América do Sul

Campeão expropriado

Há seis meses Castellín, Rey, Pérez Greco e Mea Vitali se tornavam campeões do Torneo Clausura venezuelano sob a batuta do novato e ousado técnico Eduardo Saragó. Neste domingo o Deportivo Lara destas e outras figuras, que na temporada passada só perdeu um jogo, deve acabar. Talvez não como agremiação, mas como time. Na última quarta-feira atletas e comissão técnica deram um ultimato em relação à falta de pagamento de salários: ou a situação se resolve ou eles não fazem mais parte do clube.

Solucionar o problema poderia ser uma tarefa razoavelmente fácil, não fosse o fato de que o Deportivo Lara está abandonado do ponto de vista administrativo. Há um presidente, mas ele não tem recurso algum para manejar a situação. A única coisa que ele pode – e tenta – fazer é arranjar um dono, no caso uma empresa, para gerir o clube. Até agora isso não ocorreu.

Mas afinal o que aconteceu neste time que há pouco tempo era campeão absoluto e que hoje não sabe sequer o que a próxima segunda-feira reserva? Duas palavras resumem: intervenção estatal.

Explica-se: o Deportivo Lara foi fundado em 2009, assumindo os “restos” do Guaros Futbol Club e contando com todo o suporte – financeiro e administrativo – da empresa de maquinário agrícola Tracto América. Sob a administração de Arid García, presidente do clube e da companhia, o Deportivo Lara traçou uma curva ascendente no cenário do futebol local, atingindo seu auge justamente na temporada 2011-12. Com investimentos vastos em um elenco qualificado e a aposta bem sucedida no técnico Eduardo Saragó, o Deportivo Lara conquistou os dois campeonatos disputados e garantiu sua primeira participação na Copa Libertadores, no caso a que será realizada no ano que vem.

Nada parecia indicar o fim ou mesmo uma queda no desempenho rojinegro na temporada 2012-13, a menos algo totalmente externo aos gramados e ao futebol. Mantendo sua política rígida no âmbito econômico e democrático, no fim de abril o presidente venezuelano Hugo Chávez decretou a intervenção do governo na Tracto América para “garantir o abastecimento alimentar do país”. A empresa era a principal importadora de maquinário agrícola e, na ótica da política estatizante de Chávez, uma companhia privada não pode ter tamanho poder. Assim, o presidente Arid García fugiu do país, uma vez que a intervenção se estendia aos bens do dirigente, e obviamente deixou também de investir no Deportivo Lara.

Dirigentes e conselheiros conseguiram assumir a direção do clube, mas, como já foi dito, com pouquíssima margem para fazer algo. Por isso desde o início o maior objetivo dos administradores foi procurar um novo dono para a agremiação. Como não houve nenhum comprador com dinheiro suficiente para cobrir o valor estipulado e dar um futuro digno ao clube, salários e bônus de jogadores e comissão técnica começaram a atrasar e o time, apesar da boa campanha – é o terceiro no Apertura – não tem mais como se manter. Ou melhor, os jogadores e os profissionais decidiram que a situação é insustentável.

A entrevista coletiva dada pelos atletas, liderados pelo meiocampista e capitão Mea Vitalli, foi um desabafo sincero e indignado quanto ao buraco em que a agremiação se meteu. No entanto, a declaração pode ter dado frutos. Nesta quinta-feira a imprensa local noticiou a possibilidade de o Ministério de Energia e Petróleo investir dois milhões de bolívares – o equivalente a pouco mais de 900 mil reais – na equipe. A medida salvaria o Lara por algum tempo, mas, por ser um aporte estatal em um clube, também poderia deflagrar uma série de pedidos por igualdade de condições entre os demais participantes da primeira divisão.

Uma decisão sobre o tema deve ocorrer nos próximos dias, mas o absurdo da situação já está configurado. O futebol venezuelano, em franca ascensão no âmbito do time nacional, pode começar 2013 sem o clube que foi protagonista da última temporada e que continua com bons resultados neste ano. Dá pra imaginar?

Copa Sul-Americana 2012

São Paulo 5×0 U. de Chile: O São Paulo se aproveitou do mau momento e do desespero da Universidad de Chile para golear e se motivar para o restante da competição. Os paulistas esperam a definição do confronto entre Grêmio e Millonarios para saber quem enfrentam na semifinal. Se passar o Grêmio, o tricolor pega os gaúchos. Se o vencedor for o Millos, o São Paulo enfrenta a Católica. Em ambos os casos o segundo jogo será em casa.

U. Católica 2×1 Independiente: Tal qual em toda esta temporada a Universidad Católica oscilou demais contra o Independiente, mas saiu com a vitória e a classificação após duas cobranças de pênalti serem convertidas. Os chilenos podem pegar ou o Tigre ou o São Paulo. Nos dois casos os Cruzados decidem fora de casa.

Tigre 4×2 Cerro Porteño: Em um dos melhores jogos da competição, foram os argentinos quem se deram melhor. Abusando das cobranças de escanteio e bolas na área, o Tigre fez 3 a 0 no Cerro, mas permitiu que os paraguaios encostassem no placar e, momentaneamente, se classificassem. O gol de Donatti, no entanto, pôs fim ao sonho do Ciclón. O Tigre enfrenta Universidad Católica ou Millonarios. Se jogar contra os colombianos decide fora de casa a vaga.

Mais venezuelanas

Apesar do momento conturbado, o Deportivo Lara venceu o Deportivo Petare por 3 a 2 e se manteve na briga pela ponta do Apertura. A equipe está na terceira posição, com 25 pontos em 12 jogos. A liderança é do Deportivo Anzoátegui, que fez 2 a 0 no Yaracuyanos, somando 29 pontos. O segundo lugar é do Caracas, que ganhou do Estudiantes e tem 26.

Uruguaias

– No Clausura uruguaio o Peñarol fez 2 a 1 no Defensor Sporting e assumiu de vez a liderança do torneio, agora com 23 pontos em dez jogos. O El Tanque Sisley ocupa a segunda posição com 21 pontos após derrotar o Cerro, também por 2 a 1. O Defensor Sporting é o terceiro e o Nacional, que perdeu do River Plate por 2 a 0, é o quarto, com 19 pontos.

– A próxima rodada é decisiva para o futuro do campeonato, uma vez que Peñarol e Nacional se enfrentam no maior clássico do país e em um dos maiores jogos do futebol mundial. Mais de 46 mil ingressos já foram vendidos. Se os Manyas vencerem ganham motivação e abrem diferença na ponta. Para os Bolsilludos, a única chance é um triunfo contra os rivais.

Chilenas

– No Chile o Colo Colo venceu o Deportes Antofagasta por 2 a 1 e assumiu a liderança do Clausura, agora com 30 pontos. O Palestino, que perdeu da Unión San Felipe, é o segundo, com 29 pontos. A terceira colocação é do Rangers, que também perdeu; 1 a 0 contra a Universidad de Concepción.

– No clássico universitário, Universidad de Chile e Católica empataram por 0 a 0.

– Faltando uma rodada para o fim da fase de todos contra todos os seguintes times já estão classificados: Colo Colo, Palestino, Rangers, Iquique, Universidad de Chile e Huachipato.

– Audax Italiano e Universidad Católica seriam os outros dois classificados, mas ainda disputam as vagas com outros cinco times.

Equatorianas

– No Segunda Etapa equatoriano o Barcelona fez 5 a 0 no Emelec e manteve a dianteira, agora com 29 pontos em 16 jogos. A vitória, além de surpreendente pelo tamanho do adversário, ainda foi muito importante para a tabela. O Emelec é o segundo colocado, com 27 pontos, mas em 15 jogos.

– O Técnico Universitario, que empatou por 2 a 2 com a LDU, tem 27 pontos em 17 jogos. A quarta posição é justamente da LDU, que tem 26 pontos.

– Na luta contra o descenso, o Deportivo Quito empatou por 1 a 1 com o Deportivo Cuenca e agora tem 49 pontos na tabela acumulada, quatro a mais que o Técnico Universitário, que hoje estaria rebaixado junto ao Olmedo.

Colombianas

– No Finalización colombiano seis das oito equipes que disputarão os quadrangulares finais já estão definidas. São elas, na ordem de classificação: Millonarios, La Equidad, Junior, Itagüí, Tolima e Atlético Nacional.

– Na última rodada Cúcuta, Independiente Medellín, Deportivo Pasto, Boyacá Chicó, Deportes Quindio, Deportivo Cali e Santa Fe brigam pelas duas últimas vagas.

– A semana também foi de título em terras cafeteras. O Atlético Nacional bateu o Deportivo Pasto por 2 a 0 e conquistou a Copa Colômbia 2012. Foi a primeira vez que os Verdolagas faturaram a competição.

Bolivianas

– No Apertura boliviano o The Strongest venceu o San José por 2 a 1 e assumiu a ponta em jogo que valia justamente a primeira posição. O Tigre tem agora 30 pontos em 15 jogos, contra 29 pontos do San José. O Bolívar, que derrotou o Blooming por 1 a 0, é o terceiro, com 26 pontos, seguido pelo Jorge Wilstermann, que bateu o Petrolero por 2 a 1, e que tem agora 25 pontos.

Paraguaias

– O Guaraní tropeçou de novo – 1 a 1 com o Sportivo Luqueño -, mas ainda está na liderança do Clausura paraguaio, com 33 pontos em 15 jogos. O Nacional assumiu a segunda posição com 29 após vencer o Tacuary por 2 a 0. O Libertad é o terceiro com 28 pontos depois de empatar por 1 a 1 com o Olimpia.

– O Cerro Porteño, que já disse adeus ao campeonato, venceu o Sportivo Carapeguá por 1 a 0 usando muitos reservas. O Ciclón tem agora 21 pontos em 14 jogos.

Peruanas

– O Sporting Cristal venceu o Inti Gas por 4 a 0 e garantiu matematicamente a classificação para a decisão do Descentralizado 2012. O adversário dos Celestes deve ser o Real Garcilaso, que precisa só de mais um ponto em três rodadas para garantir o avanço à final.

– Caso se confirme a passagem do Garcilaso, resta ainda a briga pela terceira vaga na Libertadores. A Universidad César Vallejo tem 69 pontos, contra 64 do Juan Aurich.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo