América do Sul

Bolaños deu entrada feia no próprio irmão e foi expulso aos 9 minutos da final do Equatoriano

Álex Bolaños deixou o Barcelona de Guayaquil na mão antes dos dez minutos da final do Campeonato Equatoriano ao cometer uma falta criminosa no atacante adversário. Recebeu o segundo cartão amarelo, mas poderia muito ter sido expulso diretamente. O meia de 29 anos terá que explicar os seus impulsos aos companheiros, que perderam a chance de título ao serem derrotas por 3 a 0, mas também, talvez, a sua própria mãe. Porque quem recebeu a entrada feia foi o seu próprio irmão mais novo Miller Bolaños.

LEIA MAIS: Uma noite, quatro campeões: assim foram as comemorações pela América do Sul neste domingo

Pode ter sido alguma rixa antiga entre os dois, resquícios daquele dia em que brigaram para decidir se a família iria para a praia ou para a montanha, mas Miller, 24 anos, autor de dois gols na vitória do Emelec, não guarda rancor do seu irmão. “Não sei se foi o calor do jogo, mas a expulsão do meu irmão Alex foi apenas uma circunstância da partida”, disse. De qualquer jeito, a ceia de Natal da família Bolaños tem tudo para ser interessante.

O time de Bolaños não o perdoou tão rápido. O técnico Rubén Israel não minimizou os efeitos da expulsão no rendimento do time. “Em apenas dez minutos em uma final, (a expulsão) me pareceu decisiva”, disse. O presidente Antonio Noboa, mesmo sem citar nomes, foi um pouco mais longe. “Agradeço à torcida do Barcelona pelo apoio. Claramente, um jogador estragou a nossa festa. Esse jogador está fora do Barcelona”, escreveu em seu Twitter.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo