A Colômbia é parte fundamental do sucesso da Atalanta nos últimos meses. Duván Zapata e Luis Muriel são engrenagens importantes no ataque de Gian Piero Gasperini e a Dea ainda contratou Johan Mojica para a ala esquerda nesta de transferências. Pois os Cafeteros iniciaram as Eliminatórias para a Copa de 2022 com uma noite bergamasca em Barranquilla. Os colombianos derrotaram a Venezuela sem muita dificuldades, por 3 a 0, em placar construído ainda no primeiro tempo. E todos os tentos tiveram participação dos jogadores da Atalanta.

A Colômbia iniciou a partida com muita força ofensiva. escalou uma linha de frente com Zapata, Muriel e James Rodríguez, além de Juan Guillermo Cuadrado no apoio. Já a Venezuela tinha o desfalque sentido de José Salomón Rondón, enquanto Yeferson começou no banco com José Peseiro. O treinador apostava em Jefferson Savarino na armação, além de Sergio Córdova no comando do ataque.

A partida se iniciaria com a iniciativa da Colômbia, mas logo um lance no campo de defesa dos Cafeteros geraria preocupação. Santiago Arias tentou dar um carrinho em Darwin Machís e, enquanto deslizava, seu pé prendeu na grama. O lance gerou uma fratura no lateral, que precisou deixar o campo aos prantos. O árbitro ainda mostrou o vermelho a Machís, mas corrigiu seu erro ao rever a jogada no vídeo e perceber que o venezuelano sequer atingiu Arias.

Apesar da apreensão, a Colômbia não se abateu com a perda do defensor e abriu o placar aos 16 minutos. Numa jogada armada por James, Cuadrado arrancou e fez o cruzamento rasteiro para Zapata completar na área. Os colombianos tinham ótima mobilidade na linha de frente e abriam rombos nas defesa venezuelana. O segundo gol saiu aos 26. Mojica avançou como quis pela esquerda e deixou o marcador no chão, antes de cruzar rasteiro. Sozinho, Muriel só escorou.

O goleiro Fariñez chegou a fazer boas defesas, mas também quase concedeu o terceiro em uma bola que soltou e bateu na trave. Do outro lado, Roberto Rosales também carimbou o poste de Camilo Vargas. Nada que diminuísse a superioridade da Colômbia, que fecharia a conta nos acréscimos do primeiro tempo. A jogada começou com o goleiro Vargas, que lançou Muriel. O atacante disparou do campo de defesa e, após passar pelo marcador, chutou a meia altura. Fariñez não segurou.

Com a vitória da Colômbia encaminhada, a partida caiu de ritmo durante o segundo tempo. A Venezuela passou a tomar mais iniciativa, mas esbarrava na defesa colombiana. Queiroz mudaria sua formação, protegendo um pouco mais a marcação. Já Peseiro economizaria nas trocas, apenas colocando Romulo Otero e Andrés Ponce no ataque. Na reta final da partida, Radamel Falcao García pararia em Faríñez, mas a Vinotinto insistiria mais pelo gol de honra, sem sucesso na tentativa de superar Vargas.

A Colômbia, que já indicava um bom trabalho com Carlos Queiroz, começa as Eliminatórias com motivos para se animar. Eram três pontos esperados dos Cafeteros, mas vieram junto com um ótimo primeiro tempo. Enquanto isso, a Venezuela preocupa. Diante do que vinha sendo feito com Rafael Dudamel, a Vinotinto ficou distante da consistência dos meses anteriores.