América do SulLibertadores

Galo mantém 100% e invencibilidade em casa

A noite foi particularmente tranquila no Independência. Mesmo tendo passado o primeiro tempo inteiro sem marcar gols, o Atlético manteve sua principal característica: a ofensividade e a calma para virar a chave da defesa para o ataque. O placar de 2 a 1 foi um retrato fiel do que os atleticanos buscaram durante os 90 minutos, apesar do crime de ter concedido o tento de Melgar. Sempre no campo dos bolivianos, os donos da casa muito pressionaram e viram um Ronaldinho inspirado e determinado a dar a vitória ao Galo.

Essa predisposição para agredir o adversário e não dar chance para que ele encaixe um contragolpe tem sido mesmo um elemento marcante na formação de Cuca. O Strongest, que não foi à Belo Horizonte para sofrer uma goleada, tentava trabalhar nos poucos erros alvinegros em campo.

Com Pierre e Leandro Donizete marcando muito e desarmando uma barbaridade, o Atlético tinha facilidade para sair em rapidez após o combate lá atrás. Bernard e Ronaldinho trabalhavam bem até que o camisa 10 entrou na área, mirou o cruzamento, acertou a cabeça de um zagueiro e a bola sobrou nos pés de Jô, num lance muito parecido ao que Henry protagonizou contra o Brasil na Copa de 2006.

Em vantagem, o Galo não se contentou e foi empurrado pela torcida a marcar novamente. Cada vez mais encurralado e tímido, o time boliviano se retraía na sua área e esperava os impiedosos ataques pelas pontas. Bons passes longos e uma infiltração forte na retaguarda visitante deram o tom dos 45 minutos finais.

Sem medo de usar das descidas, Marcos Rocha partiu em velocidade na direita e levou um carrinho pra lá de imprudente do marcador, cometendo pênalti. Ronaldinho bateu sem titubear e ampliou o marcador. Aí ficou fácil estabelecer o placar. Dominando o rival e administrando o tempo com sabedoria, o Galo levou tranquilamente até o fim do jogo, ainda levando perigo.

Melgar, que havia acabado de entrar, tentou estragar a festa no Horto e marcou pegando um rebote dentro da área de Victor. 2 a 1, mas sem maiores danos ou pontos negativos a se ressaltar nessa campanha assustadora do Galo na primeira fase do Grupo 3, com nove pontos em três compromissos. Caso consigam uma vitória diante dos aurinegros na próxima rodada, os mineiros ficam muito perto da classificação.

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é zagueiro ocasional, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo