Argentina

Trezegol em Nuñez

Em entrevista ao jornal “El País”, mês passado, Del Piero analisava alguns de seus ex-colegas. A Trezeguet, dedicou as seguintes palavras: “Ele tinha uma forma maravilhosa de chutar. Era altíssimo. Você o encarava e ele parecia não ter coordenação. Na verdade, tinha um chute incrível”.

Tudo aí no passado, mesmo. Não se sabe bem, não ficou claro, se por Del Piero acreditar se tratar hoje de um Trezeguet um ex-jogador. Ou apenas, sem maiores polêmicas, por estar se referindo à passagem do centroavante franco-argentino por Sua Juventus. Pouco importa, no final das contas. De agosto para cá, o campeão mundial jogou apenas dois jogos e não marcou nenhum gol pelo Bani Yas, dos Emirados Árabes, em uma passagem relâmpago.

Os mais apressados poderiam se adiantar e dizer que tanto faz o que Del Piero gostaria de dizer. Trezeguet é mesmo um ex-jogador. Não é bem assim. Antes de chegar ao Bani Yas, o atleta passara pelo modesto Hércules, da Espanha, cravando 12 gols em 29 jogos. Foi uma estadia que começou muito bem e acabou mal, com o descendo da equipe na Liga. Não havia muito que o veterano pudesse fazer também.

Aos 34 anos, ele achou por bem realizar um sonho de infância e jogar por seu River Plate – outros jogadores-torcedores também já traçaram o mesmo caminho e reforçaram o River na Segundona, caso de Alejandro Dominguez e Cavenaghi. A diferença é que estes dois já haviam passado pelo Monumental de Nuñez antes. Trezeguet, não. Não sabe bem qual o gosto de atuar por um grande argentino. No país, ainda com seus 17 anos, foram somente cinco jogos na primeira divisão com o Platense para fisgar o interesse do Monaco.

Trezeguet, já anunciado pelo River para a próxima temporada, tirou proveito do relacionamento de seu empresário, o italiano Antonio Caliendo, com o presidente millonario Daniel Passarela para selar a sua transferência para o clube. Poderia ter sido antes. Não foi. Poderia ter sido para o Brasil. Corinthians e Inter chegaram a ser especulados como possíveis destinos. Também não foi. No caso colorado, não foi e, segundo o antigo vice-presidente do time, Roberto Siegmann, porque o jogador teria sido preterido justamente por… Cavenaghi, agora o seu futuro companheiro.

No entanto, a partir apenas de 4 de janeiro, quando o River irá se reapresentar para o Torneio Clausura. Como o primeiro jogo, ele já carrega em sua agenda, terá o Almirante Brown. É uma experiência que soa curiosa para alguém campeão mundial, europeu e com uma carreira construída na Europa – ainda que esse alguém tenha raízes em seu futuro país. Não se pode perder de vista, contudo, que desbravar a segunda divisão não chega a ser uma passagem totalmente inédita para Trezeguet. Ele já esteve com a Juventus de Del Piero na Segundona italiana, vale lembrar.

Com a Velha Senhora, foram 138 gols em 245 partidas – 15 deles na campanha de acesso. Alguns desses cartuchos ainda seguem por lá, é a torcida em Núñez. A forma maravilhosa de chutar prossegue. Só não se sabe se com a mesma eficiência. A conferir em 2012.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo