América do Sul

Inebriados por vitórias

Com o final do Campeonato Brasileiro se aproximando e as já corriqueiras suspeitas de malas pretas, brancas e multicoloridas sendo reavivadas, os defensores dos torneios mata-mata voltaram à carga. O argumento não poderia ser outro: em campeonatos com oitavas, quartas, semifinais e final não haveria como chegarmos aos estágios decisivos com essa suspeita de favorecimento de equipe A ou B em troca de dinheiro. Eles têm razão, mas, ao menos na visão deste colunista, o mata-mata após pontos corridos é injusto e hoje não há exemplo melhor do que o do Club Deportivo San Martín de Porres, do Peru.

Na primeira fase do Descentralizado 2010, disputada por 16 times em formato todos contra todos, o San Martín terminou liderando, com 62 pontos ante 56 do segundo colocado, León de Huánuco. Na segunda fase as equipes foram divididas em dois grupos de oito times cada, um com classificados em posições pares – 2º, 4º, 6º – e outro com ímpares, mas mantiveram os pontos obtidos no primeiro estágio. Assim, mais 14 partidas serão realizadas até que se conheçam os campeões da Liguilla A, dos times ímpares, e da Liguilla B, dos pares, que então disputarão a grande decisão do torneio. Deu pra entender?

O formato, como se vê, é bastante confuso, mas o pior é a constatação de que o San Martín, que foi superior na primeira fase, acabou sendo soberano nesta segunda. Depois de 10 jogos realizados, os Santos têm 88 pontos, ou seja, de 30 pontos disputados, faturaram 26. O segundo colocado da Liguilla A é o Alianza Lima, que tem apenas 70 pontos, o que significa que por mais quatro rodadas o San Martín ficará apenas esperando a decisão contra o campeão da Liguilla B. No momento quem ocupa a posição é justamente o León de Huánuco, que na soma agora tem 74 pontos.

Resumindo, mesmo com 14 pontos de vantagem, o San Martín de Porres pode terminar o ano sem o título nacional. Coisas do mata-mata, mas uma grande injustiça, dada a hegemonia estabelecida pelos Santos, que montaram um grande time, ofensivo e de futebol atraente. São 81 gols marcados em 40 partidas, média de mais de 2 por jogo, com destaque para o atacante argentino, já pretendido por clubes de maior expressão no continente, Héber Arriola. Até esta sexta-feira ele havia ido às redes 24 vezes. Além dele, outros destaques da forte equipe peruana são o goleiro Butrón, titular da seleção nacional, o volante John Hinostroza e o atacante, também argentino, Pablo Vitti, companheiro de Messi quando ambos defendiam a seleção sub-20 dos hermanos.

Se Arriola, Butrón e companhia driblarem a zebra da finalíssima nacional, levarão o San Martin a uma marca pra lá de invejável. Fundado em 2004, o clube chegaria ao seu terceiro título nacional em seis anos de existência. Os outros dois foram conquistados em 2007 e 2008. Mas eles querem mais que isso. Ano que vem a equipe disputa a Libertadores e desde já sonha, justamente, chegar ao mata-mata.

Copa Sul-Americana

Após os jogos de volta das quartas de final, a LDU é a única representante dos países abordados nesta coluna que ainda está na briga da Sul-Americana. Em Quito, La U venceu o Newell's Old Boys por 1 a 0 e agora encara o Independiente, que empatou em 0 a 0 com o Deportes Tolima e se garantiu pelo critério de gols marcados fora de casa.

A partida aconteceu no estádio Presidente Juan Domingo Perón, que pertence ao Racing, por conta da suspensão de um mando de jogo imputada aos Diablos Rojos após torcedores terem acertado com uma pedra o goleiro Silva, do Defensor, nas oitavas de final. A punição, no entanto, não impediu lotação máxima do estádio do Racing e consequente apoio para a classificação. É para se pensar em castigos mais duros no futuro…

No confronto com o Independiente, a LDU jogará a primeira partida em Quito. O mesmo acontecerá caso La U chegue à final e enfrente Palmeiras ou Goiás.

Copa América 2011

Nesta quinta-feira foram conhecidos os grupos da Copa América 2011. Pelo emparelhamento já é possível dizer que Uruguai, Peru e Chile terão vida difícil na competição. Os três caíram no grupo C, ao lado do México, o que, pelo equilibrio de forças, pode resultar em um terceiro colocado com poucos pontos. Se classificam para a segunda fase os dois primeiros de cada chave e os dois melhores terceiros colocados. Confira os grupos:

Grupo A: Argentina, Colômbia, Japão e Bolívia
Grupo B: Brasil, Paraguai, Equador e Venezuela
Grupo C: Uruguai, Chile, México e Per

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo