse de bola.

Logo no início do segundo tempo, a situação ficou ainda melhor para o San Lorenzo, em pênalti bobo cometido pelos visitantes. Blandi cobrou com segurança e ampliou. O Lanús seguia com o controle da bola, mas sem produzir o esperado. O controle do jogo, de fato, era do Ciclón. Foram poucas chances reais dos grenás para descontar o placar. Na melhor delas, o centroavante José Sand fuzilou dentro da área, mas parou em grande defesa do goleiro Nicolás Navarro, desviando com a perna. Terão que buscar o prejuízo apenas no reencontro, em La Fortaleza.

Mercier primou exatamente por não dar brechas ao Lanús. Se não conta mais com o seu grande parceiro de Ciclón, Néstor Ortigoza, o camisa 5 segue soberano. Aos 37 anos, marcou muita vitalidade, mas também com a experiência de estar sempre bem posicionado. Além disso, distribuiu o jogo com primazia, especialmente na assistência para Blandi. Há cinco temporadas no San Lorenzo, o meio-campista vê o fim de sua carreira se aproximando. Mesmo assim, segue atuando em altíssimo nível. A ponto de fazer os cuervos sonharem outra vez com a Libertadores. Em 2014, segundo a AFA, foi o melhor jogador do país, muito por sua participação espetacular na conquista inédita dos azulgranas no torneio continental.

Atuar em La Fortaleza não costuma ser missão simples. A torcida do Lanús põe pressão e os anfitriões possuem jogadores experientes para buscar o resultado. Contudo, o San Lorenzo tem o duelo nas mãos. Se fizer um jogo tão seguro quanto a desta quarta, poderá se colocar nas semifinais. Para tanto, contará mais uma vez com a inteligência e a dedicação de Mercier. O volante já é um ídolo histórico, mas continua honrando o manto que veste a cada nova partida.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo