América do SulLibertadores

Só a Libertadores para ter um gol tão sensacional como este – Parte 2

A Copa Libertadores é tão sensacional que, não satisfeitos com aquele gol do Deportivo Cali contra o O’Higgins – um clássico instantâneo -, destacamos aqui mais um gol que é a cara do certame mais desejado na América do Sul. O Universitario, do Peru, recebeu o Strongest, da Bolívia, e o jogo acabou com um empate para quem gosta de gols: 3 a 3. Mas um deles, em especial, merece destaque.

Ainda no primeiro tempo, o Universitario vencia por 1 a 0, quando o The Strongest conseguiu um pênalti bastante duvidoso. Na hora da cobrança, uma sequência de lances que você não veria em uma Liga dos Campeões da vida. Pablo Escobar bate bem, no canto direito de José Carvallo, mas o goleiro se estica para espalmar. A sobra fica com o próprio Escobar, mas Carvallo se atira de novo à bola e evita o gol. O bate rebate segue, com um zagueiro do time peruano fazendo milagre para evitar que a rede seja balançada, até que chega Diego Chávez, todo estabanado, para fazer gol contra.

O lance todo é muito bizarro, mas tem ainda outro ingrediente especial na jogada: ao fundo, em um dos replays, é possível ver o camisa 9 do Universitario, Raúl Ruidíaz, completamente indiferente a tudo. Às defesas do goleirão, à interceptação do companheiro e inclusive ao gol. Talvez Ruidíaz não estivesse tão ligado no espírito de Libertadores quanto seus colegas que estavam se matando dentro da área.

Veja o lance no vídeo abaixo, a partir dos 0:44:

Conteúdos relacionados
Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo