América do SulLibertadores

E La U se va

Um dos debates mais quentes na análise do cenário futebolístico atual versa sobre o papel do treinador. Muitos acham que a figura do “professor” é supervalorizada. Criticam os altos salários pagos a comandantes que não fazem a diferença e defendem que um bom time é aquele que tem bons jogadores. São os mesmos que em momentos de maior insensatez proclamam que Pep Guardiola é um acessório em um time como o Barcelona. Do outro lado estão os defensores ferrenhos dos treinadores. Eles acreditam que qualquer time treinado por um grande nome pode ser bem sucedido, não interessando a qualidade dos atletas. Em geral criticam duramente as demissões e se aferram ao discurso de que, se um treinador não deu certo, é porque não teve respaldo do grupo ou porque não recebeu as condições adequadas de trabalho.

Faço todo este preâmbulo, caro leitor, para falar da Universidad de Chile modelo 2012: um time que segue competitivo, mas que não tem a autoridade do ano passado, quando faturou a Copa Sul-Americana de maneira incontestável, com um futebol fluido, intenso e ofensivo. Basta ver as apresentações pela Libertadores e pelo campeonato chileno para atestar que esta Universidad de Chile é mais fraca que a de 2011. Mas… O que mudou? O esquema de jogo é o mesmo, a proposta dentro de campo é a mesma, o treinador é o mesmo, a confiança é a mesma e os resultados têm aparecido – afinal de contas La U é um dos times a conseguir a classificação antecipada para as oitavas da Libertadores e lidera o campeonato chileno. Será que Jorge Sampaoli perdeu a mão? Não acredito. A diferença está nos jogadores.

No total 13 atletas deixaram o clube e outros sete chegaram na virada da temporada 2011 para a 2012. Deste total, porém, três mudanças merecem mais atenção. A ausência mais sentida, sem dúvida, é a de Eduardo Vargas, vendido ao Napoli. Atacante de velocidade e dribles curtos, Vargas era a principal força de la U, com arrancadas, entradas em diagonal para conclusão e constante aperto na saída de bola adversária. Em seu lugar Sampaoli tem utilizado Junior Fernandes, que veio do Palestino. Junior é um atleta de mais força e menos habilidade, embora também seja bastante veloz. Vez ou outra Fernandes também pode atuar mais enfiado dentro da área, o que nos leva à segunda perda mais grave de La U: Gustavo Canales.

Canales era o centroavante do 3-4-3 de Sampaoli. Com sua capacidade de disputar a bola pelo alto e de fazer a parede para os velocistas da equipe, o atacante era peça-chave das boas atuações da Universidad de Chile no ano passado. Depois de sua saída para o futebol da China, Sampaoli não conseguiu contratar nenhum 9 de ofício, o que o levou a improvisar. Junior Fernandes jogou por ali, mas não rendeu tanto quanto o ex-companheiro. Aí entra o mérito do treinador. Sem ter este centroavante, o técnico argentino decidiu mudar a forma de La U jogar e colocou o baixinho Lorenzetti para atuar como falso 9. Com o recuo, o argentino puxa um zagueiro e abre espaço para os companheiros. Esta formação já havia sido usada no ano passado, sobretudo nos jogos fora de casa. O problema é que La U não tem mais variação por ali. Embora Junior possa jogar enfiado, não tem a mesma efetividade de Canales, que se aproveitava demais do jogo pelos lados da equipe azul.

A terceira mudança é no sistema defensivo. Com a venda de Marcos González para o Flamengo, a Universidad de Chile ficou sem o seu líbero. A solução foi contratar o equatoriano Eduardo Morante, ex-Emelec. O problema é que Morante se contundiu logo no início do ano, levando Sampaoli a improvisar o volante Albert Acevedo na função. É nítido que a saída de González mexeu com a estrutura defensiva dos chilenos. José Rojas, que era uma das referências do time e que quase foi contratado pelo Botafogo, caiu de produção e tem falhado bastante, enquanto Osvaldo González também tem apresentado futebol abaixo do de 2011. A equipe também sofre mais com os cruzamentos na área – como ficou nítido contra o Godoy Cruz – já que Marcos González tem 1,90m e Acevedo possui apenas 1,76m. Outro fator de desequilíbrio é que, seja pelas trocas ou pela falta de entrosamento, La U 2012 tem um pouco menos de intensidade que a do ano anterior. A pressão feita pelos jogadores é menos intensa e a chegada à área adversária ocorre com menos jogadores, o que também influencia em uma produção menos prolífica.

Vale então retomar a pensata do primeiro parágrafo. A Universidad de Chile deste ano é mais fraca que a do ano passado pela falta de jogadores do gabarito dos que lá estavam. Ou seja, não há técnico que seja capaz de manter sozinho tal nível futebolístico. Por outro lado, a manutenção da competitividade, mesmo que em um nível inferior, deve ser colocada na conta de Sampaoli, que mudou o jeito do time jogar e que promoveu mudanças capazes de manter a equipe como uma das melhores do continente. Mais: a entrada de nomes como Angelo Henríquez, de 17 anos, e Raul Ruidíaz, peruano também contratado neste ano, pode no futuro dar mais frutos ao clube. Ambos já mostraram qualidade e podem repetir os “ídolos” do ano passado. Em suma: nem tanto ao mar, nem tanto à terra, nem oito, nem oitenta, nem favorita, nem carta fora do baralho. Esta é a La U deste ano…

Tuitadas da Libertadores

Grupo 1: Santos e Inter fizeram o duelo pela primeira posição do grupo e o Peixe se deu melhor com o empate. No outro jogo o The Strongest deveria vencer para continuar na briga, mas perdeu do Juan Aurich e praticamente classificou os dois brasileiros.

Grupo 2: O Emelec deu uma aula do espírito que deve ter um clube ao disputar a Libertadores. Mesmo com jogadores limitados, os Eléctricos venceram o Flamengo e botaram fogo no grupo. Já o Olimpia mostrou falhas gritantes, sobretudo no lado esquerdo de sua defesa e perdeu por merecidos 6 a 0. A classificação, no entanto, ainda é bastante possível.

Grupo 3: Quando parecia que a Universidad Católica iria engrenar e garantir uma das duas vagas à próxima fase, o Junior de Barranquilla decidiu reagir e venceu por 3 a 0 em casa. Apesar de todos terem chances, a situação ainda é mais favorável ao Bolívar, que tem quatro jogos e que ainda faz uma partida na altitude de La Paz.

Grupo 4: Não houve jogos nesta semana.

Grupo 5: O Vasco sofreu muito mais do que podia contra o fraco e endividado Alianza Lima, mas ainda assim saiu com a vitória. O triunfo do Libertad, de virada contra o Nacional, garantiu os cariocas e os paraguaios na fase seguinte. Com o Bolso eliminado, o Defensor Sporting é o único uruguaio com chances de avançar à próxima fase…

Grupo 6: Jogando em casa o Deportivo Táchira arrancou um empate do Cruz Azul e colocou mais dificuldades para os mexicanos pleitearem a vaga em primeiro no grupo. Resta o Corinthians confirmar o favoritismo contra o Nacional.

Grupo 7: Não houve jogos nesta semana.

Grupo 8: A Universidad de Chile não chegou a convencer, mas venceu o Godoy Cruz fora de casa e garantiu sua presença nas oitavas de final. Tem tudo para ser a primeira do grupo, em face à péssima fase do Atlético Nacional.


Mais chilenas

– No Chile La U manteve a boa sequência e venceu o Rangers por 2 a 0, apesar de o técnico Jorge Sampaoli ter dito que não gostou da atuação. O principal perseguidor dos azules é o O'Higgins, que ganhou mais uma: 1 a 0 no Cobreloa fora de casa. La U tem 25 pontos em dez jogos, enquanto o O'Higgins soma 22.

– Em terceiro aparece o Santiago Wanderers, que venceu o Cobresol por 5 a 2 e chegou aos 19 pontos. O Deportes Iquique é o quarto, com 16 pontos após vencer a Universidad de Concepción por 2 a 0. A quinta colocação é do Colo-Colo, que ganhou do Huachipato por 3 a 0 e chegou a 15 pontos. A sexta posição está com a Universidad Católica, derrotada pelo Audax Italiano pelo placar de 2 a 0 e que se manteve com 15 pontos. Deportes La Serena e Huachipato completam os oito que hoje estariam classificados para os playoffs.

– A derrota para o O'Higgins levou a direção do Cobreloa a costurar um acordo para a saída do técnico Nelson Acosta. Ele já havia dito que deixaria o clube na metade do ano, quando seu contrato venceria. A forma mostrada pela equipe, no entanto, foi determinante. Depois de ter chegado à final do Clausura – e ter perdido para a Universidad de Chile – o Cobreloa não conseguiu repetir os bons resultados e amarga a 13ª posição no atual torneio, com 11 pontos em dez jogos.

Paraguaias

– No Apertura do Paraguai segue a luta entre Olimpia e Cerro Porteño pela liderança, mas com o Nacional nos calcanhares dos dois. Em um jogo bastante difícil o Olimpia venceu o Sol de América por 1 a 0, com um gol de Maxi Biancuchi. Já o Cerro ganhou do Guaraní também por 1 a 0, gol de Salcedo. O Nacional, por sua vez, fez 5 a 2 no Independiente fora de casa, enquanto o Libertad venceu o Cerro Presidente Franco por 2 a 0, também fora de seus domínios.

– A tabela tem agora o Olimpia na ponta, com 23 pontos em nove jogos, seguido pelo Cerro com 21, Nacional com 18 e Libertad com 15.

Uruguaias

Uma série de tropeços garantiu a inalteração da tabela do Apertura uruguaio. O Liverpool perdeu por 4 a 2 para o Defensor Sporting, mas manteve a liderança, com 15 pontos em seis jogos. O segundo colocado é o Defensor Sporting que, depois de ganhar do Liverpool, empatou em 0 a 0 com o Peñarol e que agora tem 14 pontos. Os carboneros estão na terceira posição, depois de perderem do Danubio e empatarem com o Defensor, somando 13 pontos. Cerro Largo, Nacional e Rampla Juniors completam os seis primeiros, com dez pontos cada.

Equatorianas

– A grande semana do Emelec começou no domingo com vitória por 2 a 0 diante da Liga de Loja. O resultado manteve os Eléctricos na ponta da tabela, com 17 pontos em oito jogos. A segunda posição é do rival Barcelona, que fez 1 a 0 no Manta fora de casa e chegou aos 15 pontos. Em terceiro lugar está a LDU, também com 15 pontos, mas com nove jogos, após vitória por 3 a 2 ante o El Nacional.

– O atual campeão Deportivo Quito, por sua vez, segue tropeçando no torneio nacional. Os chullas perderam para o Independiente José Terán em casa por 1 a 0 no fim de semana e foram derrotados pelo El Nacional, longe de seus domínios, por 2 a 1 nesta quarta-feira. Desta maneira o Depor tem nove pontos em oito jogos e é o nono colocado.

Peruanas

– O Descentralizado 2012 tem novo líder. A Universidad César Vallejo venceu o Cienciano por 1 a 0 e assumiu a ponta, agora com 15 pontos em seis jogos. O Sporting Cristal, que ostentava a primeira posição, caiu para segundo depois de perder para a Universidad San Martín por 2 a 1 e estacionar nos 13 pontos. Na terceira posição está o Real Garcilaso, que chegou também a 13 pontos após fazer 3 a 0 no José Gálvez.

– No campeonato à parte dos grandes endividados o Universitario é o menos pior. Os Cremas venceram o Cobresol por 3 a 2 e ocupam a 12ª posição com cinco pontos em seis jogos. Vale lembrar que o clube perdeu um ponto na justiça devido a uma dívida que tinha com um ex-integrante da comissão técnica. Já o Alianza Lima perdeu do Melgar por 3 a 0 fora de casa e amarga a última posição, com dois pontos em cinco jogos. Os aliancistas, no entanto, perderam dois pontos também na Justiça devido à falta de pagamento à associação de jogadores. Ainda há mais quatro pontos a serem contestados pela falta de apresentação das planilhas de pagamento dos meses de janeiro e fevereiro.

– Com toda esta situação – fontes falam que os atletas não recebem há sete meses – os jogadores ameaçaram não treinar mais. Por ora, no entanto, os aliancistas continuarão a se apresentar diariamente a concentrar. Para ajudar o clube, que sequer pôde pagar a iluminação do estádio na Libertadores – tendo que recorrer a um gerador para o jogo contra o Vasco -, os torcedores decidiram criar uma conta bancária para receber dinheiro. A promessa da Federação é de que, se os intimos não quitarem um débito de cerca de 530 mil dólares antes do fim de abril, vão ser rebaixados automaticamente.

Colombianas

– Na Colômbia Atlético Huila e Deportes Tolima continuam a batalha particular pela liderança do torneio. Os dois times têm 21 pontos em dez jogos, após vitórias contra o Patriotas por 3 a 0 e diante do Itagui por 3 a 2, respectivamente. La Equidad aparece na terceira posição com 18 pontos, após vencer o Envigado por 1 a 0. Itagui, Santa Fe, Patriotas, Deportivo Pasto e Junior completam os oito que hoje estariam classificados para as quartas de final do Apertura

– O Once Caldas empatou em 0 a 0 com o Quindio e decidiu demitir o técnico Pompilio Páez. A equipe está na 15ª posição entre 18 times, com dez pontos em dez jogos. O blanco blanco está com a mesma quantidade de pontos do 14º colocado, o Atlético Nacional, que segue em péssima fase. Os verdolagas perderam do Deportivo Pasto por 1 a 0 e já somam seis jogos seguidos sem vitória no torneio. A imprensa acusa os jogadores de falta de comprometimento e também ataca o técnico Santiago Escobar. Por ora ele segue no cargo.

Venezuelanas

A invencibilidade caiu. Depois de 28 jogos seguidos sem derrota o Deportivo Lara perdeu para o Anzoátegui por 1 a 0 e não conseguiu ultrapassar a marca conseguida pelo Deportivo Português. O resultado coloca fogo na disputa do Clausura. O Lara ainda lidera, com 27 pontos em 12 jogos, mas é seguido de perto pelo Caracas, que venceu o Zamora por 1 a 0 e que agora tem 26 pontos, também em 12 jogos. O Mineros de Guayana é o terceiro, com 24 pontos, após empate em 2 a 2 com o Aragua.

Bolivianas

– O Blooming venceu o Real Mamoré fora de casa por 1 a 0 e se manteve na liderança do Clausura 2012, agora com 26 pontos em 13 jogos. O San Jose é o segundo, com 23 pontos após vencer o La Paz por 2 a 0. O próprio La Paz é o terceiro, com 20 pontos. O Bolívar é o oitavo, após empate em 1 a 1 com o Aurora e vitória por 6 a 0 contra o Real Mamoré. O The Strongest é o penúltimo após empate em 1 a 1 com o Oriente Petrolero.

– No último dia 31 a principal conquista do futebol boliviano completou 49 anos. Em 1963 a seleção venceu o Campeonato Sul-Americano, hoje Copa América. O torneio foi disputado na própria Bolívia em formato pontos corridos, com direito a vitória por 5 a 4 sobre o Brasil. Os brasileiros e os argentinos porém, levaram um time reserva para a disputa, enqto o Uruguai sequer participou. Ainda assim título é título…

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo