América do Sul

La Intrusa

Mais um ano, mais um título continental da LDU. De 2008 para cá foram quatro títulos internacionais; uma Copa Libertadores, uma Copa Sul-Americana e duas Recopas Sul-Americanas, a última delas conquistada na quarta-feira.

Além de somar mais um troféu à galeria, a equipe se consolida como a única da América do Sul a ser capaz de desafiar brasileiros e argentinos. Desde 2004, com a conquista do Once Caldas, da Colômbia, quase todas as glorias do continente ficaram com times da Argentina, do Brasil ou com a La U. A única exceção foi a Copa Sul-Americana de 2006, que terminou com o Pachuca campeão sobre a Universidad de Chile.

A mais recente vitória equatoriana veio da mesma forma dos últimos anos. Na primeira partida o time fez de tudo para obter um bom resultado na altitude de Quito e no segundo jogo só administrou a vantagem. Desta vez a LDU fez 2 a 1 no Estudiantes em Quito, e garantiu o 0 a 0 ao nível do mar, em Quilmes.

Também foi assim em 2008, quando bateu o Fluminense em Quito por 4 a 2 e depois perdeu no Rio de Janeiro por 3 a 1, vencendo nas cobranças de pênaltis. Já em 2009, na Copa Sul-Americana, de novo contra o Flu, fez 5 a 1 em Quito e depois perdeu por 3 a 0. A exceção ocorreu na Recopa, também em 2009. No entanto, a Liga ganhou os dois jogos. Primeiro em Porto Alegre por 1 a 0 e depois em Quito por 3 a 0.

Ainda que a Recopa e a Copa Sul-Americana não tenham o prestígio de uma Libertadores, o êxito em âmbito continental de uma equipe com menos recursos e tradição bem mais modesta que os gigantes de outros países, como Chile, Uruguai e Paraguai, por exemplo, precisa ser exaltado. A razão para tal façanha é o planejamento e também a boa condução que tem sido feita pela diretoria da equipe nos últimos anos.

Dos destaques do time campeão da Libertadores em 2008, apenas o meia-atacante Guerrón, o zagueiro Jairo Campos e o meia Manso não permanecem no elenco. Urrutia, Vera, Bolaños, Bieler, Reasco e Cevallos – apesar de alguns deles terem saído e voltado – continuam firmes e fortes com La U.

O mesmo acontece na manutenção do corpo técnico da equipe. Do final de 2006 para cá, apenas dois técnicos passaram pelo comando do time equatoriano; o argentino Edgard Bauza e o uruguaio Jorge Fossati. Bauza comandou o time de 2006 a 2008. Fossati dirigiu a equipe em 2009 e deu lugar novamente a Bauza quando decidiu assumir o Internacional. Ou seja, com quase cinco temporadas disputadas, a LDU teve duas mudanças de técnicos.

E pode ser que ainda venham mais glórias este ano. Apesar do bom momento em solo continental – pode inclusive ser campeã da Sul-Americana 2010 ainda – La U não vence um campeonato equatoriano desde 2007. Nesta temporada o time largou bem e tem grandes chances de destronar o rival Deportivo Quito, que ganhou os últimos dois torneios.

Amistosos internacionais

A semana de datas Fifa também foi utilizada por quase todas as seleções abordadas nesta coluna. Apenas o Uruguai e a Bolívia não atuaram.

O selecionado com melhor desempenho foi o Peru, que fez dois jogos e venceu ambos. Na primeira partida os comandados de Sergio Markarián venceram o Canadá por 2 a 0 em Toronto. Contra a Jamaica, também em Toronto, nova vitória; 2 a 1. O destaque dos dois jogos foi o atacante José Carlos Fernandez, que marcou dois gols.

A Colômbia teve uma vitória e uma derrota nas duas partidas que fez. Na sexta-feira passada os Cafeteros venceram a Venezuela fora de casa por 2 a 0, com Pablo Armero sendo um dos destaques da equipe. Já na terça, o escrete colombiano perdeu do México, também fora de casa, por 1 a 0. O gol mexicano foi marcado aos 43 minutos do segundo tempo.

O Equador, por sua vez, foi do céu ao inferno em menos de quatro dias. Depois de bater no domingo o México por 2 a 1, em Guadalajara, e conquistar sua primeira vitória sobre os mexicanos em 14 anos, La Tri tomou um baile e perdeu da Venezuela por 1 a 0 na terça-feira. Foram os dois primeiros jogos do escrete equatoriano sob o comando do técnico Reinaldo Rueda.

Em sua excursão à Ásia, o Paraguai decepcionou demais seus torcedores. Mesmo com grande parte do elenco que fez ótima Copa do Mundo na África do Sul, a Albiroja perdeu para o Japão por 1 a 0 e empatou com a China em 1 a 1.

Já o Chile foi à Kiev, na Ucrânia, com um time repleto de novas caras e nitidamente para ser testado por Bielsa. Os donos da casa, que alinharam o melhor que tinham, não deram bola para El Loco e sua trupe e bateram La Roja por 2 a 1. Isla fez o gol chileno.

Copa Sul-Americana 2010

Mesmo com as seleções do continente atuando, a Copa Sul-Americana 2010 não parou. Mais três jogos envolvendo times dos países abordados nesta coluna foram realizados durante a semana.

Na Colômbia o Atlético Huila (COL) empatou com o San José (BOL) por 1 a 1.

Em Assunção, o Guaraní (PAR) empatou com o Unión San Felipe, também por 1 a 1. O time paraguaio vencia o jogo até os 48 minutos, quando Vildozo, de pênalti, colocou a igualdade no placar. Já na quinta-feira, o Universitario de Sucre (BOL) recebeu o Cerro Porteño (PAR) em casa e venceu por 1 a 0.

Confira os jogos desta segunda fase do torneio.

Atletico Huila (COL) x San José (BOL)
*1 a 1 no primeiro jogo, na Colômbia

Barcelona (EQU) x Peñarol (URU)
* 0 a 1 no primeiro jogo, no Equador

Santa Fe (COL) x Caracas (VEN)

Oriente Petrolero (BOL) x Tolima (COL)

Guaraní (PAR) x Unión San Felipe (CHI)
* 1 a 1 no primeiro jogo, no Paraguai

Universidad San Martín (PER) x Emelec (EQU)

Universitario de Sucre (BOL) x Cerro Porteño (PAR)
* 1 a 0 no primeiro jogo, na Bolívia

Defensor Sporting (URU) x Sport Huancayo (PER)

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo