América do SulArgentinaBrasilLibertadores

Libertadores não tem tantos ‘virgens’ nas quartas desde 99

Campeões inéditos não são muito raros na Copa Libertadores. Nos últimos 15 anos, seis clubes levantaram a taça pela primeira vez: Vasco, Palmeiras, Once Caldas, Internacional, LDU Quito e Corinthians. Em comparação, a Liga dos Campeões coroou apenas um novato no mesmo período – o Chelsea, em 2012. E as chances de a América ser conquistada pelo 24º clube diferente em sua história são enormes.

Seis dos oito quadrifinalistas em 2013 nunca levaram o torneio: Atlético Mineiro, Fluminense, Newell’s Old Boys, Real Garcilaso, Independiente Santa Fé e Tijuana. Somente Olimpia e Boca Juniors já experimentaram o gosto de ganhar a Libertadores. Uma situação que não acontecia há 14 anos, na última edição do antigo formato do torneio, com 21 clubes e apenas dois representantes por país – no máximo três, no caso do atual campeão.

Desde que os mata-matas foram instituídos no torneio sul-americano, em 1989, cinco edições tiveram seis ou sete “virgens” entre os oito melhores: 1989, 1992, 1996, 1994 e 1999. Atlético Nacional, São Paulo, Vélez e Palmeiras acabaram campeões pela primeira vez. A exceção foi o River Plate, que faturou o bicampeonato.

Vale ressaltar que o antigo formato de distribuição de vagas permitia que times sem conquistas fossem mais longe. O fator limitava a participação de Argentina e Brasil, origem de 72,2% dos vencedores da Libertadores até então, a quatro ou cinco representantes. No último ano do sistema, em 1999, argentinos e brasileiros mandaram ao torneio três clubes que já tinham a taça, enquanto outros 11 ficaram de fora.

Além disso, a probabilidade de dois novatos fazerem a decisão também é grande, considerando que Olimpia e Boca Juniors não se cruzarão na semifinal. Das 53 finais de Libertadores, apenas 11 tiveram confrontos entre times sem a taça no currículo. Nos últimos 25 anos, foram quatro: São Paulo x Newell’s, Vasco x Barcelona, Palmeiras x Deportivo Cali e Fluminense x LDU Quito.

O Brasil pode até lamentar sua participação nesta Libertadores. Da inédita classificação de seis times, que compunham 37,5% das oitavas de final, o país ocupará 25% das vagas nas quartas, tanto quanto a Argentina. De qualquer forma, Atlético Mineiro e Fluminense continuam fortes no páreo. E, caso um dos dois termine no alto do pódio, será o décimo clube do país a conquistar a América.

Os clubes sem títulos nas quartas de final da Libertadores

2013 – Seis: Atlético Mineiro-BRA, Fluminense-BRA, Real Garcilaso-PER, Independiente Santa Fe-COL, Newell’s Old Boys-ARG e Tijuana-MEX
2012 – Quatro: Corinthians-BRA, Libertad-PAR, Universidad de Chile-CHI e Fluminense-BRA
2011 – Quatro: Jaguares-MEX, Cerro Porteño-PAR, Universidad Católica-CHI e Libertad-PAR
2010 – Três: Universidad de Chile-CHI, Libertad-PAR e Chivas-MEX
2009 – Dois: Caracas-VEN e Defensor-URU
2008 – Cinco: Fluminense-BRA, Atlas-MEX, LDU-EQU, San Lorenzo-ARG e América-MEX
2007 – Quatro: América-MEX, Defensor-URU, Libertad-PAR e Deportivo Cúcuta-COL
2006 – Quatro: Chivas-MEX, Libertad-PAR, LDU-EQU e Internacional-BRA
2005 – Quatro: Banfield-ARG, Tigres-MEX, Atlético Paranaense-BRA e Chivas-MEX
2004 – Quatro: Once Caldas-COL, Deportivo Táchira-VEN, Deportivo Cali-COL e São Caetano-BRA
2003 – Quatro: América de Cali-COL, Cobreloa-CHI, Cruz Azul-MEX e Independiente Medellín-COL
2002 – Três: São Caetano-BRA, América-MEX e Morelia-MEX
2001 – Três: Rosário Central-ARG, América de Cali-COL e Cruz Azul-MEX
2000 – Cinco: America-MEX, Bolívar-BOL, Atlas-MEX, Atlético Mineiro-BRA e Corinthians-BRA
1999 – Seis: Corinthians-BRA, Estudiantes de Mérida-VEN, Deportivo Cali-COL, Bella Vista-VEN, Cerro Porteño-PAR e Palmeiras-BRA.
1998 – Cinco: Vasco-BRA, Colón-ARG, Cerro Porteño-PAR, Bolívar-BOL e Barcelona-EQU
1997 – Três: Sporting Cristal-PER, Bolívar-BOL e Universidad Católica-CHI
1996 – Seis: San Lorenzo-ARG, Corinthians-BRA, Junior-COL, América de Cali-COL, Universidad de Chile-CHI e Barcelona-EQU
1995 – Quatro: Palmeiras-BRA, Emelec-EQU, Sporting Cristal-PER e Millonarios-COL
1994 – Seis: Independiente Medellín-COL, Junior-COL, Minervén-VEN, Bolívar-BOL, Unión Española-CHI e Vélez-ARG
1993 – Cinco: Universidad Católica-CHI, Barcelona-EQU, Sporting Cristal-PER, América de Cali-COL e Cerro Porteño-PAR
1992 – Sete: Cerro Porteño-PAR, Barcelona-QUE, Criciúma-BRA, São Paulo-BRA, América de Cali-COL, San Lorenzo-PAR e Newell’s Old Boys-ARG
1991 – Três: Colo Colo-CHI, América de Cali-COL e Cerro Porteño-PAR
1990 – Quatro: Vasco-BRA, Emelec-EQU, Barcelona-EQU e Universidad Católica-CHI
1989 – Sete: Atlético Nacional-COL, Millonarios-COL, Cobreloa-CHI, Danubio-URU, Internacional-BRA, Bahia-BRA e Sol de América-PAR

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo