América do Sul

Alianza pelo título do Campeonato Peruano

Ganhar em casa e fazer o máximo de pontos fora. É óbvio e já é clichê dos pontos corridos, mas no Peru se tornou a personificação do líder do campeonato: o Alianza Lima. Em 20 jogos são 12 vitórias, seis empates e apenas duas derrotas, o que dá aos aliancistas 42 pontos, quatro a mais do que o Juan Aurich, segundo colocado. Desses 42 pontos, 24 foram conquistados no estádio Mamute, onde a equipe já conta 17 meses sem uma única derrota. O último dissabor aconteceu em 20 de março de 2010, quando o César Vallejo venceu por 2 a 0. Na atual edição do campeonato peruano foram 10 jogos, com sete vitórias e três empates.

Já fora de casa a Alianza fez outros 18 pontos, fruto de cinco vitórias e três empates, aproveitamento pra lá de positivo e que faz da equipe da capital o time mais regular no campeonato até aqui, com 70% de aproveitamento. A receita só não se encaixa mais no que o Alianza Lima vem apresentando por causa do formato do campeonato peruano. Mesmo que fature a etapa de pontos corridos, o Alianza ainda terá que passar por uma final contra o segundo colocado.

Idiossincracias à parte, o fato é que os aliancistas estão sorrindo à toa com sua equipe. O time que já estava jogando bem contou no último final de semana com o retorno do meiocampista colombiano Johnnier Montaño, trazido de volta pelo Alianza após uma temporada no Konyaspor, da Turquia. Logo em sua reestreia Montaño fez um gol e ajudou o clube na vitória por 4 a 2 contra o Inti Gas. Além dele, o clube da capital peruana deverá ter em breve o reforço de Joazinho Arroé, menino de 19 anos, badalado nas seleções de base peruanas e que chegou por empréstimo do Siena.

Os dois serão peças importantes para dar mais qualidade a uma base que tem dado bastante certo para o técnico chileno Miguel Ángel Arrue. No gol o treinador optou por George Forsyth ante Salomón Libman, constatemente convocado para a seleção peruana, e tem se dado bem na aposta. Na zaga, Prado, Ramos, Fleitas e Trujillo tem ajudado o arqueiro a compor uma defesa praticamente intransponível. Foram apenas 12 gols sofridos nestes 20 jogos. No meio de campo, o volante Óscar Vílchez já é cotado para a seleção e o experiente Jayo, capitão do time e 38 anos nas costas, auxilia no trabalho sujo. Na parte de criação, além de Montaño, que deve ser titular absoluto daqui em diante, o Alianza ainda tem Viza e Hurtado. Na frente, Bazán é o atacante de apoio para o goleador paraguaio Ovelar.

Importante dizer que apesar dos destaques individuais, o Alianza tem se destacado pelo grupo de jogadores. Ovelar é o artilheiro do time, mas fez apenas seis dos 30 gols marcados no campeonato até aqui. Ou seja, o time é forte e equilibrado. Com tantos predicados positivos, a ausência de um grande time na liga peruana e o fato de que restam apenas dez jogos para o fim do torneio de pontos corridos, era de se esperar que tudo caminhasse tranquilamente para os aliancistas até o duelo da final em ida e volta, certo? Errado.

Todo esse bom momento está firmado em bases extremamente frágeis. Assim como acontece em diversos outros clubes peruanos, os jogadores do Alianza Lima estão com salários atrasados. De acordo com jornais peruanos o clube deve dois meses de salário aos atletas, dois meses e meio com a comissão técnica, três meses com empregados do clube e em alguns casos quatro meses com técnicos das divisões de base. Esse atraso já gerou a quebra de contrato do juvenil Hinostroza, que conseguiu a liberação do clube e fechou com o Werder Bremen.

Os próprios jogadores ameaçaram não treinar mais até que as dívidas – de todos, não só as deles – fossem pagas, mas desistiram da ideia diante da perspectiva de serem campeões, algo que a Alianza não consegue desde 2006. Se aproveitando disso a direção do clube diz que quitará as dívidas na semana que vem, mas a promessa é antiga, mesmo com o Alianza sendo o time que mais arrecada na liga peruana. Por enquanto tem dado certo, mas qualquer desequilíbrio de um lado ou de outro pode piorar o clima e quem sabe motivar uma paralisação ou mesmo acarretar em perdas dentro de campo.

CURTAS

Mais peruanas

– As dívidas de outros clubes peruanos causa até alterações na classificação. Por falta de pagamento aos atletas o Sport Boys perderá um ponto obtido ante o Sporting Cristal, enquanto o Universitario de Deportes perderá os três pontos que ganhou diante do CNI.

– Mesmo com o Cienciano em quarto lugar no campeonato peruano, o técnico Marcelo Trobbiani foi demitido. O motivo foram divergências e discussões abertas com o meia Julio Garcia. Segundo a direção do clube, o conflito interno refletiu dentro de campo e foi o principal motivador das quatro derrotas seguidas do clube no torneio.

Chilenas

– A Universidad de Chile segue imbatível no Clausura. A equipe venceu a Universidad de Concepcion por 2 a 0 e manteve a ponta da tabela, agora com 15 pontos em cinco jogos. Quem ficou mal na tabela com a combinação de resultados foi a Universidad Católica que tomou 2 a 0 do Santiago Wanderers e estacionou nos 11 pontos, agora inclusive com um jogo a mais que a U de Chile. Em terceiro lugar aparece o Cobreloa, também com 11 pontos em seis jogos.

– O Colo Colo aparece em quarto lugar, com 10 pontos em cinco jogos. Nas duas rodadas que passou sem técnico o Cacique venceu: 3 a 1 no Palestino e 2 a 1 no Huachipato. Na próxima rodada a equipe já terá o novo comandante: Ivo Basay. O treinador faturou o título da segunda divisão com o Santiago Morning e o Torneio de Toulon com a seleção do Chile Sub-21.

Uruguaias

– No Apertura uruguaio, quem surpreende e lidera o campeonato é o Danubio, que fez 4 a 0 sobre o Fénix na última rodada. A equipe tem nove pontos em três jogos e está dois a frente do Peñarol, que empatou com o Cerro Largo. O terceiro é o River Plate.

– O Nacional segue sem saber o que é vitória sob o comando de Marcelo Gallardo em uma competição oficial. A equipe empatou por 0 a 0 com o Cerro e somou três empates em três rodadas. A equipe ainda perdeu no meio da semana o zagueiro Sebastian Coátes, vendido ao Liverpool por um valor não revelado, mas que renderá oito milhões de dólares.

Venezuelanas

– No Apertura venezuelano, quem lidera e surpreende é o CD Lara. A equipe venceu o Deportivo Petare por 4 a 3 fora de casa e lidera com 10 pontos e seis gols de saldo. Em segundo lugar, com a mesma pontuação, aparece outra surpresa: o AC Mineros, que tem 4 de saldo. Yaracuyanos, Caracas e Monagas ocupam as posições seguintes.

Colombianas

– Na Colômbia bola rolando para a Liga Postobón II. Com 100% o Real Cartagena lidera, tendo duas vitórias em dois jogos. Em segundo lugar aparece o Once Caldas, seguido por Deportivo Pereira e Deportivo Cali. O Quindio e o Independiente Medellín tem um jogo a menos e por isso mantêm 100% de aproveitamento.

Paraguaias

– O Olimpia venceu o Sol de América por 3 a 1 e manteve a liderança do Clausura paraguaio, agora com 12 pontos em cinco rodadas. A equipe é seguida de perto pelo Libertad, que fez 4 a 1 no Sol de América e agora tem 11 pontos. Na sequência aparece o Cerro Porteño, que soma 10 pontos após vencer o Tacuary por 2 a 1.
Neste domingo acontece o grande clássico do futebol paraguaio. Olimpia e Cerro Porteño se enfrentam no Defensores del Chaco. Em enquete realizada pelo site do jornal ABC, 54% dos internautas acreditam em vitória do Olimpia, ante 42% que acreditam em vitória do Cerro e 4% que creem no empate.

Equatorianas

– No Equador o Deportivo Quito ganhou mais uma – 1 a 0 no Olmedo – e abriu 11 pontos de vantagem para o Barcelona, agora segundo colocado. São 24 pontos da equipe de Quito em oito jogos ante o Barcelona, que tem 15 pontos também em oito jogos. O Emelec aparece em terceiro, com 13 e a LDU em quarto, também com 13 pontos.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo