Libertadores

A torcida do Fortaleza escreveu, em letras garrafais nas arquibancadas, sua mensagem contra o racismo

O Fortaleza formou dois mosaicos no Castelão para responder ao racismo no reencontro com o River Plate pela Libertadores

O Fortaleza escolheu uma maneira potente de responder ao episódio de racismo ocorrido no primeiro duelo com o River Plate, em Buenos Aires, pela Copa Libertadores. Antes e durante o empate contra os argentinos no Castelão, o Leão do Pici preparou dois mosaicos para transmitir sua mensagem. “Juntos na luta” era a frase exibida antes que a bola rolasse. Depois, foi formado um mosaico permanente com a mensagem “Stop racism”. O goleiro Max Walef ainda usou luvas com mensagens sobre o tema. O espetáculo costumeiro dos tricolores, desta vez, carregava consigo um debate mais profundo.

O combate ao racismo no futebol depende de posturas mais firmes das autoridades. Não dá para aceitar que os racistas deixem a prisão pelo pagamento de valores baixos de fiança e nem que as punições aos clubes se limitem a brandas multas. Enquanto a Conmebol e os próprios governos não tiverem reações mais firmes, outros casos tendem a se repetir. No entanto, é possível cobrar para que se faça mais. O mosaico do Fortaleza, neste sentido, é um pedido bastante eloquente.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo