América do SulLibertadores

Apesar do sufoco, Vasco elimina Lanús nos pênaltis

Graças aos pênaltis, o Vasco confirmou a vaga nas quartas de final da Copa Libertadores. Depois de saírem em vantagem no estádio La Fortaleza, os cruz-maltinos foram sufocados pelo Lanús no segundo tempo e cederam a virada por 2 a 1. Repetido o placar do jogo no Rio de Janeiro, a decisão ficou para as penalidades, vencida pelos cariocas por 5 a 4. Agora, a equipe se prepara para encarar o Corinthians na sequência da competição continental.

Cristovão Borges começou surpreendendo na escalação do Vasco, ao apostar em Nilton no lugar de Felipe, fortalecendo a marcação no meio de campo. E, quando a bola rolou, o Lanús fez o esperado, tentando pressionar os visitantes. Os argentinos, contudo, apostavam demais em bolas alçadas à área, especialmente pelo lado esquerdo, mas não conseguiam finalizar.

O primeiro lance de perigo da partida foi dos vascaínos, aos cinco minutos. Após cruzamento, Rodolfo aplicou um chapéu no marcador, mas finalizou mal. E, com comodidade em campo, os cariocas abriram o placar aos 18 minutos. Marchesín afastou cruzamento de Diego Souza e a bola sobrou nos pés de Juninho. O meia rolou para Nilton, que soltou a bomba para estufar as redes, sem tempo de reação para o goleiro.

Com a vantagem no marcador, o Vasco conseguia neutralizar o Granate e explorava bem os contra-ataques. Aos 31 minutos, Fágner fez boa jogada pelo lado esquerdo, mas finalizou para fora. Dez minutos depois, foi a vez de Diego Souza desperdiçar outro bom lance. No final da primeira etapa, o Lanús ameaçou um pouco mais. No melhor lance, Regueiro recebeu cruzamento da direita e, ao antecipar Fagner, cabeceou sem direção.

O Lanús voltou mais objetivo para a etapa complementar. Se arriscando mais no ataque, a equipe da casa chegou com força aos cinco minutos. Araujo chutou da entrada da área, Fernando Prass espalmou e, no rebote, Gutiérrez carimbou Regueiro. Do outro lado, o Vasco tinha dificuldades para encaixar seus ataques.

O gol de empate dos argentinos finalmente chegaria aos 15 minutos. Diego Valeri deu cruzamento primoroso para Pavone. O atacante teve tempo para dominar a bola, driblar Fernando Prass e tocar para o gol vazio. Instantes depois, Eder Luis teria o caminho livre para fazer o segundo, após lançamento de Juninho, mas Marchesín saiu na entrada da área para salvar.

Na sequência, o Granote passou pressionar bastante em busca da vitória. Aos 20 minutos, Regueiro invadiu a área e bateu cruzado, para boa defesa de Fernando Prass. Dois minutos depois, Gutiérrez cabeceou bola na trave, em lance anulado por impedimento. E o atacante ainda perderia outro bom lance pouco depois, mandando a bola por cima do alvo.

Acuado, o Vasco só respiraria um pouco mais aos 31 minutos, em falta batida por Juninho que Marchesín teve dificuldades para espalmar. Contudo, bastariam mais três minutos para a virada sair. Mauro Camoranesi arriscou de fora da área, Fernando Prass não segurou e Gutiérrez apareceu com o caminho livre para marcar.

Os portenhos mantiveram a intensidade ofensiva e, se redimindo do erro anterior, Fernando Prass passou a salvar o Vasco da eliminação no tempo normal. O goleiro faria ao menos duas defesas importantes. Aos 43, Pavone cabeceou e o camisa 1 se esticou para desviar para escanteio. Já nos acréscimos, o atacante invadiu a área e Prass saiu em seus pés para ficar com a bola.

Nas penalidades, depois que Regueiro e Felipe converteram, Romero acertou o travessão de Prass. Os vascaínos seguiram acertando o pé com Juninho, Carlos Alberto e Renato Silva, assim como fizeram Velázquez, Camoranesi e Fritzler pelos argentinos. Por fim, coube a Alecsandro concretizar a classificação do Vasco, convertendo a quinta cobrança.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo