Amazon iniciou suas transmissões da Premier League na Inglaterra e já foi alvo de protestos nas arquibancadas

A Premier League ganhou uma novidade a partir desta terça-feira. A Amazon comprou parte dos direitos de transmissão do campeonato e esta rodada marcou o início da exibição dos jogos na plataforma online. Porém, alguns torcedores nem esperaram a primeira experiência para protestar contra as partidas limitadas ao streaming. O duelo entre Crystal Palace e Bournemouth, que estreou o novo meio de transmissão, contou com manifestações contrárias em Selhurst Park.

O acordo da Amazon com a Premier League garantiu exclusividade à plataforma de streaming para os jogos no meio desta semana. Assim, a exibição de todas as dez partidas da rodada estiveram sob controle da empresa americana. O Crystal Palace 1×0 Bournemouth foi a primeira partida transmitida, antes de também passarem Burnley 1×4 Manchester City. O que se torna cada vez mais comum no Brasil, porém, rende a insatisfação dos ingleses.

“Pontapés iniciais vendidos para a maior oferta. Amazon lucra, torcedores sofrem”, dizia a faixa erguida pela torcida do Crystal Palace, uma das mais ativas da Premier League. Os torcedores no setor ainda se vestiram de preto, ampliando o protesto.

A reclamação do Crystal Palace se concentrava não apenas à maneira como a plataforma de streaming exige gastos a mais para acompanhar os jogos no meio da semana, mas também à maneira como aqueles que frequentam os estádios acabam sujeitos aos interesses da transmissão. Para escalonar os horários, por interesse da Amazon, o pontapé inicial foi marcado para as 19h30. A insatisfação dos torcedores anfitriões era óbvia, diante das dificuldades para chegar ao estádio no horário durante um dia útil.

A Federação de Torcedores de Futebol, que representa os interesses das torcidas na Inglaterra, também publicou uma nota questionando o acordo com a Amazon: “Os torcedores já acreditam que há muito futebol ao vivo na televisão e este anúncio conclui um acordo que elevou o número de partidas transmitidas a níveis recordes. Introduzir mais uma emissora apenas significa mais assinaturas para os torcedores. Estamos preocupados que o número de jogos transmitidos possa ter um efeito negativo nas torcidas visitantes, em particular. É vital que essas receitas televisivas sejam investidas para garantir a participação e a contribuição dos que frequentam os estádios”.

A Amazon tem os direitos exclusivos de transmissão de mais uma rodada nesta temporada. E não é qualquer rodada: os dez jogos do tradicionalíssimo Boxing Day estão em posse da empresa americana. A plataforma exibirá os nove compromissos marcados para 26 de dezembro, bem como o duelo entre Manchester City e Wolverhampton em 27 de dezembro.

Durante as próximas três temporadas, a Amazon mantém o controle sobre 20 partidas por edição da Premier League. Os valores do acerto não foram revelados, mas indicam um interesse paulatino da companhia dentro do mercado esportivo. O valor da assinatura mensal no país custa £7,99. No entanto, estabelecimentos comerciais que desejam passar os jogos precisam pagar uma taxa bem mais salgada de £600.

Nos últimos anos, a Amazon aposta intensamente em produções esportivas para atingir um novo público – e novos consumidores aos seus produtos. As transmissões ao vivo são uma nova fronteira à companhia. No geral, o primeiro dia de experiência recebeu elogios, apesar do delay e dos erros também relatados por usuários. A companhia contratou apenas nomes já consagrados para as transmissões e trouxe novos recursos, como a opção de ouvir apenas o som ambiente dos estádios. Reforça como o futebol pode ser um caminho para a empresa ampliar os seus milhões, através da fidelização de seus clientes.