Argentina

Clubes argentinos mantêm três rebaixados, confirmam fim da Superliga e AFA volta a organizar o campeonato

Os clubes argentinos definiram nesta terça-feira que a temporada do país terá mesmo três clubes rebaixados da Superliga, e não dois, como vinha sendo falado – ou mesmo dois diretos e mais um playoff, outra possibilidade especulada. A definição aconteceu em reunião entre os clubes do Campeonato Argentino e foi anunciada à imprensa por Nicolás Russo, presidente do Lanús. Mais do que isso, a reunião ainda definiu o fim da Superliga, que deixará de organizar o liga. A organização voltará às mãos da Asociación del Fútbol Argentino (AFA), em uma nova organização que não será dirigida pelos clubes, como acontece com o modelo atual.

[foo_related_posts]

“Está ratificado que há três rebaixamentos, não há nenhuma modificação. Entre todos os presidentes, falamos e ratificamos o que já se havia aprovado. Este é um torneio com três descensos”, afirmou Russo, ao final da reunião, que contou com representantes de 23 dos 24 clubes. O único ausente foi o River Plate. Segundo o diário Olé, o clube sequer foi convidado para o encontro.

Incrivelmente, a Superliga acabou nesta semana, mas a temporada argentina ainda não, no que diz respeito a rebaixamento e classificação a competições sul-americanas. Isso porque a Copa da Superliga continuará contando tanto para o Promedio, que define os rebaixados, quanto para as competições sul-americanas, Libertadores e Sul-Americana. Pois é.

Em 2020, a Copa da Superliga Argentina teve o regulamento modificado e terá dois grupos de 12, com jogos dentro dos grupos em turno único e classificação dos dois primeiros à semifinal, disputada em dois jogos. A final é em jogo único. E com os resultados da fase de grupos valendo como se fosse uma extensão da Superliga que acabou nesta semana. Mas como se chegou a isso?

A Argentina vive atualmente um pouco do que o Brasil se acostumou durante décadas: uma desorganização tamanha que são feitos muitos remendos para tentar consertar bobagens que os dirigentes fazem. O problema é que a emenda saiu pior que o soneto, como diz o ditado. Depois do Fútbol Para Todos ter aumentado o número de clubes na Primeira Divisão Argentina para 30, a saída do governo de Cristina Kirchner acabou com o programa e foi criada a Superliga.

O plano era diminuir o número de clubes, sem definir se este número seria de 22 ou 20 clubes. E, por isso, antes da temporada 2019/20, a ideia era ter quatro rebaixamentos e apenas dois acessos, de forma a diminuir o número de clubes para 22. Já não acontecerá mais. Os 24 clubes da atual temporada virarão 23 na próxima temporada, porque além dos três rebaixados, serão dois acessos. E isso significa que o campeonato passará a ter um número ímpar de times e, portanto, sempre um clube folgando por rodada. Calma, que tudo será resolvido no ano seguinte: a ideia é ter só um rebaixado para dois times subindo, o que retornaria o total de clubes a 24.

A primeira rodada da Copa da Superliga, que começa nesta sexta-feira, 13:

https://twitter.com/superliga/status/1237400569733619712

O fim da Superliga e retorno à AFA

Algo que também já estava definido e foi confirmado foi o fim da Superliga. A organização do Campeonato Argentino deixará de ser da instituição e voltará para as mãos da AFA. O torneio deixará de ser chamado de Superliga e passará a ter o nome de Liga Profesional de Fútbol.

“A ideia de voltar à AFA é muito importante. É a nossa casa. Assinamos uma nota e agora iremos à sede da Superliga para transmitir que voltamos à AFA. Vai ser um processo um pouco complicado, mas já está determinado. Seguramente, o próximo torneio se organizará pela AFA”, informou o presidente do Lanús, Nicolás Russo.

“A próxima Liga Profesional será com 23 [clubes], depois haverá um rebaixamento e dois acessos”, continuou o dirigente. Ele admitiu que houve conversas sobre diminuir para dois rebaixados e também sobre criar um playoff sobre o antepenúltimo do Promedio com o terceiro da segunda divisão, mas ambas ideias foram descartadas.

Os clubes também pretendem renegociar os direitos de TV do Campeonato Argentino e, claro, querem aumentar suas receitas. A ideia é que as mesmas redes de transmissão continuem na próxima temporada – Fox Sports e ESPN transmitem no país -, mas que sejam cedidos três jogos por rodada à TV Pública: um na sexta, um no sábado e um no domingo.

Além disso, haverá eleições antecipadas na AFA no próximo dia 19 de maio. Os eleitos assumirão em março de 2021. “Vamos deixar o novo Comitê Executivo, que terá uma ampliação: de três vice-presidentes, passaremos a seis, quatro da Primeira Divisão, um da divisão de acesso e um do interior. Também vamos aumentar as vozes dos clubes”, explicou o presidente do Lanús.

O desmanche da Superliga é tão certo que o presidente e o primeiro vice-presidente da SAF, Mariano Elizondo e Jorge Brito, apresentaram suas renúncias aos seus cargos. O documento foi recebido e aceito pela mesa diretiva da entidade. A Superliga funcionará até o fim da temporada, no dia 31 de maio. O novo órgão que organizará o Campeonato Argentino será mesmo a Liga Profesional de Fútbol, que estará sob o comando da AFA, diferente da Superliga.

Se especula na Argentina que o comandante desta nova instituição, a Liga Profesional de Fútbol, poderá ser Marcelo Tinelli, presidente do San Lorenzo, que tem ambições políticas na própria AFA – embora ele mesmo negue. A informação que Tinelli pode assumir um posto na liderança do futebol argentino é do diário argentino Olé. Na Argentina, tudo parece ser escrito na areia, tal a velocidade das mudanças.

 

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador de anúncios? Aí é falta desleal =/

A Trivela é um site independente, que precisa das receitas dos anúncios. Desligue o seu bloqueador para podermos continuar oferecendo conteúdo de qualidade de graça e mantendo nossas receitas. Considere também nos apoiar pelo link "Apoie" no menu superior. Muito obrigado!