América do Sul

Argentina esbarra na defesa do Paraguai e perde seus primeiros pontos nas Eliminatórias

A seleção paraguaia soube travar muito bem uma Argentina que ficou longe de brilhar coletivamente e não teve o melhor dia de Lionel Messi a seu favor no empate por 1 a 1, na noite desta quinta-feira, em Buenos Aires, partida que custou à equipe albiceleste seus primeiros pontos nas Eliminatórias Sul-Americanas.

Messi chegou até a marcar um gol, no que seria a segunda assistência de Giovanni Lo Celso, que entrou ainda no primeiro tempo no lugar do machucado Exequiel Palacios, mas a jogada foi anulada, após revisão do assistente de vídeo, por uma falta bem no começo do lance.

Uma decisão discutível, que pode ter custado a vitória à Argentina, embora tenha tido um toque de braço de Nicolás Otamendi na grande área, não dado, do qual os paraguaios reclamaram, mas não apaga um jogo abaixo do craque argentino e também da seleção como um todo.

A Argentina jogou bem mal na primeira meia hora. Não conseguiu se assentar na partida ou levar perigo ao goleiro Antony Silva, e uma arrancada de Miguel Almirón terminou em pênalti. Na hora de invadir a área, ele foi barrado por Lucas Martínez e caiu sentindo dores. Outra decisão um pouco discutível do árbitro brasileiro Raphael Claus. Bola na cal, e Ángel Romero fez 1 a 0 para os paraguaios, aos 19 minutos.

Foi realmente a partir dos 30 minutos que a Argentina começou a pegar mais ritmo. Messi cobrou uma falta pela ponta esquerda, cujo corte encontrou a batida forte de Rodrigo De Paul. A defesa paraguaia cortou novamente. O jogador da Udinese, aliás, não estava nem um pouco tímido de soltar a bomba quando tivesse espaço. Ele o fez novamente, no minuto seguinte, para fora, mas meio perto.

Aos 41, um pouco de alívio. Lo Celso cobrou escanteio pela esquerda. Nicolás González, garoto de 22 anos do Stuttgart, subiu bem e cabeceou firme para empatar. Novamente de longe, De Paul exigiu uma boa defesa de Silva. Lautaro Martínez também tentou de fora da área, sem direção.

A Argentina ficou em cima desde o começo da etapa final. Repetiu os 68% de posse de bola, mas foi mais perigosa. Lautaro Martínez teve duas boas chances no início e desperdiçou ambas – na segunda, foi salvo por um impedimento. Romero mandou para fora na marca do pênalti, no lance em que a bola pegou o braço de Otamendi, e, pouco depois, Messi marcou com um chute de primeira da entrada da área, mas teve o seu gol anulado.

Di María entrou na vaga de Ocampos e deu um pouco mais de qualidade ao setor ofensivo da Argentina. Criou a jogada para uma cabeça de Lautaro Martínez e bateu com perigo de fora da área. Messi quase marcou em cobrança de falta, barrado por uma linda defesa de Antony Silva, e, no outro lado, Romero obrigou Armani a fazer o mesmo, também na bola parada.

Aos 46 minutos do segundo tempo, outra falta perigosa para a Argentina, alguns passos para trás da linha da grande área. Messi teve a chance de fazer o gol da vitória, mas acertou a barreira. No rebote, acertou a defesa paraguaia novamente. E depois das vitórias sobre Equador e Bolívia nas primeiras rodadas, a bicampeã mundial ficou apenas no empate.

.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo